O iTunes está mesmo a morrer? Os números da loja de música da Apple

Há muito que nos debatemos com o futuro da indústria da música depois do aparecimento da internet. O iTunes nos primeiros tempos resolveu muito bem o problema das quebras nas receitas da venda de músicas mas parece que o seu reinado está a chegar ao fim. A indústria vira-se agora para serviços de streaming como o Spotify, o iTunes Radio ou o Beats Music. Embora não consigam alcançar as mesmas receitas que a venda de música propriamente dita, nem serem sequer lucrativos, resolvem provisoriamente a falta de alternativas no que toca à comercialização de música. Os U2 já anunciaram estarem a trabalhar numa alternativa juntamente com a Apple e aqui por Portugal também já estão a ser pensadas e desenvolvidas alternativas. Mas quais são realmente os números atuais das vendas do iTunes?

Durante a última conferência de resultados financeiros a Apple fez um breve resumo das vendas atuais da sua loja de música. A Apple revelou ainda que a iTunes Store é uma importante fonte de receita para a gigante de Cupertino mas, ao contrário do passado já não é a música que rende mais mas sim a App Store com a venda de aplicações para iOS.

Durante o Q4 a Maçã teve uma receita total de 4.6 mil milhões de dólares provenientes do iTunes, um aumento de 2 mil milhões comparado com igual período do ano passado. As estimativas apontam para que a Apple tenha uma receita total de 18 mil milhões em 2014 com o iTunes, 2 mil milhões a mais que em 2013.

grafico-itunes

De acordo com Tim Cook, as receitas provenientes da App Store cresceram 36% comparadas com o período homólogo do ano passado. Desde o início da App Store já foram feitos 86 mil milhões de downloads, um acréscimo de 10 mil milhões desde Julho. A iTunes Store cresceu por isso 22% face a 2013.

Contudo nem tudo são boas notícias. As vendas de música do iTunes caíram 14% desde o início de 2014. O que significa que já é o segundo ano consecutivo em que se regista uma quebra nas vendas, depois de em 2013 se ter verificado uma queda de 5.7%,

É por isso mais urgente do que nunca uma solução por parte da Apple para combater o declínio das vendas e o reinado que está prestes a começar do Spotify e dos serviços de streaming. A compra da Beats Music poderá significar que a Apple quer apostar numa solução parecida com o serviço de streaming que a Beats já disponibiliza mas mais soluções estão a ser encontradas como declarou Bono há algum tempo atrás.

0 comments