iOS

A aplicação Sala de Aula, já lançada em Portugal pela Apple e que faz parte dos esforços de educação da gigante de Cupertino permite monitorizar os iPad dos estudantes por parte dos professores nas suas aulas. Com esta aplicação os professores podem controlar os iPad pertencentes aos seus alunos, criar grupos de trabalho e monitorizar o seu progresso. Se tem dúvidas sobre a aplicação então está no sítio certo.

O que há de novo na aplicação?

No evento da passada semana, a gigante de Cupertino apresentou uma nova versão da aplicação Sala de Aula que transporta a versão de iOS para o Mac. Agora, os professores poderão monitorizar e guiar os iPads dos estudante ou no seu iPad ou no Mac. A aplicação tem ainda uma ferramenta apelidada Partilhar iPad que permite que múltiplos estudantes usem o iPad, mantendo o seu conteúdo pessoal.

Before class begins, you can assign any iPad to any student in your classroom. Students know which devices to use because their pictures are on the Lock screens. And they can access their personal content with a password or an easy-to-remember four-digit PIN. After students log in, their homework, apps, and assignments appear exactly as they left them.

A nova aplicação para o Mac estará disponível em beta em junho.

Partilhar iPad e Apple School Manager

Para além da atualização à aplicação Sala de Aula, a Apple apresentou ainda atualização à funcionada de Partilha de iPad, permitindo aos professores gerir os Apple IDs dos estudantes.

ClassKit

À semelhança do SiriKit, HomeKit e HealthKit, o ClassKit é uma framework disponível para os programadores e que permite adicionar funcionalidades educativas às aplicações. Por exemplo, os programadores poderão agora criar aplicações que disponibilizem trabalhos de casa, permitindo aos professores atribuir trabalhos aos seus estudantes e receber relatórios dos progressos.

Mas o que é exatamente a aplicação?

A Sala de Aula é uma aplicação para iPad e Mac, lançada originalmente em 2016. A aplicação permite aos professores controlar os iPads escolares dos seus alunos e monitorizar os seus progressos.

E como posso começar com a aplicação?

A primeira coisa a fazer é adicionar a sua informação de professor à aplicação e as suas aulas, identificando uma cor e um nome para cada disciplina. Depois está tudo pronto para começar.
Depois poderá adicionar estudantes, depois basta estes abrirem a aplicçaão e inserirem o código disponibilizado e estão automaticamente inscritos na disciplina.

E depois? O que posso fazer com a aplicação?

A Sala de Aula permite visualizar os progressos de cada estudante. Permitindo ver quem é que já iniciou a sessão, as aplicações que os estudantes usaram e fazer grupos de estudantes Poderá ainda abrir aplicações, livros ou site para os estudantes.

E onde posso obter a aplicação?

Estas são apenas algumas das funcionalidades da aplicação Sala de Aula, poderá encontrar um tutorial completo no próprio site da Apple.

Sala de Aula
Price: Free

O Instagram está a testar uma aplicação separada para as mensagens privadas à qual chamou Direct, no que parece ser o primeiro passo para remover completamente a funcionalidade da aplicação principal, tal como aconteceu com a aplicação do Facebook. O Direct, que ao abrir vai diretamente para a câmara à la Snapachat está disponível para Android e iOS mas apenas em 6 países selecionados e, adivinhem, Portugal está na lista. A aplicação chega às lojas de Israel, Chile, Turquia, Itália, Uruguai e Portugal. Ao instalar a nova aplicação, todas as mensagens na aplicação principal são reencaminhadas para a nova aplicação e passa a ser apenas possível responder a partir desta.

O motivo que levou ao lançamento do Direct é segundo o gestor de produto, Hemal Shah, muito simples. Ao criar-se uma aplicação independente para as mensagens será possível melhorar-se estas funcionalidades de forma independente.

 

Depois de instalarem a aplicação tudo o que necessitam é de fazer login. Se já tiverem a aplicação Instagram instalada no vosso smartphone apenas é necessário continuarem com o perfil que está ativo. Posteriormente e depois de todas as autorizações dadas, chegam à janela principal. Aí têm as opções para fotografia, normalmente dadas pelo Instagram. Encontram assim o modo mãos livres, o normal e o Boomerang. Se carregarem no botão perfil do lado esquerdo ou arrastarem o dedo da esquerda para a direita surgem as opções relacionadas com o perfil, sendo que muitas delas se integram com o próprio Instagram como, por exemplo, o explorar. Têm também a possibilidade de acederem ao vosso perfil ou trocarem de conta. Já o movimento inverso, ou seja, arrastarem o dedo da direita para a esquerda dá-vos acesso ao envio das mensagens. Só precisam de selecionar a pessoa ou entidade a que pretendem enviar a mensagem e já está.

Importa ainda salientar que nem tudo está exatamente igual ao Instagram. Quem optar por utilizar esta app vai encontrar quatro filtros de fotos e vídeos exclusivos, incluindo um que altera a voz e cobre a sua boca.

The app was not found in the store. 🙁

Ontem, entre os oradores que subiram ao palco princpal da Web Summit estava Zhang Yanqi. Um nome desconhecido para a maioria das pessoas mas um dos fundadores das startups sensação chinesas. A ofo foi fundada em 2014, é avaliada em mais de mil milhões de dólares e já tem mais de 200 milhões de utilizadores espalhados por tudo o mundo. A ideia é simples, alugar uma bicicleta e poder deixá-la onde quiser sem ter a necessidade de ter um local específico.

Em Cascais já estão disponíveis 50 bicicletas. Para usar uma dessas bicicletas é preciso desbloqueá-la pela aplicação para iOS (ou Android). Basta ler o código QR da bicicleta ou introduzir o código para receber depois um código que permita desbloquear o cadeado. Uma vez feita a viagem, basta largar a bicicleta no destino, desde que num local permitido e público. O pagamento é feito por cartão de crédito, custando o serviço 1€ por cada 30 minutos de viagem.

Zhang Yanqi adiantou também que Lisboa está na mira da empresa, assim como Viena. A ofo deverá chegar à capital portuguesa até ao final de 2017, com biciletas assistidas eletricamente, facto esse que se deve segundo o co-fundador da empresa chinesa à “muita inclinação” da cidade.

A reforma do SNS está em curso. Esta é mais uma das aplicações que surge dessa mesma reforma e do programa Simplex. A aplicação MySNS Tempos permite ver os tempos de espera nos vários hospitais públicos por todo o país, algo simples e que torna a nossa vida mais fácil em caso de urgência.

É possível ver para cada instituição os tempos médios dos vários tipos de urgências disponíveis em determinado hospital. Os tempos são apresentados por escala, segundo a triagem de Manchester: vermelho, laranja, amarelo, verde ou azul, conforme a gravidade dos casos a tratar. A atualização dos dados é da responsabilidade de cada hospital e é possível filtrar as instituições por distância, o que permite ser também uma forma rápida de consultar os hospitais mais próximos através do GPS disponível. Permitindo assim saber o endereço e o telefone dos hospitais mais próximos. Mais um ótimo caso da junção das novas tecnologias em serviços que usamos frequentemente e que torna a vida mais fácil.

 

MySNS Tempos
Price: Free

Quando se trata de viagens a oferta de aplicações é cada vez maiores mas nenhuma alternativa é tão completa como esta. Seja visitar a família, conhecer novos destinos ou tratar de negócios o Hopper tornar-se a solução ideal para encontrar os voos mais baratos e até mesmo quanto deve esperar até ter uma oferta melhor.

Esta aplicação retira o enorme trabalho de procurar e achar os voos, revelando um calendário com as melhores datas para viajar num período de 12 meses. Depois de usar sites como o Expedia ou o Kayak, o Hopper e o seu design conquistaram-me.

Hopper - Reserve voos
Price: Free

O Milhões de Festa, um dos mais conhecidos festivais do norte do país já ganhou aplicação. Agora é possível ter o festival na palma da mão e saber tudo o que lá se passa com apenas alguns cliques.

O Milhões de Festa é um festival realizado em Barcelos. O cartaz é constituído por mais de 60 bandas, entre produtores, e DJs, repartidos pelos diversos palcos do festival. O festival teve inicio em 2006 e conta já com 7 edições. Uma das filosofias do MdF prende-se com a agregação de uma grande variedade de linguagens artísticas, pretendo motivar a dinamização local e reclamar uma atenção internacional para projeto nacionais. Por lá já passaram nomes como The Fall, Electric Wizard, Antipop Consortium, Liars ou Orange Goblin.

A edição deste ano conta com Graveyard, Faust&Gnod, The Gaslamp Killer e Meatbodies e com dois palcos.

A aplicação, já lançada na App Store, permite consultar os horários, escolher concertos preferidos e até receber notificações 15 minutos antes do seu inicio. Para além disso,
os locais de atuação de Riding Pânico e Bitchin Bajas serão revelados em exclusivo pela aplicação. Só por isto, já vale a pena!
A aplicação torna-se assim a forma mais fiável de estar descontraído e aproveitar ao máximo o que o rodeia.

The app was not found in the store. 🙁

A Apple lançou o Apple Music em junho de 2015, e desde aí vinha a oferecer aos utilizadores em Portugal e mais 100 países ao redor do mundo, um período experimental gratuito de três meses. O que mudou recentemente em três desses 100 países segundo conseguiu apurar o site Macrumors foi o período de testes de três meses que tem agora um custo de 0,99 centavos na Austrália, 0,99 cêntimos em Espanha, e 1 CHF na Suíça.

Nesses mesmos países, o período experimental de três meses do rival Spotify, também tem o mesmo preço que agora o Apple Music na mesma condição.

Em Portugal mantêm-se os três meses gratuitos. Mas quer um conselho? Se ainda não tirou partido, é melhor fazê-lo, não vá a Apple mudar de ideias.

Cuidado Siri! Como nos apontavam os rumores, a Google anunciou durante a keynote de inauguração da sua conferência de programadores I/O 2017, a expansão da Google Assistant para o iPhone. A Google Assistant está já disponível através de uma aplicação para o iPhone. Inicialmente apenas para os utilizadores nos EUA. Nos próximos meses, a assistente vai ficar disponível para mais pessoas e mais idiomas como Português do Brasil, Francês, Alemão e Japonês. Até ao final do ano em Espanhol, Italiano e Coreano.

E em Portugal?

Apesar de ainda não estar disponível da App Store portuguesa já é possível falar com a Google Assistant em português, contudo as respostas continuaram a ser em inglês. Os locais, a metereologia e praticamente tudo o resto já estão disponíveis na aplicação. Mas como ter a aplicação em Portugal? É fácil.

  1. Abra a App Store e termine a sessão da sua conta. Mude para a App Store americana. Vai precisar de um email ainda não registado na App Store.
  2. Pesquise por Google Assistant e vá para a página da aplicação.
  3. Prima  iOS Get button  e prima novamente o botão.
  4. Registe uma nova conta com o novo email e verifique o seu email. Qualquer dúvida, deixem nos comentários e tentamos responder.

 

Nas últimas horas popularizou-se nas redes sociais um vídeo que nos revela uma função escondida na calculadora do iPhone. O mais irritante é que acaba por ser tão básica, e tão simples que acabamos por sentir vergonha de nunca termos testado esta função de forma instintiva.

Como sabem uma das coisas mais irritantes da calculadora do iPhone é o engano. Como assim o engano? Pode ser esta a vossa questão. Não sou vidente mas posso apostar que todos vocês que utilizaram a calculadora do iPhone já tiveram de passar por este processo.

Quem nunca se enganou a inserir um dígito na calculadora do dispositivo? E quando reparou já o valor errado se encontrava no meio de todos os outro? A solução? Apagar tudo e inserir novamente. Certo? A Apple é tão simplista que por vezes truques e dicas como esta nos passam ao lado, e sentimos constrangimento próprio por nunca nos termos lembrado de fazer isto.

Será exclusivo de apenas um dispositivo? Será exclusivo de alguma versão de algum dos sistemas operativos? Testem e deixem-nos o vosso feedback.

A Apple tomou esta terça-feira a iniciativa de disponibilizar de forma gratuita as apps iMovie, Garageband, Pages, Keynote e Numbers para todos os utilizadores de Mac e iOS.

A Apple oferecia antes o download a quem comprasse um novo Mac, iPhone, iPad ou iPod Touch, restringindo assim o download gratuito a quem adquirisse os produtos em segunda mão. Quem quisesse adquirir os produtos nessas condições teria de comprar as apps. O que (finalmente!) deixa de acontecer a partir de agora.