WWDC

Conferência para programadores, anualmente em São Francisco.

A Apple acaba de anunciar que a sua Worldwide Worldwide Developers Conference edição 2020 vai arrancar no dia 22 de junho (muito mais tarde que em anos anteriores). A edição deste ano da conferência da Apple, onde normalmente são anunciadas as próximas versões dos softwares da empresa, vai acontecer pela primeira vez num novo formato digital, ao invés de ser um encontro físico num centro de convenções na zona da Califórnia. Isto acontece por conta da atual crise de saúde pública do Covid-19.

Assim poderá acompanhar a par e passo todos anúncios da Apple através da app Apple Developer ou no portal da Apple para os programadores disponível em developer.apple.com.

“A WWDC20 será a maior de todas, reunindo a nossa comunidade global de desenvolvedores de mais de 23 milhões de uma maneira sem precedentes por uma semana em junho para aprender sobre o futuro das plataformas da Apple”, disse Phil Schiller, vice-presidente sénior de Marketing Mundial da Apple. “Mal podemos esperar para nos encontrarmos online em junho com a comunidade global de desenvolvedores e partilhar com eles todas as novas ferramentas em que trabalhamos para ajudá-los a criar aplicações e serviços ainda mais incríveis. Estamos ansiosos para partilhar mais detalhes sobre a WWDC20 com todos, à medida que nos aproximamos deste evento emocionante.”

A empresa de Cupertino também anunciou o Swift Student Challenge, uma oportunidade para os jovens programadores demonstrarem a sua paixão pela programação criando um incrível Swift Playground sobre o tema à sua escolha. Os vencedores receberão um conjunto exclusivo de um casaco e pino da WWDC20. Esse desafio está aberto a estudantes de todo o mundo com idade mínima de 13 anos e começa desde já. Veja as declarações de Craig Federighi sobre a nova WWDC20 e o desafio da Apple para os jovens programadores.

“Os estudantes são parte integrante da comunidade de desenvolvedores da Apple e, no ano passado, a WWDC assistiu a mais de 350 desenvolvedores estudantes em 37 países diferentes”, disse Craig Federighi, vice-presidente sénior de Engenharia de Software da Apple. “Como esperamos ansiosamente pela WWDC20, embora o nosso encontro seja virtual este ano, queremos reconhecer e comemorar as contribuições criativas dos nossos jovens desenvolvedores de todo o mundo. Mal podemos esperar para ver esta próxima geração de pensadores inovadores transformar as suas ideias em realidade através do Swift Student Challenge. “

Vários leaks têm surgido nos últimos dias que apontam para as várias novidades do iOS 14, além de uma nova interface para o ecrã principal. 

A confirmarem-se estes rumores e leaks, certamente que teremos novidades muito interessantes no iOS 14 este ano. Com base nisso, e nos códigos encontrados nas primeiras betas do iOS 14, começaram a surgir conceitos bastante apetecíveis sobre o que eventualmente poderá ser a interface do futuro sistema operativo móvel da Apple.

Ao que tudo indica, a Apple estará a trabalhar numa nova interface de utilizador, fazendo uma mudança significativa nos iOS 14. Mudança que em boa verdade, será bem vinda para muitos utilizadores, pois ao longos dos anos os iOS não sofreu alterações muito significativas. Aliás um assunto que até foi comentado num dos nossos podcasts.

Como poderá ser a nova interface do ecrã principal?

Com base nos rumores publicados no 9to5Mac, Parker Ortolani do BuzzFeed, concebeu algumas ideias interessantes sobre o novo design e a sua utilidade.

Parker Ortolani

No conceito de Ortolani, o novo ecrã principal do  iOS 14 inclui uma barra de pesquisa Spotlight na parte superior. Além disso, também idealizou controlos segmentados que permitem aos utilizadores alternar entre uma lista alfabética de todas as apps instaladas no iPhone. No mesmo conceito, aparece uma uma lista das apps mais usadas recentemente, e uma lista que inclui apenas apps assinaladas a vermelho, que serão notificações que requerem atenção do utilizador.

Também mostra como as pastas poderiam ser exibidas nessa visualização em lista, podendo ser expandidas para visualizar as apps dentro delas.

Outro conceito foi apresentado pelo site italiano iSpazio, em que permite os utilizadores alternarem a exibição em lista, ou exibição em grade. Sendo possível alternar no topo do ecrã.

Além disso, no conceito publicado pelo iSpazio, é possível visualizar descrições resumidas em cada app da lista, como o número de mensagens não lidas na app Mensagens, ou o próximo evento marcado na app Calendário.

Outro conceito vem publicado pelo site appletld, em que basicamente entrelaça os dois conceitos citados acima:

Conceito de @appletld

Inegavelmente, são conceitos muito interessantes, mas não passam disso mesmo, e baseados no código encontrado nas primeiras betas do iOS 14. Não há como saber se realmente estas funcionalidades serão implementadas da forma como foram imaginadas.

Seja como for, estamos a poucos meses da WWDC 2020, onde a Apple deve apresentar o novo iOS 14. E este ano, o evento será transmitido apenas online, devido à pandemia do Coronavírus (Covid-19).

Assim sendo, fique atento às novidades dos iOS 14 aqui no iClub.

A Apple acaba de anunciar que a sua Conferência Anual de Programadores WWDC vai realizar-se como habitual em junho, no entanto, num novo formato digital. Esta medida é claramente relacionada à atual pandemia do novo Coronavírus (Covid-19). A marca da maçã junta-se a um alargado conjunto de empresas de tecnologia (Google, Facebook, Microsoft, etc) que está a ajustar a sua agenda por conta da doença.

“Estamos a entregar a WWDC 2020 em junho de uma maneira inovadora para milhões de programadores em todo o mundo, reunindo toda a comunidade em redor de uma nova experiência”, disse Phil Schiller, vice-presidente de Marketing Mundial da Apple. “A atual situação de saúde exigiu a criação de um novo formato WWDC 2020 que ofereça um programa completo com palestras e sessões online, oferecendo uma ótima experiência de aprendizagem para toda a comunidade de programadores, em todo o mundo. Partilharemos todos os detalhes nas próximas semanas. ”

Craig Federighi, vice-presidente de Engenharia de Software da Apple, prometeu grandes novidades para esta 31ª edição da conferência:

“Com todos os novos produtos e tecnologias em que estamos a trabalhar, a WWDC 2020 será grande”, disse Craig Federighi. “Espero que os nossos programadores ponham as mãos no novo código e interajam de maneiras totalmente novas com os engenheiros da Apple que constroem as tecnologias e estruturas que moldarão o futuro em todas as plataformas da Apple”.

A Apple aproveitou para anunciar também que vai doar 1 milhão de dólares às organizações locais de San Jose (cidade onde se tem realizado as últimas edições da conferência), para compensar a perda de receita associada como resultado do novo formato online do evento.

Resta-nos agora esperar pelas próximas semanas para se ficar a conhecer a agenda oficial da WWDC 2020. Para já, ficamos com a certeza que vai ser repleta de novidades! Espera-se que a Apple anuncie na abertura do evento os seus próximos sistemas operativos iOS 14, iPadOS 14, watchOS 7, macOS 10.16 e tvOS 14. Existe ainda a possibilidade de serem feitos anúncios de hardware, incluindo o novo MacBook Pro de 14″ e os “atrasados” iPhone 9 e os novos iPad Pro.

Continue a acompanhar o iClub para saber mais da WWDC 2020!

Não se sabe quando o novo surto de Coronavírus (COVID-19) ficará controlado e as empresas de tecnologia demonstram algum receio em realizar grandes eventos que movimentem multidões. Vejamos o caso da MWC Barcelona 2020 que foi cancelada em meados de fevereiro e agora o Facebook cancelou a sua conferência anual de programadores F8 marcada para maio.

Fora da tecnologia, um dos maiores eventos do ano, os jogos Olímpicos de Pequim que arrancavam a 24 de julho, provavelmente também não irão acontecer por conta do novo Coronavírus. O comité olímpico encontra-se a discutir o eventual cancelamento com a Organização Mundial de Saúde.

Com todo este cenário de cancelamentos de eventos e de medo generalizado, será que a Apple vai manter os planos da WWDC 2020? Neste momento, não existe nenhuma informação, mas é algo que deverá estar a ser discutido internamente na Apple. Visto que a sua conferência movimenta mais de 5000 programadores de todo o mundo.

O que a Apple poderá fazer é ter a keynote de abertura no Auditório Steve jobs, no Apple Park, em Cupertino, ao invés de usar o McEnery Convention Center. Isto faria com que os anúncios fossem feitos na mesma e o ambiente fosse ainda mais controlado, não havendo a necessidade de ter tanta gente na plateia da apresentação. Já as talks dedicadas a novas funcionalidades e aos sistemas operativos em particular poderiam decorrer online.

Vamos ver como se vai desenrolar esta situação. A gigante de tecnologia deverá anunciar nas próximas semanas os seus planos para a conferência e o iClub estará atento para o informar em primeira mão.

O Podcast do iClub está de volta! A WWDC 2017 foi o tema central da conversa, com especial destaque para os novos softwares, iOS 11, macOS High Sierra, watchOS 4 e tvOS 11.

O Podcast do iClub está ligado à comunidade Apple. Mais do que as notícias e as visões pessoais sobre os assuntos mais recentes temos ainda dicas exclusivas e muitas surpresas. O Podcast do iClub chegou para o ajudar a tirar o máximo proveito do seu iPhone, iPad, Mac, Apple Watch e Apple TV e divulgar projetos nacionais interessantes, que envolvam tecnologias igualmente interessantes e pioneiras. O podcast está disponível para download via iTunesSoundCloud ou no Youtube.

Participantes:

Phill Schiller, VP de Marketing da Apple, e Craig Federighi VP de Engenharia de Software da Apple foram os convidados desta semana do podcast “The Talk show” de John Gruber. O foco principal desta entrevista foi a WWDC, mais especificamente, alguns dos aspectos mais importantes anunciados durante a conferência.

A Apple costuma ser um relógio suíço no que toca ao início da keynote, mas hoje não foi o caso. Quando Tim Cook subiu ao palco já passava das 18:00. Depois do discurso inicial, onde o CEO da Apple realçou o quão inclusiva a WWDC é. Tim Cook dispensou depois as, já não tão habituais, novidades e mencionou que haveriam seis tópicos principais na keynote e hoje.

A primeira novidade foi o facto de a Amazon estar a chegar à Apple TV com o lançamento do Amazon Prime Video. Uma grande novidade e que pode ser um ponto positivo para a gigante de Cupertino, que afirmou que haverá mais novidades no final do ano.

A segunda foram as novidades do watchOS que chega à versão 4.0. A nova versão tem novas Watch Faces, uma delas relacionada com a Siri que mostra as informações mais relevantes em determinado momento usando machine learning, para além desta o Toy Story está também a chegar ao Apple Watch. A aplicação Atividade também foi atualizada e para além da motivação personalizada, dá agora desafios mensais a cada utilizador. A aplicação Workout tem uma nova interface, permite definir as bordas da piscina no modo de natação, tem um modo com múltiplos exercícios numa só sessão e vai ser possível sincronizar os dados com as máquinas do ginásio.

Depois foi a vez de Craig Federighi subir ao palco para relatar as novidades no novo macOS. Em primeiro lugar, o nome. Esta versão macOS será chamada de High Sierra, já que não há grandes novidades mas apenas aprimoramentos e afincamentos ao seu antecessor. No Safari temos agora bloqueio da reprodução automática de som quando visitamos um website e, usando machine learning, prevenção de tracking pela web. No Mail temos agora uma melhor integração com o Spotlight, o Split View na janela de escrita e uma redução de 35% no espaço ocupado pelos seus emails. No Photos temos agora, finalmente, a sincronização das caras identificadas por todos os dispositivos, a edição aprimorada de fotos e a sincronização automática com outras aplicações de edição. Para além disto, o APPFS, sistema de ficheiros proprietário da Apple, já presente no iOS chega a partir desta versão também ao macOS. Para além disto, foram anunciadas mais novidades relacionadas com performance e VR mas específicas para programadores. O beta público desta versão estará disponível no fim de junho para Macs posteriores a 2010.

A quarta novidade foi apresenta pelo Vice-Presidente sénior de Hardware da Apple. A Apple atualizou a sua linha de iMac com um melhor ecrã, os novos processadores da linha Kaby Lake de sétima geração da Intel e até 64gb de RAM para o modelo de 27 polegadas. Os novos modelos contam ainda com entradas USB-C. Os MacBook Pro e MacBook também foram atualizados com os novos processadores Kaby Lake e o preço do modelo de 13 polegadas foi reduzido em cerca de 200$, passando agora a custa 1299$ nos EUA. A Apple apresentou ainda um sneak-peak do que vai ser o iMac Pro, uma nova linha de iMac focada no mercado profissional. No modelo mais caro terá um processador Xeon de 18 cores, uma Radeon Vega Graphics com 64GB e custará a partir de 4999$ quando chegar ao mercado em dezembro. O novo computador será em Space Gray, com um rato e teclado também nessa cor a acompanhar.

Depois foi a vez do iOS 11, uma versão cheia de novidades. Na aplicação Messages teremos agora as aplicações no fundo e as mensagens sincronizadas automaticamente entre todos os dispositivos. O Apple Pay permite agora pagamentos de pessoa para pessoa, ficando o dinheiro no cartão Apple Pay Cash que depois poderá ser usado para compras ou levantado. O Control Center foi totalmente redesenhado e tem agora mais informação e ocupada a totalidade do ecrã. Mas as maiores novidades foram na App Store, Phil Schiller subiu ao palco para nos mostrar a nova versão. A aplicação foi totalmente redesenhada (parecida com a interface do Apple Music) e agora temos uma nova aba Today que apresenta novidades e artigos sobre aplicações, uma aba só para jogos e uma aba só para aplicações. As In-App-Purchases podem ser diretamente compradas dentro da loja. Para além disto, foi ainda apresentado uma API de Machine Learning para programadores e o ARKit, uma plataforma para programadores usarem AR no iPhone sem grande esforço.

Tivemos também direito a novos produtos no que toca ao iPad. A gigante de Cupertino lançou um novo iPad Pro de 10.5″ com o mesmo tamanho do de 9.7″ (bordas mais finas), ecrã True Tone, um processador A10X Fusion, 10 horas de bateria, uma câmara traseira de 12MP  com estabilização ótica e uma câmara frontal de 7MP. Os modelos de entrada terão 64GB e custarão 649$ para o de 10.5″ e 799$ para o modelo de 12.9″. As vendas começam hoje.

Craig Federighi voltou a subir ao palco para apresentar as novidades do iOS 11 mas, desta vez focadas no iPad. O novo iOS é um conceito totalmente novo no que toca ao iPad. Há agora uma Dock, semelhante à que encontramos no Mac e onde para além das nossas aplicações favoritas estão também presente sugestões das aplicações que mais usamos. Temos também um novo App Switcher com o Control Center integrado. O Drag and Drop chegou, finalmente ao iOS e já é possível fazer uso do recurso em todas as aplicações. Para além disso, há agora uma nova aplicação chamada Files que permite visualizar os ficheiros, semelhante ao Finder dos Mac, e pode ser integrada com serviços como iCloud, o Dropbox, o Box ou o Google Drive.

Por fim, mas não menos importante a grande novidade da keynote. Um produto totalmente novo apresentado pela Apple mas do qual já havia bastantes rumores. O HomePod é a aposta da Apple para concorrer com o Google Home e do Amazon Echo. O novo produto, que para além de reproduzir música está também integrado com a Siri. O processamento está acabo de um processador A8, igual ao do iPhone. O HomePod possui ainda integração com o Apple Music e permite reproduzir qualquer música do catálogo se tiver conta no serviço de streaming da Apple. Para além disso, a comunicação com a Siri é feita por voz (não possui nenhum ecrã) e podem ser feita perguntas como: “Quem está a cantar?” ou “Quero as músicas top desta semana”. Possui ainda funcionalidades de notícias, conversão de unidades, leitura de mensagens, reprodução de podcasts, lembretes, temporizadores, tradução e integração com o Apple HomeKit. O preço será de 349$ e estará disponível em dezembro nos EUA, no Reino Unido e na Austrália nas cores Space Gray e Branco.

A keynote de hoje foi muito densa, cheia de novidades importantes e interessantes que vão certamente causar impacto.

Na próxima segunda-feira, dia 5 de junho, arranca a WWDC, um dos maiores eventos tecnológicos do ano, voltado para a comunidade de programadores, as fantásticas aplicações que criam e as grandes plataformas de software da Apple.

Desta conferência saem habitualmente as novas versões dos seus sistemas operacionais, atualmente 4: macOS, iOS, watchOS, e tvOS. Se não fugir à regra, Craig Federighi deve fazer as honras da casa para apresentar o novo iOS 11 e o novo macOS 10.13. Assim como Kevin Lynch deverá subir ao palco e apresentar o watchOS 4. O tvOS deverá ficar, como habitualmente, para Eddie Cue.

iOS 11

Se em outros tempos o Mac assumia o lugar de destaque no software da Apple, hoje a realidade não é bem essa. O iOS ocupa esse lugar e por isso deve trazer mais uma leva de grandes novidades ao iPhone, iPad e iPod Touch. Entre as quais mudanças na interface, suporte a chamadas de grupo no FaceTime, um modo escuro, uma ampla gama de novas funções para iPad, como um modo multi-utilizador, e uma revisão no recurso multi-tarefa, e talvez até (pelo menos assim o espero) algo relacionado a realidade aumentada.

macOS 10.13

O sistema operativo para Mac deverá chegar à versão 10.13 e pouco (ou nada) se sabe relativamente a possíveis novas funções deste. A minha expectativa é que talvez exista uma expansão de mais serviços iCloud para o Mac e alterações ao software que trará mais paridade entre o iOS e macOS.

watchOS 4

O watchOS tem evoluído bastante e prova disso é a versão 3 que resolveu um dos problemas principais do relógio, a performance. É esperado que o sistema continue a evoluir e a ser corrigido, este update deve ser rico em correções, principalmente no outro calcanhar de aquiles do Apple Watch, o consumo da bateria. Para além disso o novo watchOS deve trazer ainda mais recursos ligados à Saúde.

tvOS

Quanto ao tvOS 11, é preciso que se diga que a Apple pouco fez nele desde que o apresentou em 2015 com a nova Apple TV. Este ano espera-se uma mudança mais a fundo no software, com novos recursos como suporte ao picture-in-picture, e ainda um modo multi-utilizador. E ainda talvez a acompanhar este anúncio a Apple anuncie mais conteúdo exclusivo, novas séries televisivas, e coisas do género, para a Apple TV. Quem sabe é desta que confirmam o serviço de streaming de filmes e séries…

Novos MacBook, o iPad Pro e uma coluna inteligente?

Quem sabe, para além de novos softwares, este ano a Apple não surpreenda com mais qualquer coisinha?

Segundo os rumores a Apple pode estar a planear lançar novas versões dos seus portáteis, MacBook 12″, MacBook Pro, é até MacBook Air. Atualizações que visam melhorias em componentes internos como processadores Intel de sétima geração Kaby Lake, e no MacBook Pro, estarão disponíveis modelos configurados com até 32GB de memória RAM.

Novos iPad Pro 10,5″, e 12,9″. Será que a Apple vai estragar o clima de suspense que envolve o próximo iPhone ao apresentar novos iPad Pro, com um design idêntico a este com um ecrã de ponta a ponta? Assim os rumores o têm indicado, mas também existem rumores de que o novo iPad 10,5″ pode ser bastante idêntico ao Pro de 9,7″, um pouco maior em altura e com bezels ligeiramente reduzidas, o que faz com o que o ecrã cresça possa crescer.

Que a Siri tem de ser melhorada, isso já todos sabem. E essa é também uma das expectativas para esta WWDC, mas e se ao fazê-lo a Apple também pretender dar mais um passo e fazer dela independente? Não é uma má ideia, até porque é uma estratégia já adoptada por várias tecnológicas como Google e Amazon, por exemplo. E os rumores apontam esse caminho para a Siri. Veremos é se será na WWDC que esse anúncio vai ocorrer.

Confesso, as horas, minutos, e segundos estão a passar e eu não podia estar mais ansioso! Tenho  a estranha sensação que apesar de achar que podemos saber quase tudo do que lá vai ser falado, ainda pouco ou nada se sabe sobre esta apresentação… Pois lá teremos de continuar a roermo-nos de curiosidade até segunda-feira, onde ficarão a descoberto todos os detalhes desta 28ª edição da WWDC!

Fiquem atentos, até porque o iClub garantidamente estará na linha da frente da divulgação, e acompanhamento de tudo o que for apresentado em San José na grande WWDC 2017.

A WWDC 2017 está mesmo à porta, e cada vez mais parece possível que este ano as atenções não estarão apenas voltadas para o software. O Digitimes avança que a Apple está a acelarar a produção dos próximos iPad Pro. O que significa que pode estar para breve o seu lançamento. Recorde-se que o famoso analista Ming-Chi Kuo, da KGI Securities, tem vindo a afirmar que existe uma enorme possibilidade, segundo ele “maior do que 70%” de a gigante de Cupertino revelar o novo iPad Pro de 10,5″ em junho na WWDC, com base no momento do aumento da produção.

E agora surgiram imagens de capas para os novos iPad Pro, o que sustenta esta teoria. Mas bom, creio que já devem estar cansados de ler coisas relacionadas à provável data de lançamento, por isso vamos aos detalhes de design. Porque se os rumores quanto à data de lançamento, e alguns pormenores dos aparelhos tem sido muitos, imagens de como serão, não existem. Era bom que houvesse um leak com renders do design dos iPad Pro, mas tal ainda não aconteceu, todavia, foram divulgadas supostas imagens de capas que fabricantes já estão a trabalhar para terem prontas a tempo do lançamento. E já nos revelam alguns pormenores interessantes:

Via 9to5Mac

Esta imagem acima anexada e partilhada pelo 9to5Mac sugere ao contrário do que era falado que o iPad Pro não deve manter as dimensões do atual de 9,7″, ou seja, apesar de o ecrã poder ocupar quase toda a parte frontal do equipamento, ele pode vir a ser ligeiramente maior em dimensões, não só do ecrã.

Via 9to5Mac

Na segunda imagem,  também partilhada pelo site 9to5Mac, apesar de não termos qualquer ideia das proporções, parece-me, e volto a repetir, parece-me, que no caso do iPad Pro 12,9″ a capa é ligeiramente mais pequena. Isto pode ser por causa da diminuição das bordas do ecrã.

Deixem-me repetir, porque nunca é demais fazê-lo quando a base de um artigo são rumores, que é preciso ter em atenção que rumores são apenas isso, rumores. Não são a garantia de que algo vá acontecer. E já com este iPad Pro se passou isso em março passado, quando rumores sugeriam que o lançamento deveria ocorrer por essa altura.