Um resumo das principais novidades da keynote de abertura da WWDC17

A Apple costuma ser um relógio suíço no que toca ao início da keynote, mas hoje não foi o caso. Quando Tim Cook subiu ao palco já passava das 18:00. Depois do discurso inicial, onde o CEO da Apple realçou o quão inclusiva a WWDC é. Tim Cook dispensou depois as, já não tão habituais, novidades e mencionou que haveriam seis tópicos principais na keynote e hoje.

A primeira novidade foi o facto de a Amazon estar a chegar à Apple TV com o lançamento do Amazon Prime Video. Uma grande novidade e que pode ser um ponto positivo para a gigante de Cupertino, que afirmou que haverá mais novidades no final do ano.

A segunda foram as novidades do watchOS que chega à versão 4.0. A nova versão tem novas Watch Faces, uma delas relacionada com a Siri que mostra as informações mais relevantes em determinado momento usando machine learning, para além desta o Toy Story está também a chegar ao Apple Watch. A aplicação Atividade também foi atualizada e para além da motivação personalizada, dá agora desafios mensais a cada utilizador. A aplicação Workout tem uma nova interface, permite definir as bordas da piscina no modo de natação, tem um modo com múltiplos exercícios numa só sessão e vai ser possível sincronizar os dados com as máquinas do ginásio.

Depois foi a vez de Craig Federighi subir ao palco para relatar as novidades no novo macOS. Em primeiro lugar, o nome. Esta versão macOS será chamada de High Sierra, já que não há grandes novidades mas apenas aprimoramentos e afincamentos ao seu antecessor. No Safari temos agora bloqueio da reprodução automática de som quando visitamos um website e, usando machine learning, prevenção de tracking pela web. No Mail temos agora uma melhor integração com o Spotlight, o Split View na janela de escrita e uma redução de 35% no espaço ocupado pelos seus emails. No Photos temos agora, finalmente, a sincronização das caras identificadas por todos os dispositivos, a edição aprimorada de fotos e a sincronização automática com outras aplicações de edição. Para além disto, o APPFS, sistema de ficheiros proprietário da Apple, já presente no iOS chega a partir desta versão também ao macOS. Para além disto, foram anunciadas mais novidades relacionadas com performance e VR mas específicas para programadores. O beta público desta versão estará disponível no fim de junho para Macs posteriores a 2010.

A quarta novidade foi apresenta pelo Vice-Presidente sénior de Hardware da Apple. A Apple atualizou a sua linha de iMac com um melhor ecrã, os novos processadores da linha Kaby Lake de sétima geração da Intel e até 64gb de RAM para o modelo de 27 polegadas. Os novos modelos contam ainda com entradas USB-C. Os MacBook Pro e MacBook também foram atualizados com os novos processadores Kaby Lake e o preço do modelo de 13 polegadas foi reduzido em cerca de 200$, passando agora a custa 1299$ nos EUA. A Apple apresentou ainda um sneak-peak do que vai ser o iMac Pro, uma nova linha de iMac focada no mercado profissional. No modelo mais caro terá um processador Xeon de 18 cores, uma Radeon Vega Graphics com 64GB e custará a partir de 4999$ quando chegar ao mercado em dezembro. O novo computador será em Space Gray, com um rato e teclado também nessa cor a acompanhar.

Depois foi a vez do iOS 11, uma versão cheia de novidades. Na aplicação Messages teremos agora as aplicações no fundo e as mensagens sincronizadas automaticamente entre todos os dispositivos. O Apple Pay permite agora pagamentos de pessoa para pessoa, ficando o dinheiro no cartão Apple Pay Cash que depois poderá ser usado para compras ou levantado. O Control Center foi totalmente redesenhado e tem agora mais informação e ocupada a totalidade do ecrã. Mas as maiores novidades foram na App Store, Phil Schiller subiu ao palco para nos mostrar a nova versão. A aplicação foi totalmente redesenhada (parecida com a interface do Apple Music) e agora temos uma nova aba Today que apresenta novidades e artigos sobre aplicações, uma aba só para jogos e uma aba só para aplicações. As In-App-Purchases podem ser diretamente compradas dentro da loja. Para além disto, foi ainda apresentado uma API de Machine Learning para programadores e o ARKit, uma plataforma para programadores usarem AR no iPhone sem grande esforço.

Tivemos também direito a novos produtos no que toca ao iPad. A gigante de Cupertino lançou um novo iPad Pro de 10.5″ com o mesmo tamanho do de 9.7″ (bordas mais finas), ecrã True Tone, um processador A10X Fusion, 10 horas de bateria, uma câmara traseira de 12MP  com estabilização ótica e uma câmara frontal de 7MP. Os modelos de entrada terão 64GB e custarão 649$ para o de 10.5″ e 799$ para o modelo de 12.9″. As vendas começam hoje.

Craig Federighi voltou a subir ao palco para apresentar as novidades do iOS 11 mas, desta vez focadas no iPad. O novo iOS é um conceito totalmente novo no que toca ao iPad. Há agora uma Dock, semelhante à que encontramos no Mac e onde para além das nossas aplicações favoritas estão também presente sugestões das aplicações que mais usamos. Temos também um novo App Switcher com o Control Center integrado. O Drag and Drop chegou, finalmente ao iOS e já é possível fazer uso do recurso em todas as aplicações. Para além disso, há agora uma nova aplicação chamada Files que permite visualizar os ficheiros, semelhante ao Finder dos Mac, e pode ser integrada com serviços como iCloud, o Dropbox, o Box ou o Google Drive.

Por fim, mas não menos importante a grande novidade da keynote. Um produto totalmente novo apresentado pela Apple mas do qual já havia bastantes rumores. O HomePod é a aposta da Apple para concorrer com o Google Home e do Amazon Echo. O novo produto, que para além de reproduzir música está também integrado com a Siri. O processamento está acabo de um processador A8, igual ao do iPhone. O HomePod possui ainda integração com o Apple Music e permite reproduzir qualquer música do catálogo se tiver conta no serviço de streaming da Apple. Para além disso, a comunicação com a Siri é feita por voz (não possui nenhum ecrã) e podem ser feita perguntas como: “Quem está a cantar?” ou “Quero as músicas top desta semana”. Possui ainda funcionalidades de notícias, conversão de unidades, leitura de mensagens, reprodução de podcasts, lembretes, temporizadores, tradução e integração com o Apple HomeKit. O preço será de 349$ e estará disponível em dezembro nos EUA, no Reino Unido e na Austrália nas cores Space Gray e Branco.

A keynote de hoje foi muito densa, cheia de novidades importantes e interessantes que vão certamente causar impacto.

0 comentários