Review: iPhone SE, tecnologia de hoje com o aspeto de ontem

Por muito estranho que possa parecer, estamos em Abril, e temos um novo iPhone para análise. No evento de 21 de Março a Apple finalmente confirmou a sua intenção de voltar a apostar em smartphones mais pequenos. Já há algum tempo que os rumores apontavam para tal, mas nada havia sido apresentado até então. Foi desta que ficámos então a conhecer o iPhone SE, um novo aparelho de 4 polegadas, cujas mudanças visuais não foram muitas em relação ao iPhone 5S, mas o seu interior, esse sim, foi totalmente redesenhado. Com toda a curiosidade que tinha sobre este, e como prometido no unboxing, decidi pôr mãos à obra e durante uma semana descobri e “pesei” todos os prós e contras deste terminal!

DESIGN

É aqui que reside o cerne da questão… Com este novo iPhone, era esperado que a Apple fizesse uma readaptação do visual dos seus topos de linha. Tal não se verificou, e o dispositivo surgiu praticamente idêntico ao seu antecessor, (o 5s), trazendo apenas pequenas melhorias. Essas resultaram da adição da nova côr (Rosa Dourado), e alguns detalhes que fazem diferença no aspecto visual: ( O logotipo da Apple presente na traseira deste em metal, e as beiras do smartphone em mate).

Na minha opinião, este não perdeu o encanto por ser praticamente igual ao antecessor. O design continua a ser dos mais bonitos, mas acho igualmente que podia ter sido feita uma melhoria  mais aprofundada de forma a aprimorar o seu look, e torná-lo “mais atual” (talvez mais idêntico ao 6s…).

PERFORMANCE

Segundo a Apple, é aqui que o SE “brilha”. Os 2GB de RAM, o Processador A9, e Co-processador M9 são as estrelas deste terminal que não só adicionam uma maior performance à CPU e GPU dos dispositivos, como ainda proporcionam a adição de novas funcionalidades como o “Always – On Siri”, “Retina Flash”, “Live Photos, etc…”

Confesso que este era um dos pontos que mais me entusiasmou neste novo terminal. À primeira oportunidade que tive, decidi testar os seus scores no já famoso Geekbench test.

Geekbench test iPhone SE.001

Após a conclusão do teste, foi possível perceber que apesar do SE ser um smartphone mais barato, não quer dizer que perca pontos na sua performance. Os números são surpreendentes! (Repeti o teste mais que uma vez só para ter a certeza que estava a ver bem…) Temos aqui scores um pouco superiores ao 6s, mas é preciso dizer que a diferença entre os dois não é perceptível. Os processadores são iguais, por isso, ambos executam com uma rapidez inquestionável desde jogos mais pesados, a tarefas mais simples.

CÂMARA

DSC01292

iSight Câmara

Exímia, é a palavra chave deste parâmetro. Aquando da Review feita ao 6S, fiquei algo que impressionado com a qualidade de imagem, e novas funcionalidades introduzidas na iSight Câmara. Este Special Edition veio equipado com a mesma, sendo que desta forma tornou-se possível a gravação de vídeos em 4K a 30 fps e a produção das já conhecidas Live Photos.

Apesar de todo o módulo de câmara ser o mesmo, e as imagens captadas (tanto vídeo como fotos) entre um 6s, e este não diferirem muito, como não poderia deixar de ser, efetuámos o teste, e melhor do qualquer conclusão, o resultado final fala por si! Todo o conteúdo produzido apresentou muito boa qualidade, luminosidade e  contraste de cores.

Imagem 1 original | Imagem 2 original | Imagem 3 original | Imagem 4 original | Imagem 5 original | Imagem 6 original | Imagem 7 original | Imagem 8 original

Facetime Câmara

Ora a contrastar com a sua Câmara traseira, a frontal (1,2MP) não acompanha a do flagship, (5MP) e esse fator tem de ser salientado. Não quero com isto dizer que a mesma não execute bem a sua função, mas teria sido interessante que a Apple tivesse pensado neste fator…

Uma das funcionalidades que acho que foi uma boa ideia, e que de certa forma “compensa” esta falha, foi a “migração” do “Retina Flash”. Como já o havia comprovado no 6s, esta simples característica é muito útil em ambientes escuros, tornando as selfies mais apelativas.

Concluindo, ambas as câmaras produzem boas imagens, e não deixam ficar mal ninguém. Está assim reunido um bom conjunto de fatores para a produção de selfies, fotos, e deslumbrantes vídeos em 4K.

ECRÃ

Sem recorrer a uma das mais interessantes funcionalidades do topo de gama, a Apple decidiu não incluir o 3D Touch neste novo iPhone. Desta feita, este é mais um dos pontos que não recebeu nenhuma atualização, mantendo o seu ecrã retina IPS de 4″ com uma resolução de 1136×640 pixels.
Como todos os retina, este continua a apresentar uma boa qualidade e contraste de cores.

BATERIA

O que é um smartphone sem uma boa autonomia ? Nada!

Se dúvidas houvesse, foram deitadas por terra! Apesar de ter a mesma capacidade de bateria do 5s, e de esta ser inferior à do flagship, a do SE apresenta melhores resultados que o seu “parente”. Após uma utilização moderada, os números foram bem claros chegando muito perto das 11 horas de autonomia! Palavras para quê? Os resultados estão à vista…

IMG_0113

0 comentários