A estrela da noite foi mesmo o iPhone X

A “one more thing” do evento de hoje foi o iPhone X. Segundo Tim Cook, CEO da Apple, a gigante de Cupertino pretende revelar o caminho da tecnologia para os próximos 10 anos, com os ensinamentos dos últimos 10 anos desde a apresentação do iPhone original. Pouco restava para conhecer deste modelo, depois de os rumores dos últimos meses irem desvendado um pouco daquilo que é a estrela da Apple, hoje serviu quase somente como uma oficialização.

As câmaras traseiras são agora verticais, com a traseira totalmente em vidro e o ecrã a ocupar toda a frente com o recorte no topo, local onde ficam os sensores que não são poucos. As laterais são de aço inoxidável com um acabamento que parece contínuo com o vidro. O iPhone X é também resistente à poeira e à água.

O ecrã também sofreu alterações sendo agora Super Retina display, com umas incríveis 5.8 polegadas na diagonal (2436×1125 px com uma densidade de 458 ppi). O novo iPhone é o primeiro aparelho da Apple a usar um ecrã OLED. A demora na chegada deste tipo de ecrãs também foi justificada por Phil Schiller, o responsável do marketing da Apple justificou com o facto de este tipo de tecnologia ter até hoje defeitos não aceitáveis para a Apple, só agora corrigidos como era o caso do brilho e da precisão da cor.

 

O botão Home também desapareceu. Para o acordar basta apenas levantar ou tocar no ecrã uma vez. A navegação passou a ser por gestos, à lá Snapchat. Por exemplo, para ir para o ecrã inicial, basta deslizar de baixo para cima, funcionando assim em todo o sistema operativo. Para o gestor de tarefas basta deslizar para cima e segurar. Já para a Siri basta chamar por ela: “Hey Siri” em inglês ou “E aí Siri?” em português do brasil, já que a assistente da Apple continua sem chegar a Portugal em português, ou pressionar durante 2 segundos o botão lateral.

O desbloqueio do iPhone também foi alterado, dando uso à nova tecnologia agora estreada pela Apple o FaceID. A tecnologia faz uso de variados sensores, presentes no topo do aparelho e que incluem um sistema de câmaras TrueDepth, uma câmara infravermelha, iluminação flood, a câmara frontal, um projetor ponto a ponto e mais algumas tecnologias.

O FaceID funciona até mesmo em ambientes sem luz, graças aos sensores que trabalham em conjunto para reconhecer o rosto de uma pessoa. Quanto é registado um rosto o conjunto de sensores gera um modelo matemático único, cada vez que o iPhone é desbloqueado os modelos matemáticos são comparados. Tudo isto acontece numa fração de segundo, automaticamente e sem a perceção do utilizador. Isto é possível graças ao A11 Bionic, que incorpora hardware especializado em inteligência artificial, capaz de realizar mais de 600 milhões de operações num segundo.

O FaceID funciona independentemente se o utilizador mudar de corte de cabelo, usar óculos ou chapéu. Adaptando-se mesmo à medida que a barba cresce. A gigante de Cupertino afirmou mesmo que não é possível burlar o sistema com fotos ou máscaras 3D de Hollywood. Todos os dados ficam armazenados, à semelhança do TouchID, no Secure Enclave e todo o processo é feito localmente.

Comparando as taxas de erro (alguém sem ser o próprio conseguir desbloquear o aparelho), o TouchID apresenta uma taxa de 1 em cada 50.000, já o FaceID apresenta uma taxa de 1 em 1.000.000. O FaceID funciona também com o Apple Pay, basta dar dois cliques no botão lateral e olhar para o iPhone que o pagamento é realizado. À semelhança do TouchID as aplicações dos programadores poderão também usar a tecnologia.

Os Animojis também foram apresentados. O que é isto? Basicamente são um novo tipo de emojis, criados pela Appel e que através da tecnologia do FaceID emulam o rosto e até mesmo a voz. As câmaras do iPhone X são parecidas às do também novo iPhone 8 Plus, tirando a lente objetiva que passa dos f/2.8 para os f/2.4 para um melhor comportamento em ambientes de pouca luminosidade. As duas câmaras traseiras apresentam estabilização ótica. O flash True Tone usa agora a tecnologia Quad-Led que permite até duas vezes mais luz uniforme. Assim, como o 8 Plus este novo iPhone tem também disponível o modo Portrait Lightning, filma 4K a 60fps e 1080p a 240fps. A câmara frontal permite agora também usar o Modo Retrato.

Quanto à bateria do iPhone X, esta também sofreu alterações, com mais 2 horas em relação ao iPhone 7. A tecnologia de carregamento com o padrão Qi está também disponível neste modelo. É possível carregar até 3 produtos ao mesmo tempo (iPhone, AirPods e Apple Watch Series 3 por exemplo) na mesma base, a Apple apelidou-a de AirPower. Todos os dispositivos a carregar aparecem no ecrã inicial do iPhone X.

O iPhone X estará disponível em versões de 64GB e 256GB, tal como o iPhone 8, com preço de 1179€ e 1359€, respetivamente. A pré-venda tem inicio a 27 de outubro e este modelo chega ao mercado a 3 de novembro.

0 comments