1º Aniversário da morte de Steve Jobs

Fez ontem precisamente um ano sobre o fatídico dia em que Steve Jobs faleceu. Visionário, intransigente, perfeccionista, maldoso… muitos são os adjectivos que diferentes pessoas utilização para o descrever – incluindo o de “homem que mandou esconder os Porsches”, por altura da visita de um potencial investidor à NeXT, para que não pensasse que eles tivessem demasiado dinheiro.

O que é certo é que Steve Jobs era humano, como qualquer um de nós, e longe de qualquer tipo de perfeição. Perfeição essa que perseguia até à exaustão nos produtos e equipamentos que criava, e que desde cedo passaram a marcar a diferença dos produtos Apple.

Um ano depois, fica demonstrado que a Apple continua em ritmo ascendente, contrariando todos os que apregoavam o declínio do “império” sem a liderança de Steve Jobs – mesmo se não deixarão de haver alguns (muitos?) episódios e incidentes sobre os quais inevitavelmente pairará a questão: “Será que se Steve Jobs fosse vivo teria deixado isto acontecer?” (Um deles sendo, obviamente o recente caso dos mapas do iOS 6.)

Quanto ao futuro… será sempre tão incerto como sempre o foi, mas fala-se de que a Apple poderá estar prestes a revelar o seu iPad Mini – e que sem dúvida irá fazer recordar a célebre frase de Jobs, em que dizia que não fazia sentido um tablet com tamanho mais pequeno, e que o iPad tinha o tamanho ideal. Mas sabemos que os tempos mudam, e o que era deixa de ser… e antes de criticarem Steve Jobs, talvez não fosse má ideia olharem antes para tudo aquilo que os políticos dizem e desdizem numa base quase diária, e sobre assunto que mais directamente nos afectam diariamente e monetariamente. Ao menos nos produtos da Apple… só compra quem quer, e ninguém a isso é obrigado.

Seja como for, Steve Jobs queria mudar o mundo… e ao contrário de muitos que no seu leito da morte poderão debater-se com o legado que deixam para as gerações futuras, Steve Jobs terá partido sabendo que os seus produtos tocaram a vida de milhões de pessoas em todo o mundo – e continuarão a fazê-lo pelos anos vindouros.

Da criação de um pequeno computador numa garagem com o seu amigo Wozniak e dos seus sonhos nos anos 80 que em retrospectiva revelam bastante do que hoje existe, até à liderança da empresa mais valiosa do mundo… Steve Jobs será para sempre uma personalidade incontornável para todos os que olharem para a História da tecnologia e a revolução feita a nível dos smartphone e tablets neste início do novo milénio.

0 comments