Novo relatório arrasa condições de trabalho em fornecedor da Apple na China

É mais um relatório arrasador da China Labor Watch (CLW) sobre o que realmente se passa nos fornecedores da Apple na China. Esta organização conseguiu fazer uma investigação secreta e colocar alguém dentro da fábrica da Pegatron em Shangai, com os resultados a serem assustadores.

Os problemas começam logo no início do contrato de trabalho, com a Pegatron a oferecer apenas 8 horas de treino quando as leis chinesas obrigam a 24 horas. Pior ainda é que a empresa obriga os seus trabalhadores a assinarem um documento onde afirmam que tiveram 20 horas de treino, sendo estes documentos que a Pegatron mostra à Apple.

Neste treino a Pegatron também deveria oferecer informações detalhadas de todos os químicos usados para produção do iPhone, onde eles estão e são usados e o que fazer em caso de acidente. Disto tudo, a fornecedora apenas fornece uma lista dos químicos e nada mais.

O trabalho extra rondam, por mês, as 80 horas com os empregadores a fazem que se dividem em 2 horas diárias e ainda 10 horas ao sábado por semana. Durante os seus turnos de 12 horas diários, os trabalhadores têm uma pausa de 50 minutos para almoço e 30 minutos para jantar mas, muitos dos empregados não conseguem saltar este último intervalo por não terem tempo para jantar.

A maioria dos empregados da fábrica afirmam que têm que fazer horas extra porque recebem o ordenado mínimo (cerca de 1.65 euros por hora) o que não lhes permite viver em condições. Os empregados vivem em quartos da Pegatron com mais 14 pessoas e são sempre transportados pela fornecedora numa viagem que dura cerca de 30 minutos.

Adicionalmente, a CLW revela que quando um colega faz uma pausa as pessoas têm que compensar o trabalho dele e assim garantir que a produção não sofre atrasos. Durante as horas de trabalho que não são extra (10.5) o trabalhador tem que estar o tempo todo de pé e o investigador da CLW trabalhou numa motherboard para iPhones a cada 3.75 segundos. A organização descobriu também que cerca de 50% dos trabalhadores daquela fábrica da Pegatron são temporários, uma situação que não é permitida pelas leis chinesas que apenas permitem 10%.

Mas nem tudo são más notícias. A Pegatron melhorou em alguns dos parâmetros nos últimos anos como nas horas de trabalho onde a maioria cumpre as 60 horas semanas impostas pela Apple (sem contar claro com as horas extras) e cada vez menos utilizadores fazem horas extras.

Neste momento aguarda-se uma resposta da Apple a este novo relatório. A situação é alarmante e é esperada uma resposta forte por parte da gigante norte-americana

0 comments