Eventos

A Apple acaba de disponibilizar, o evento completo que se realizou ontem no novíssimo Steve Jobs Theater no seu novo campus.

No evento a gigante norte-americana apresentou as suas “novidades” cujos rumores já tinham previamente dissecado quase na sua totalidade. Estamos a falar de um novo modelo de Apple Watch, uma Apple TV 4K, o iPhone 8 e 8 Plus e o novo modelo iPhone X.

Se não tiveste a oportunidade de ver o evento ao vivo ou de acompanhar a nossa cobertura, então tens aqui no iClub a terceira melhor solução.

[videojs_hls url=”https://p-events-delivery.akamaized.net/17oiubaewrvouhboiubasdfv09/m3u8/hls_vod_mvp.m3u8″ inline=”true”]

Se perdeu ou apenas quer rever os detalhes dos vídeos apresentados durante o evento de hoje, a Apple já os disponibilizou no seu canal do Youtube. Veja em baixo a playlist completa com os vídeos.

 

A “one more thing” do evento de hoje foi o iPhone X. Segundo Tim Cook, CEO da Apple, a gigante de Cupertino pretende revelar o caminho da tecnologia para os próximos 10 anos, com os ensinamentos dos últimos 10 anos desde a apresentação do iPhone original. Pouco restava para conhecer deste modelo, depois de os rumores dos últimos meses irem desvendado um pouco daquilo que é a estrela da Apple, hoje serviu quase somente como uma oficialização.

As câmaras traseiras são agora verticais, com a traseira totalmente em vidro e o ecrã a ocupar toda a frente com o recorte no topo, local onde ficam os sensores que não são poucos. As laterais são de aço inoxidável com um acabamento que parece contínuo com o vidro. O iPhone X é também resistente à poeira e à água.

O ecrã também sofreu alterações sendo agora Super Retina display, com umas incríveis 5.8 polegadas na diagonal (2436×1125 px com uma densidade de 458 ppi). O novo iPhone é o primeiro aparelho da Apple a usar um ecrã OLED. A demora na chegada deste tipo de ecrãs também foi justificada por Phil Schiller, o responsável do marketing da Apple justificou com o facto de este tipo de tecnologia ter até hoje defeitos não aceitáveis para a Apple, só agora corrigidos como era o caso do brilho e da precisão da cor.

 

O botão Home também desapareceu. Para o acordar basta apenas levantar ou tocar no ecrã uma vez. A navegação passou a ser por gestos, à lá Snapchat. Por exemplo, para ir para o ecrã inicial, basta deslizar de baixo para cima, funcionando assim em todo o sistema operativo. Para o gestor de tarefas basta deslizar para cima e segurar. Já para a Siri basta chamar por ela: “Hey Siri” em inglês ou “E aí Siri?” em português do brasil, já que a assistente da Apple continua sem chegar a Portugal em português, ou pressionar durante 2 segundos o botão lateral.

O desbloqueio do iPhone também foi alterado, dando uso à nova tecnologia agora estreada pela Apple o FaceID. A tecnologia faz uso de variados sensores, presentes no topo do aparelho e que incluem um sistema de câmaras TrueDepth, uma câmara infravermelha, iluminação flood, a câmara frontal, um projetor ponto a ponto e mais algumas tecnologias.

O FaceID funciona até mesmo em ambientes sem luz, graças aos sensores que trabalham em conjunto para reconhecer o rosto de uma pessoa. Quanto é registado um rosto o conjunto de sensores gera um modelo matemático único, cada vez que o iPhone é desbloqueado os modelos matemáticos são comparados. Tudo isto acontece numa fração de segundo, automaticamente e sem a perceção do utilizador. Isto é possível graças ao A11 Bionic, que incorpora hardware especializado em inteligência artificial, capaz de realizar mais de 600 milhões de operações num segundo.

O FaceID funciona independentemente se o utilizador mudar de corte de cabelo, usar óculos ou chapéu. Adaptando-se mesmo à medida que a barba cresce. A gigante de Cupertino afirmou mesmo que não é possível burlar o sistema com fotos ou máscaras 3D de Hollywood. Todos os dados ficam armazenados, à semelhança do TouchID, no Secure Enclave e todo o processo é feito localmente.

Comparando as taxas de erro (alguém sem ser o próprio conseguir desbloquear o aparelho), o TouchID apresenta uma taxa de 1 em cada 50.000, já o FaceID apresenta uma taxa de 1 em 1.000.000. O FaceID funciona também com o Apple Pay, basta dar dois cliques no botão lateral e olhar para o iPhone que o pagamento é realizado. À semelhança do TouchID as aplicações dos programadores poderão também usar a tecnologia.

Os Animojis também foram apresentados. O que é isto? Basicamente são um novo tipo de emojis, criados pela Appel e que através da tecnologia do FaceID emulam o rosto e até mesmo a voz. As câmaras do iPhone X são parecidas às do também novo iPhone 8 Plus, tirando a lente objetiva que passa dos f/2.8 para os f/2.4 para um melhor comportamento em ambientes de pouca luminosidade. As duas câmaras traseiras apresentam estabilização ótica. O flash True Tone usa agora a tecnologia Quad-Led que permite até duas vezes mais luz uniforme. Assim, como o 8 Plus este novo iPhone tem também disponível o modo Portrait Lightning, filma 4K a 60fps e 1080p a 240fps. A câmara frontal permite agora também usar o Modo Retrato.

Quanto à bateria do iPhone X, esta também sofreu alterações, com mais 2 horas em relação ao iPhone 7. A tecnologia de carregamento com o padrão Qi está também disponível neste modelo. É possível carregar até 3 produtos ao mesmo tempo (iPhone, AirPods e Apple Watch Series 3 por exemplo) na mesma base, a Apple apelidou-a de AirPower. Todos os dispositivos a carregar aparecem no ecrã inicial do iPhone X.

O iPhone X estará disponível em versões de 64GB e 256GB, tal como o iPhone 8, com preço de 1179€ e 1359€, respetivamente. A pré-venda tem inicio a 27 de outubro e este modelo chega ao mercado a 3 de novembro.

Tim Cook começou da melhor maneira possível a apresentação daquele que é o sucessor do iPhone 7. “Nada na indústria deu tanto poder às pessoas como o iPhone”. E se pararmos para pensar, a conclusão é que a frase é mesmo verdadeira. Segundo a Apple a evolução dos últimos 10 anos de iPhone levou à apresentação do novo iPhone 8.

Quem subiu ao palco para os apresentar foi Phill Schiller, o homem forte do marketing mundial da Apple. Os novos modelos 8 e 8 Plus trazem um design novo, com vidro tanto na frente como na traseira do aparelho com as já habituais cores: prateado, cinza espacial e dourado, esta última com um novo tipo de acabamento. Mas, como em tudo na Apple, não é um vidro qualquer, é mais durável do que qualquer outro vidro presente num smartphone. O ecrã, com respetivamente 4.7 polegadas e 5.5 polegadas com a mesma resolução do modelo 7 trazem a tecnologia estreada no iPad, o TrueTone que ajusta o ecrã conforme as condições de luz.

No que toca ao interior, temos um novo processador A11 Bionic, com um design de 6 núcleos capaz de uma performance ainda maior com um menor consumo de energia. Estes 6 núcleos funcionam independente entre si, melhorando a perfomance em mais de 40%. O GPU, ou placa gráfica é a estreia da Apple. A partir de agora é a gigante de Cupertino que desenha os GPUs para os seus aparelhos, acabando assim o controverso relacionamento com a Imagination Tecnhologies. O novo processador gráfico é 30% mais rápido e está otimizado para jogos e aplicações ainda mais complexos.

Quanto às câmaras também houveram novidades. A nova câmara do modelo de 4.7 polegadas traz um sensor de 12 megapixels com Processador de Sinais de Imagens aprimorado para melhores fotos com baixa luminosidade, com mais nitidez e menos ruído nas fotografias. Já o modelo de 5.5 polegadas, tem uma câmara dupla com dois sensores de 12MP, e aberturas f/1.8 e f/2.8 respetivamente. O modo Retrato foi aprimorado e há um novo modo disponível, o Portrait Lightning. Esta tecnologia deteta o rosto a fotografar e permitir editar tanto o rosto como o fundo separadamente dependo das luminosidades.

A gravação de vídeos também recebeu novidades já há muito pedidas. Segundo o próprio Phil Schiller, os novos modelos de iPhone têm a melhor qualidade de gravação já vista em qualquer smartphone. É possível capturar vídeos 4K a 60fps ou em câmara lenta a 240fps em 1080p. Para além disto, temos também a tecnologia de realidade aumentada. As câmaras são especialmente calibradas para a tecnologia, assim como o hardware.

E por falar em tecnologias do futuro, outra delas é o mundo sem fios. Os novos iPhone vêm equipados com Wi-Fi e novo Bluetooth 5.0 e o carregamento sem fios com o padrão QI, se bem que este último ainda não está disponível. O iPhone 8 está disponível em dois modelos, 64GB e 256GB, com um preço de 829€ e 939€ em Portugal, respetivamente. A pré-venda começa sexta-feira, dia 15 de setembro e o lançamento oficial será dia 22 de setembro, sexta-feira.

A Apple apresentou hoje a tão esperada nova Apple TV, com capacidade para 4K. Tim Cook chamou à adoção do 4K “ponto de inflexão” na televisão. A nova Apple TV é capaz de fazer streaming em 4K, colocando a gigante de Cupertino no mesmo ponto que Roku, Amazon e a Google, que já ofereciam produtos com suporte a esta definição. A nova TV estará disponível dia 22 de setembro por 199€ em Portugal com 32GB de capacidade e 219€ com 64GB de capacidade. A pré-venda começa dia 15 de setembro.

Para além do 4K, a Apple apresentou também o HDR na nova Apple TV. O “High Dynamic range” permite imagens mais brilhantes e com maior variedade de cores em televisões que também suportem a tecnologia. Uma coisa é certa, a diferença nota-se bem como mostrado durante a apresentação.

A interface do tvOS foi também redesenhada para incluir otimização 4K. A questão que fica é o conteúdo. Eddy Cue, o homem responsável por apresentar as novidades da Apple TV anunciou que os principais estúdios de Hollywood vão disponibilizar o seu conteúdo em 4K na iTunes Store. Os conteúdos em HD comprados pelos clientes vão ser atualizados gratuitamente para 4K HDR. Muito bom! O preço dos conteúdos mantém-se o mesmo que o preço dos HD.

Aplicações como Netflix ou a Amazon Prime vão também ficar disponíveis em 4K. A Apple TV vai também ser atualizada com foco em desporto em direto e notícias.

Quanto ao hardware, a atualização é enorme. O novo processador é o A10X Fusion (o mesmo do iPad Pro), com 3GB de RAM. A performance aumenta assim para o dobro em relação ao modelo anterior, garantindo assim a reprodução sem erros de conteúdo 4K a 60fps. A Apple TV de 4ª geração sem 4K está agora apenas disponível na versão de 32GB por 159€, em vez dos 179€ anteriores.

Depois do discurso inicial de Tim Cook sobre Steve Jobs e o porquê do novo auditório no Apple Park se chamar Steve Jobs Theater e de Angela Ahrends subir ao palco para apresentar as novidades das lojas da Apple que agora vão passar a ser chamadas “Apple Town Halls” e vão ter um novo design, foi a vez da apresentação do novo Apple Watch.

Tim Cook começou por referir que o Watch tem registado um crescimento de 50% ano após ano, colocando-o assim como o relógio mais vendido do mundo, à frente de novos como por exemplo a Rolex. Foi então a vez de Jeff Williams subir ao palco.

Depois de recapitular as novidades no watchOS 4, já anunciadas durante a WWDC17, Jeff referiu ainda uma nova atualização à aplicação de batimento cardíaco presente no Watch. A partir de agora para além do batimento em recuperação, a aplicação vai também mostrar o batimento em repouso. Para além disto, em colaboração com a FDA e a Universidade de Stanford a Apple vai usar os dados recolhidos pela aplicação para avisar os utilizadores sobre possíveis arritmias cardíacas avisando-as de seguida, numa iniciativa que a Apple apelidou de Apple Heart Study. O novo watchOS 4 fica disponível a 19 de setembro para todos os modelos.

Foi então a vez de apresentar o novo Apple Watch series 3. A grande novidade do relógio da gigante de Cupertino é o facto de ter dados móveis, ou seja, um cartão SIM eletrónico com o mesmo número do iPhone e que usa o ecrã como antena. A novidade vai permitir usar Watch sem a necessidade de um iPhone por perto, para por exemplo ouvir música nos seus AirPods.

Outras novidades incluem um novo processador 70% mais rápido e um novo chip W2, 80% mais rápido e que usa 50% menos bateria. Estes avanços permitiram que, por exemplo, agora a Siri fale também no Watch. Para além disto, o Series 3 inclui agora também um altímetro.

Para além disto, e como já é hábito foram apresentas novas pulseiras, uma nova cor dourada e um novo Watch de cerâmica na cor preta. A nova versão do relógio tem duas versão uma com dados móveis e outra sem. Em Portugal estará à venda a partir de dia 22 de setembro apenas o modelo sem dados móveis, com um preço a partir de 379€ para modelo de 38mm e 409€ para o modelo de 42mm. A pré-venda terá inicio dia 15 de setembro, sexta-feira.

A Apple apresenta hoje os novos modelos de iPhone. Phill Schiller subiu ao palco para destacar as novidades dos novos modelos de iPhone. Entre as quais, claro, estão a nova câmara dupla e um novo modo de iluminação.

Durante a demonstração, Phill Schiller mostrou uma foto tirada na ponte 25 de abril em Lisboa fazendo a brincadeira: “não, não é São Francisco é Portugal.”.

A outra foto mostra o resto de uma mulher no Bairro Alto.

Para além disto, na página de apresentação do iPhone X aparece também um vídeo do Terreiro do Paço.

 

A Apple está nos últimos preparativos para o lançamento do próximo iPhone, que comemora também o seu 10º aniversário. Os rumores apontam para que amanhã vejamos um novo iPhone sem bordas, com reconhecimento fácil em substituição do TouchID, ferramentas de realidade aumentada e melhorias no iOS 11.

A apresentação decorrerá amanhã, dia 12 de setembro no Steve Jobs Theater no novo Apple Park, o novo campus da empresa em Cupertino. O melhor sítio para acompanhar as novidades é aqui no iClub com artigos pormenorizados sobre os anúncios de amanhã e a nossa cobertura em direto no Twitter.

A keynote começa às 18:00 de dia 12 em Portugal. A Apple vai também disponibilizar cobertura em direto no seu site, contudo são necessárias algumas condições:

  • iOS 9.0 ou superior
  • Safari 6.0.5 ou superior e macOS 10.11
  • Microsoft Edge no Windows 10
  • Apple TV de 2ª ou 3ª geração com tvOS 6.2 ou superior ou Apple TV de 4ª geração

Fiquem ligados para a acompanhar as novidades!

Como esperado, a gigante de Cupertino apresentou esta terça-feira os resultados financeiros referentes ao período Q3 2017, fechado a 1 de julho. Com uma receita de 45,5 mil milhões de dólares e lucros de 8,72 mil milhões de dólares.

Neste trimestre destacam-se a ligeira subida nas vendas de iPad, com 11,4 milhões de unidades vendidas. E a continuidade no crescimento dos serviços, com vendas de 7,26 mil milhões de dólares.

A procura por iPhone subiu face ao trimestre hómologo, com 41 milhões de unidades vendidas.

Tim Cook elogiou o aumento da receita e ainda o recorde trimestral na receita dos Serviços:

Com uma receita de 7% em relação ao ano anterior, estamos felizes em reportar o nosso terceiro trimestre consecutivo de crescimento acelerado e um recorde trimestral trimestral na receita dos serviços”, disse Tim Cook, CEO da Apple. “Nós organizámos uma  Worldwide Developers conference, altamente bem sucedida em junho, e estamos muito entusiasmados com os avanços no iOS, macOS, watchOS e tvOS que chegarão no outono.

E o CFO da Apple, Luca Maestri, destacou o crescimento de 17% no lucro por ação:

Nós divulgámos crescimentos em unidades e receita em todas as nossas categorias de produtos no trimestre de junho, gerando um crescimento de 17% em ganhos por ação. Também devolvemos 11,7  mil milhões a investidores durante o trimestre, levando os retornos de capital cumulativos dentro do nosso programa para quase 223 mil milhões.

Para o quatro trimestre fiscal a Apple prevê os seguintes resultados:

  • Receita entre 49 mil milhões de dólares e 52 mil milhões de dólares
  • Margem bruta entre 37,5% e 38%.
  • Despesas operacionais entre 6,7 mil milhões e 6,8  mil milhões de dólares.
  • Outras receitas / (despesa) de 500 milhões de dólares.
  • Taxa de imposto de 25,5%.

O Podcast do iClub está de volta! A WWDC 2017 foi o tema central da conversa, com especial destaque para os novos softwares, iOS 11, macOS High Sierra, watchOS 4 e tvOS 11.

O Podcast do iClub está ligado à comunidade Apple. Mais do que as notícias e as visões pessoais sobre os assuntos mais recentes temos ainda dicas exclusivas e muitas surpresas. O Podcast do iClub chegou para o ajudar a tirar o máximo proveito do seu iPhone, iPad, Mac, Apple Watch e Apple TV e divulgar projetos nacionais interessantes, que envolvam tecnologias igualmente interessantes e pioneiras. O podcast está disponível para download via iTunesSoundCloud ou no Youtube.

Participantes: