Android

Instalar o Android no iPhone foi no que uma equipa de programadores esteve a trabalhar nos últimos tempos.

A primeira pergunta que surge, mas qual a utilidade? Já lá vamos.

O iOS é reconhecidamente um software melhor do que o Android. Mais rápido, mais eficiente, mais seguro, menos intrusivo, obviamente que haverá opiniões contrárias e as mesmas são respeitadas.

Não quero com isto dizer que o Android não presta. Longe disso, é um bom sistema, com muitas funcionalidades úteis que faltam ainda ao iOS. Nenhum dos dois é perfeito, mas de entre ambos neste momento prefiro o iOS.

Contudo, a verdade é que o iOS é também um sistema operativo proprietário que só funciona em dispositivos Apple.

O Android no iPhone

Com efeito, esta operação já foi executada no passado mais precisamente à cerca de 10 anos atrás. Assim, à data David Wang, conseguiu colocar em funcionamento o sistema Android no iPhone original e também no iPhone 3G.

Agora uma equipa liderada pelo mesmo Wang, levou a cabo a mesma operação com um iPhone mais recente, neste caso um iPhone 7.

Para isso foi explorada a falha chamada “checkm8 bootrom”, muito sucintamente é uma falha que possibilita o famoso jailbreak em dispositivos com os processadores desde o A5 ao A11, ou seja do iPhone 4s até ao iPhone 11.

A equipa por detrás deste “feito” é a mesma da empresa Correlium, que neste momento é alvo de um processo em tribunal por violação de direitos de criação de software da Apple.

A verdade é que apesar de estarem em falta alguns drivers que possibilitassem o pleno funcionamento de todos os componentes, a “marosca” funcionou.

A reportagem que relatou esta operação é da Forbes e podem ver o vídeo mais abaixo.

Voltando à questão inicial, a utilidade é para nós comuns utilizadores, nenhuma. Todavia, do ponto de vista de quem gosta de tecnologia não deixa de ser informação relevante.

Por fim, chamo a atenção do caro leitor de que o jailbreak é um procedimento não recomendado e pode levar a que o seu iPhone se torne num caro pisa-papéis. Considere-se avisado.

A marca chinesa OPPO anunciou esta sexta-feira (6 de março) a sua nova aposta no mercado dos wearables. E ok que o software é diferente, roda o Android, e que ele não tem uma Digital Crown… Mas reparem, quase tudo nele é semelhante ao Apple Watch! Desde o design, UI, formato do relógio, estilo da bracelete e até o nome são semelhantes ao produto da Apple!

O Oppo Watch está disponível em dois modelos, como o Apple Watch, mas neste caso de 41mm e 46mm. É claro que ele faz coisas típicas que qualquer smartwatch faz, como monitorização do ritmo cardíaco, tracking de atividade física, acesso a notificações do smartphone, etc. É resistente a água até 50m e suporta eSIM para dados móveis.

Diga-se que parece apresentar uma melhor autonomia que o Apple Watch. A marca fala em 40h de uso regular e até 20 dias no modo poupança de bateria, a usufruir apenas de notificações.

Este novo Oppo Watch vai ser lançado na China mais para o final do mês (março) por um valor a rondar mais ou menos os 215 dólares (convertido da moeda local).

Parece sem dúvida um produto bem interessante. E não estou a ser maldoso… É claro que é um produto mais voltado para quem usa um smartphone Android, no entanto, mesmo para um utilizador de iPhone o seu preço é tentador!

Há que dizer que a Oppo não é a primeira marca chinesa a tentar replicar a formula de sucesso do Apple Watch… Ainda no final do ano passado a Xiaomi já tinha apresentado o seu Mi Watch com um visual também ele bastante parecido ao relógio da Apple.

Veja a galeria de imagens do OPPO Watch Series que lhe apresentamos em baixo e deixe-nos a sua opinião nos comentários!

Foi na passada terça-feira, dia 13, que a Apple disponibilizou para o público 3 dos seus novos sistemas, incluindo o iOS10. Ainda nem uma semana passou e o iOS já bateu recordes. A adesão à última versão do sistema operativo para iPhone, iPad e iPod, segundo números revelados pela Mixpanel, ronda os 14%, superior ao do iOS 9 que já na altura tinha batido recordes e que tinha sido de 12%.

ios_10_utilizacao_2

É claro que é preciso ter em conta que os números da adopção do sistema são ainda relativamente baixos, normalmente ronda os 90%. Comparando com o Android a versão Nougat, disponível para download há cerca de 1 mês, só chegou a apenas 0,1% do total de utilizadores.