macOS

A nossa redação teve oportunidade de testar nos últimos dias o programa CleanMyMac X da MacPaw. Apesar do nome ser já um indicativo das potencialidades deste programa, a verdade é que nem de perto imaginávamos o que ele realmente é capaz de fazer. 

Estamos a falar de um programa que condensa as funcionalidades de limpeza do Mac, procura e remoção de malware, optimização do desempenho do sistema, gestor de aplicações, desinstalador, triturador, etc… É quase incontável o número de funcionalidades que ele tem para nos oferecer!

Ficámos completamente rendidos ao programa! Fique a conhecer aquilo que mais gostámos de usar:

Análise Inteligente

É das melhores funcionalidades do CleanMyMac X! A Análise Inteligente permite-lhe executar três processos de uma só vez, são eles, limpeza do Mac, procura por malware e optimização do desempenho do sistema, carregando apenas num único botão.

Atalhos na barra do Mac

A partir da barra do Mac poderá aceder a um útil menu de atalhos rápidos do programa para algumas funcionalidades, das quais destacamos, a possibilidade de libertar algum espaço no disco, dados detalhados do consumo da bateria, velocidade de rede, gestão da memória RAM, etc.

Optimização da velocidade da máquina

Tem saudades da potência que o seu Mac apresentava quando o comprou? O CleanMyMac X trabalha muito bem a optimização da velocidade da máquina a nível do software. Por exemplo, a executar a libertação de memória RAM, liberar espaço purgável, esvaziar cache do DNS, entre outros.

Triturador

Apesar do Mac ter um “caixote do lixo”, quando o esvaziamos nem sempre o disco fica limpo como desejávamos! Fica sempre algum resíduo e caso queira guardar alguma privacidade de um ficheiro, é só fazer uso do triturador. Seleciona o que pretende apagar através do programa e ele faz o trabalho todo sozinho! Simples e eficaz.

Remoção de malware

Aquela velha máxima de que “Macs não apanham vírus” está completamente desatualizada! Mais do que nunca tem que ter cuidado quando navega na selva que é a internet. Por isso, o CleanMyMac X apresenta-lhe soluções avançadas para examinar e eliminar as ameaças alojadas no computador.

Sempre atualizado – com suporte à ultima versão do macOS Catalina!

O CleanMyMac X é um programa totalmente compatível com a mais recente versão do macOS, o macOS Catalina. O programa está em constante evolução e aquilo que podemos ver neste momento é um produto maduro, extremamente útil, que ajuda os utilizadores a fazerem melhor proveito da sua máquina e o mais essencial a torná-la mais segura.

Estes são apenas alguns destaques das muitas funcionalidades que este software nos disponibiliza. Torna-se assim uma mais valia com um excelente custo/benefício.

Assim, aconselhamos vivamente a compra de uma licença, aliás a MacPaw (desenvolvedora do programa) oferece duas opções, uma de assinatura anual e outra de compra única. No caso da assinatura anual estamos a falar de um valor a partir de 39,95€/ano para um único Mac. Se estiver interessado na compra única poderá adquiri-lo a partir de 89,95€ também para um Mac. Caso pretenda a licença para mais computadores poderá usufruir de descontos.

E você, já conhecia o CleanMyMac X? Deixe-nos o seu feedback nos comentários.

O Chrome é sem dúvida um bom browser. Tem bastantes funcionalidades, extensões para tudo e mais alguma coisa e permite ainda sincronizar os nossos dados por vários perfis. Contudo, tem um grave defeito que tem vindo a ser corrigido nas últimas versões mas que ainda é um problema. A memória. Há vários relatos pela internet fora onde os utilizadores reportam usos de 4GB ou até mais. A boa notícia? Há muita vida para além do Chrome.

Vivaldi

O Vivaldi é um browser criado por elementos da equipa que trabalharam no Opera e é totalmente personalizável. A primeira vez que abrir o browser vai-lhe ser pedido para escolher entre seis layouts diferentes, quatro posições para a barra superior e oito imagens de fundo para a página de início. Isto tudo, antes de começar a navegar. O Vivaldi é tudo aquilo que alguém que gosta de personalizar a sua experiência precisa. Este browser é compatível com as extensões do Chrome, Firefox e Opera, contudo podem ocorrer incompatibilidades.

Opera

O Opera é um browser bastante antigo. Contudo isso não o impede de continuar a apresentar novidades e a um ritmo que quase ninguém consegue acompanhar. Algumas das melhores funcionalidades do Opera são, sem dúvida, o “Turbo Mode” que permite comprimir as páginas web para fazer os sites mais rápidos, o bloqueador de publicidade já embutido e o cliente VPN totalmente gratuito e que permite mudar de localização com apenas um clique. Um ponto negativo são as extensões, apesar de a loja ter bastante escolha não chega aos calcanhares da loja do Chrome.

Brave

O Brave modifica a forma como se monetiza a internet. Ele bloqueia anúncios intrusivos mas mostra no lugar destes anúncios mais relevantes e que não rastreem o utilizador. O fundador do Brave, um dos co-fundadores da Mozilla e o criador do JavaScript, disse que este novo produto é duas a quatro vezes mais rápido na sua versão mobile e 50% mais rápido na versão desktop. Este browser é compatível com as extensões do Chrome.

*Artigo atualizado pela nossa redação a 20 de fevereiro de 2020. Ano original da publicação: 2016

Apesar de parecer um simples pedaço de vidro cinzento, o Trackpad multitouch dos computadores Mac, com ou sem Force Touch, é extremamente versátil, permitindo facilitar operações tão diversas como rodar imagens, mudar de página, alterar a ampliação de um documento, manipular o Mission Control ou afastar todas as janelas para mostrar os ficheiros presentes na Secretária. Parece algo muito complicado?…

O Trackpad disponibiliza muitas funcionalidades diferentes, e nem todas imediatamente óbvias e aparentes. Algumas são ativadas através de um simples clique ou toque, outras são-no através de gestos realizados na sua superfície, com um ou mais dedos. Nos modelos mais recentes, com tecnologia Force Touch, o próprio nível de pressão que aplicamos na superfície do Trackpad é levada em conta, podendo ativar funções diferentes. Muitos utilizadores, no início, podem sentir-se mesmo um pouco desconfortáveis, com esse Trackpad que parece não ter uma forma de fazer o clique do botão direito do rato, ou o movimento de “scroll”, ou que de repente começa a mover ou alterar coisas no ecrã de uma forma inesperada.

Por ser um elemento de interface de utilizador tão complexo, o aproveitamento do seu enorme potencial depende de uma breve aprendizagem inicial e de uma configuração adequada às capacidades e preferências do utilizador. Mas isso acaba até por ser, afinal, surpreendentemente simples, já que a Apple teve a ideia de criar no macOS um painel de preferências muito especial para o Trackpad. Esse painel permite, por um lado, personalizá-lo, ajustando ou mesmo desativando certas opções para o adequar melhor a cada utilizador. Mas, sobretudo, permite aprender rapidamente, através de pequenos vídeos, como realizar o gesto certo para conseguir um determinado resultado.

Para utilizar esse painel e conhecer todas as funcionalidades do seu Trackpad, basta aceder a Menu  > Preferências do Sistema > Trackpad:

De referir que a aparência e funções disponíveis nesse painel de preferências varia conforme o modelo de cada Mac, sendo sempre mostradas apenas as opções aplicáveis ao tipo de Trackpad presente nesse modelo específico.

Agora, basta visualizar os vídeos de cada um dos gestos e experimentar reproduzir você mesmo(a) no Trackpad do seu computador. Verá que em muito pouco tempo uma boa parte deles ficarão mais fáceis e intuitivos. E já sabe, se algum desses gestos continuar a não lhe parecer fácil de memorizar ou executar, ou se simplesmente não gostar, pode sempre desativar nas preferências, deixando ativos apenas aqueles que pretende utilizar.

A popularidade do Mac tem vindo a aumentar entre os hackers, temos tido ataques constantes aos produtos da Apple. E fica a questão: será que precisamos de um antivírus para o nosso Mac? Uma das primeiras coisas que ouvimos quando compramos um Mac é que estes dispositivos não precisam de funcionar com qualquer tipo de antivírus. Poderia ser uma realidade, mas esse tempo já passou.

A segurança e a privacidade é um assunto que devemos levar muito a sério, é algo que não deve ser ignorado. Os hackers cada vez mais possuem novas técnicas, muitas vezes tecnologia que nem sequer imaginamos para obterem informação. Por mais que pense “não tenho nada a esconder“, “não tenho nada de relevante dentro do meu computador“, engane-se se pensa que a informação dentro do seu computador não é relevante seja para quem for.

A segurança informática deve ser levada a sério, uma simples cópia do Cartão de Cidadão, ou até um simples documento com o número do cartão de crédito é informação mais do que sensível e relevante para se justificar a segurança total do nosso Mac.

Se está preocupado com a segurança dos seus dados e até mesmo com a segurança do seu Mac e não vai na conversa de que “os Mac não precisam de antivírus“, aqui ficam algumas soluções recomendadas:

BitDefender

O BitDefender é um dos antivírus mais conceituados para Mac. Funciona sempre em segundo plano e está continuamente à procura de anomalias, quando digo anomalias refiro-me a malware. A empresa responsável pelo BitDefender oferece aos seus clientes pacotes que protegem todos os dispositivos.

Intego Mac Internet Security

Tal como o anterior o Intego Mac Internet Security também funciona em vários Macs ao mesmo tempo. Este software oferece ao cliente proteções contra malware, phishing e muito mais. Também funciona em segundo plano mantendo o computador sempre protegido. Mas a Empresa ainda vai mais longe, para garantir que a satisfação dos clientes é garantida, possuem ainda um pacote para quem utiliza dual-boot. Ou seja, o Intego Mac Internet Security está disponível para quem utiliza macOS e Windows em simultâneo.

Kaspersky

Este possui um nome que por vezes ainda tenho alguma dificuldade em pronunciar. Mas mesmo assim o Kaspersky é um dos mais famosos do mundo e mais conceituados tal como o BitDefender.  O Kaspersky oferece aos seus clientes protecção contra malwares e a possibilidade de efetuar navegação privada. Oferece ainda um pouco mais que os seus concorrentes como por exemplo segurança para a nossa iSight, segurança contra ataques de rede entre outros.

Malwarebytes

Malwarebytes é um do produtos recomendados pela própria Apple para quem quer garantir a segurança do seu Mac. Este software existe em versão trial e pode testar o mesmo durante um determinado período de dias gratuitamente. Em relação a este software não há muito a dizer, se a própria Apple o recomenda é porque na realidade é bom.

Pense duas vezes quando achar que não possui nada de relevante ou que seja vulnerável para a sua segurança.

*Artigo atualizado pela nossa redação a 16 de fevereiro de 2020. Ano original da publicação: 2016

Fazer capturas de ecrã num Mac sempre foi uma tarefa fácil, existindo opções para efetuar uma captura de ecrã por completo, de apenas uma seleção, ou de uma janela/menu. No entanto estas funcionalidades apresentavam pouco feedback visual, e era necessário conhecer todos os atalhos de teclado. Com o macOS Mojave estas funcionalidades foram unidas num único menu com também outras opções, como a gravação de ecrã.

Para aceder a este novo menu basta pressionar a combinação de teclas Shift+Comando (⌘)+5. Surgirá um pequeno menu com as várias opções disponíveis. Os primeiros três itens representam as opções de captura de ecrã, captura de seleção, e captura de janela, os dois itens seguintes representam as novas opções para efetuar uma gravação de ecrã, ou uma gravação de uma seleção no ecrã. A possibilidade de gravação de ecrã também já existia no macOS, mas deixa de ser necessária a utilização da aplicação QuickTime para esse efeito, o que acaba por tornar o processo de gravação mais simples e prático.

O que esta funcionalidade traz de novo encontra-se no menu de opções, anteriormente as capturas de ecrã eram sempre automaticamente guardadas na secretária, agora é possível escolher onde queremos armazenar tais capturas. Outras opções da captura de ecrã incluem um temporizador, para atrasar a captura em até 10 segundos. Mostrar uma pequena pré-visualização pós captura, ou optar por incluir ou excluir o ponteiro do rato da imagem capturada.

A janela de pré-visualização não é apenas um efeito visual, quando esta surge após a captura, é possível arrastá-la para a localização em que desejamos a imagem, seja para o Finder, ou para uma nova mensagem de e-mail ou documento. Ao clicar sobre esta pré-visualização a imagem capturada é aberta e pode assim ser facilmente editada ou partilhada.

As opções são contextuais e a gravação de ecrã também apresenta opções tais como, temporizador para início da gravação, escolha de microfone, ou de outra fonte de áudio, local de armazenamento, ou destaque dos cliques do rato. A pré-visualização pós gravação também está disponível com uma funcionalidade semelhante à da captura de ecrã, em que é possível clicar para encurtar a gravação ou partilhá-la.

As opções de captura que já existiam em versões anteriores do sistema operativo podem continuar a ser utilizadas como anteriormente, utilizando para isso as mesmas combinações de teclas.

*Artigo atualizado pela nossa redação a 13 de fevereiro de 2020. Ano original da publicação: 2018

Uma das funcionalidades mais práticas do macOS é a Vista rápida. Esta funcionalidade permite a pré-visualização de ficheiros sem que seja necessário ter de os abrir na aplicação designada. Apesar desta funcionalidade já existir desde o Mac OS X Leopard, a mesma tem vindo a ser refinada e integrada com outras funcionalidades nas novas versões do sistema operativo da Apple. A partir do macOS Mojave foram adicionadas mais ferramentas de marcação, para editar ficheiros de uma forma conveniente.

A Vista rápida para além da sua funcionalidade fundamental também permite a partilha dos ficheiros que se encontram a ser visualizados, visualizar múltiplos ficheiros simultaneamente, pré-visualizar em ecrã completo, e fazer edições rápidas.

Vejamos então como utilizar estas funcionalidades:

Para abrir a janela de vista rápida, selecione um ficheiro no Finder e prima a barra de espaço. No topo desta janela são apresentadas opções para visualizar em ecrã completo (esta função encontra-se ao lado do botão Fechar), Abrir com [Aplicação] e botão de partilha. No caso de o ficheiro a ser visualizado se tratar de uma imagem ou vídeo, também será apresentada a função de rodar, que permite corrigir ou alterar a sua orientação. A opção de partilha permite por exemplo, anexar rapidamente o ficheiro a uma nova mensagem iMessage ou de e-mail, ou enviar o mesmo através de AirDrop.

A Vista rápida é também útil para pré-visualizar múltiplos ficheiros. Quando um ficheiro se encontra aberto na vista rápida, basta pressionar as teclas direcionais, para navegar por todos os elementos da pasta em que nos encontramos atualmente. É possível também selecionar múltiplos ficheiros e depois acionar a vista rápida, desta forma é possível pré-visualizar todos os elementos em modo de grelha clicando no botão índice que surge no topo da janela, ou utilizando a combinação de teclas Comando + Enter.

A partir do Mojave tornou-se possível também utilizar as mencionadas ferramentas de marcação, para aceder a estas ferramentas basta clicar na ferramenta Marcação. Esta funcionalidade permite desenhar, anotar imagens, e documentos PDF utilizando setas, formas, e texto. É também possível acrescentar a sua assinatura digital ao documento. Se o ficheiro selecionado se tratar de um vídeo surgirá uma opção para que possa encurtar a duração do mesmo. Para o fazer basta após clicar nesta opção, arrastar as margens delimitadas pelo rebordo amarelo para obter a duração desejada, e, após isso, pressionar o botão OK, em seguida escolha se pretende substituir o ficheiro original ou criar um novo.

*Artigo atualizado pela nossa redação a 10 de fevereiro de 2020. Ano original da publicação: 2018

O Mission Control é uma das melhores funcionalidades do macOS, na medida em que nos permite ter diversos “espaços” ou ecrãs virtuais para organizar as nossas aplicações. O uso desta funcionalidade pode ser algo confuso para quem nunca utilizou uma funcionalidade semelhante, e a forma como esta se comporta na sua configuração padrão pode não ser a mais apropriada para cada utilizador. Na realidade o uso do Mission Control é muito simples, ao abrir esta aplicação (o Mission Control é também uma aplicação) que pode por exemplo, ser facilmente encontrada no Launchpad, surge uma barra no topo com pequenos ecrãs virtuais, após isto basta arrastar as janelas que se encontram abertas no espaço atual para um desses espaços, assim poderemos ter ecrãs virtuais com as aplicações organizadas de uma forma que possa fazer mais sentido para os nossos propósitos.

Um exemplo de utilização seria ter no primeiro espaço o nosso browser e editor de texto, para uns apontamentos, no segundo a nossa aplicação de e-mail que se encontra a ocupar todo o ecrã, e no terceiro o nosso reprodutor de música, como o iTunes. Nota: se não existirem espaços criados os mesmos podem ser facilmente adicionados clicando no botão + no canto superior direito.

Qual a vantagem de ter espaços virtuais?

Num computador portátil Mac basta deslizar 3 dedos no trackpad para deslizar de espaço em espaço, e o mesmo é possível num Mac de secretária com um Magic Mouse ou Magic Trackpad. Assim mantém-se as aplicações abertas nas posições em que as pretendemos sem ser necessário minimizar ou ter aberta uma panóplia de janelas num único ecrã como aconteceria se não estivéssemos a utilizar esta funcionalidade.

Enquanto utilizador do Mission Control deparei-me recentemente com o facto de que após definir os meus espaços virtuais nas posições em que os pretendia, passado algum tempo os mesmos já não se encontravam nessa mesma posição, algo que no meu caso não era o pretendido. Após uma verificação das definições verifiquei que existe uma definição com o título “Reorganizar Spaces automaticamente segundo a utilização mais recente”. Desmarcando esta opção os mesmos passam a assumir definitivamente as suas posições. É portanto importante definir se queremos que esta reorganização aconteça ou não, conforme a nossa preferência.

Para aceder às definições do Mission Control, aceda ao ícone da maçã , selecione Preferências do Sistema e por fim clique em Mission Control.

No painel de definições existem também outras opções que podem fazer do Mission Control ainda mais útil ao  utilizador. O destaque vai para os atalhos de teclado para um acesso rápido ao mesmo, ou a utilização de um canto ativo.

E o leitor utiliza o Mission Control no dia-a-dia? Gostaria de mais dicas sobre este tema? Deixe-nos o seu comentário!

*Artigo atualizado pela nossa redação a 8 de fevereiro de 2020. Ano original da publicação: 2018

O macOS é um sistema operativo moderno, com diversas tecnologias que fazem com que a interação do utilizador com o mesmo seja o mais agradável possível, e que, ao mesmo tempo, proporcione uma excelente experiência visual, experiência esta da qual fazem parte as animações. O macOS dispõe de diversas animações e estas surgem por exemplo, com um simples maximizar de janela para ecrã inteiro, abrir ou fechar pilhas de descargas, ou alternar entre espaços (Mission Control). Apesar destas animações no geral contribuírem para uma melhor experiência de utilização, as mesmas podem ao mesmo tempo causar o efeito inverso, tornando-se inconvenientes seja por motivos de intolerância ao movimento ou por simplesmente considerarmos isto algo desnecessário ou indesejado.

Felizmente a Apple pensou neste problema e criou uma opção para ativar ou desativar o uso destas animações pelo sistema.

Para ativar ou desativar as animações siga os passos:

1. Clique no menu da “Maça” e selecione Preferências do Sistema.

2. Clique no ícone Acessibilidade.

3. Na barra lateral esquerda selecione Monitor

4. No painel do lado direito ative ou desative a opção Reduzir movimento.

Para testar se a ativação/desativação produziu o devido efeito, basta por exemplo ativar o Mission Control, aplicação em que é bastante notória a redução ou o aumento de movimento. Para dicas em como utilizar o Mission Control consulte o seguinte artigo no iClub.

É de notar no entanto que nem todas as animações são desativadas com esta opção, mas apesar disso, esta é uma boa ajuda nos casos em que a redução do movimento é necessária para uma utilização do computador mais confortável.

Até há bem pouco tempo atrás o Mac era a última das hipóteses para aqueles que queriam um computador para jogar. No entanto, isso tem vindo a mudar ao longo do tempo, estando já disponíveis bastantes títulos para macOS. Se recuarmos alguns anos os jogos para o sistema operativo da Apple eram conversões mal-acabadas de outras plataformas e que não mereciam o dinheiro que custavam, felizmente isso começou a mudar. Principalmente depois que o Apple Arcade foi lançado. Conheça agora os 10 melhores jogos para o seu Mac.

Overland

Overland é um jogo de sobrevivência pós-apocalíptico, combata criaturas assustadoras, resgate sobreviventes e recupere provisões como combustível, kits de primeiros socorros e armas.

Disponível no Apple Arcade.

Mad Max

O jogador assume o papel de Max, o guerreiro solitário que deve lutar para sobreviver às facções selvagens da Terra Desolada participando de combates intensos corpo a corpo e veiculares.

Preço: 21.99€

Guild Wars 2

O Guild Wars 2 é um jogo multiplayer online em que a missão é reunir um exército/aliança e combater as várias ameaças. Caso compre este jogo poderá jogá-lo tanto em Mac como em Windows.

Preço: 39.99€

Sociable Soccer

Sociable Soccer é um jogo de futebol inédito, divertido e alucinante. A jogabilidade é rápida e intuitiva com controlos para ecrãs touch e comandos sem fios.

Disponível no Apple Arcade.

League of Legends

O LoL é o popular jogo online multiplayer desenvolvido pela Riot e onde duas equipas de 3 ou 5 lutam uma contra a outra.

Preço: Gratuito

LIMBO

O Limbo, que também é o nome da personagem principal do jogo, é um simples jogo onde o objetivo é a personagem encontrar a sua irmã que está perdida. O jogo tem ambientes fantásticos e com uma jogabilidade acima da média.

Preço: 10.99€

This War of Mine

Em This War of Mine, não joga como soldado de elite, mas como um grupo de civis a tentar sobreviver numa cidade cercada; lutando com a falta de comida, medicamentos e o perigo constante de atiradores e catadores hostis. O jogo oferece uma experiência de guerra vista de um ângulo totalmente novo.

Preço: 3.49€

Team Fortress 2

O Team Fortress 2 é um jogo gratuito, multiplayer de tiro em primeiro pessoa desenvolvido pela Valve e com foco em equipas e combates.

Preço: Gratuito

The Witcher 2: Assassin of Kings Enhanced Edition

O The Witcher 2: Assassins of Kings é um jogo RPG de ação onde o objetivo é controlar Geralt de Rivia, um dos poucos bruxos que ainda existem. Os bruxos são humanos geneticamente encantados e treinados para lutar contra monstros. Têm ainda poderes especiais que divergem de bruxo para bruxo.

Preço: 19.99€

Discolored

Discolored é uma jogo de quebra-cabeças estranho e surreal. A sua missão: restaurar a cor deste mundo outrora vibrante. O que causou o desaparecimento das cores? Como eles podem ser trazidos de volta? À medida que explora, resolve uma variedade de quebra-cabeças criativos e descobre uma seleção de pistas – levando-o a descobrir os segredos mais profundos desse lugar estranho no final de uma estrada abandonada.

Disponível no Apple Arcade.

*Artigo atualizado pela nossa redação a 4 de fevereiro de 2020. Ano original da publicação: 2015