48 milhões de iPhones ajudam a Apple a bater recorde de lucros

A Apple apresentou ontem os resultados do último período fiscal que terminou a 26 de Setembro e, como já vem sendo habitual, a empresa ultrapassou todas as expectativas. A liderar o sucesso da Apple neste Q4 de 2015 estão os iPhones com a empresa a comercializar 48 milhões de unidades neste período. Isto representa um aumento de quase 9 milhões (39.3 milhões em período idêntico do ano passado) e o valor é ainda é mais impressionante considerando que os novos iPhones 6S e 6S Plus começaram a ser vendidos a meados de Setembro e, por conseguinte, apenas 1 semana de vendas entraram para estes resultados fiscais.

O sucesso do iPhone também parece estar a transbordar para um outro produto da Apple: os Macs. A empresa anunciou que foram comercializados 5.7 milhões de unidades, o que representa o melhor trimestre de sempre. Para além disso, a categoria “Outros produtos” que englobam o Apple Watch entre outros cresceu 61% quando comparado com Q4 de 2014. Isto significa um aumento de receitas em 3 mil milhões de dólares e deve-se, principalmente, à expansão do Apple Watch a mais mercados mundiais.

Em queda continuam os iPads e este foi o primeiro trimestre, desde 2011, que esta gama de produtos vende menos de 10 milhões de unidades (apenas 9.9).

Em termos gerais, a Apple reportou apenas para este trimestre, lucros de 11.1 mil milhões de dólares e receitas de 55.5 mil milhões de dólares. No Q4 do ano passado, os valores eram de 8.5 mil milhões em lucros e 42.1 mil milhões em receitas, o que exemplifica bem o crescimento da Apple em apenas um ano.

A suportar este crescimento da Apple está a China, com a empresa a crescer uns impressionantes 99% quando comparado com período homólogo de 2014. Em números, a China trouxe, neste Q4 de 2015, cerca de 12.51 mil milhões de dólares em lucro, enquanto que em período idêntico do ano passado o valor ficava-se por 6.29 mil milhões de dólares. Neste trimestre, tal como aconteceu no anterior, as receitas na China são superiores às da Europa inteira, com esta última a registar “apenas” 10.57 mil milhões de dólares.

Agora que o ano fiscal da Apple terminou, Tim Cook fez questão de mencionar que o ano de 2015 foi o de maior sucesso da história da Apple. A isto deve-se o crescimento das receitas em 28% para cerca de 234 mil milhões de dólares.

A Apple também apresentou as suas previsões para o primeiro trimestre de 2016 (Q1 2016):

  • Receitas entre 75.5 e 77.5 mil milhões de dólares
  • Margem bruta entre 39 e 40%
  • Custos de operação entre 6.3 e 6.4 mil milhões de dólares
  • Outras receitas/despesas de 400 milhões

0 comentários