O impacto do Coronavírus no lançamento do iPhone 12

É notícia em todo mundo o novo surto de Coronavírus (COVID-19), com o epicentro na província chinesa de Hubei. Para o bem e para o mal o mundo está completamente dependente da mão de obra na China. Falando do Mundo Apple, do iPhone que temos no bolso, ao iPad que usamos no sofá, ao Mac que uso para escrever este artigo, até ao Apple Watch que salva vidas, todos eles foram fabricados lá.

A Apple depende quase a 90% da China para fazer os seus produtos chegarem ao mercado. Por isso, é natural que algo com impacto de larga escala como este vírus afete as suas linhas de produção e quiçá os planos de lançamentos no futuro.

Claro está que aquele que continua a gerar grande interesse no público e grandes lucros à marca é o iPhone. E a preocupação atual é de que a tecnológica americana venha a ser obrigada a atrasar o lançamento do tão aguardado flasghip iPhone 12, que reza a lenda poderá ser o primeiro depois da série X a chegar sem notch.

O cenário de epidemia na China não é animador, e os analistas já apontam para atrasos na produção de componentes para junho. Isto poderá influenciar no stock inicial de pré-vendas e quiçá de lançamento dos novos dispositivos.

E diga-se que a Apple até estava à espera de uma boa reação à sua nova linha de iPhones, com um aumento de 50-60% no número de encomendas de componentes, como é o caso do seu novo processador A14 de 5nm.

Para além de um novo design, os novos iPhones deverão introduzir pela primeira vez compatibilidade com redes móveis 5G e um sensor ToF (Time of Flight) na traseira para melhores experiências de Realidade Aumentada. Um grande upgrade, portanto!

Por entender no imediato ainda está o impacto do Coronavírus nos lançamentos a ocorrer no ínicio do ano, como é o caso do novo iPhone 9 (modelo low-cost).

Para já sabe-se que as fábricas na China estão paralisadas, apesar de terem ainda nesta semana tentado retomar o trabalho depois das festividades do Ano Novo Chinês. No entanto, Pequim decidiu proibir este movimento, de forma a travar a propagação do vírus, com a ameaça de pena de morte a quem desobedecer a lei.

Independentemente de tudo, esperamos que a situação se resolva rapidamente por lá, pelo bem-estar e saúde das pessoas!!!

0 comentários

Leave a Reply