Tim Cook publica texto opondo-se publicamente às leis discriminatórios dos EUA

O CEO da Apple, Tim Cook publicou hoje mesmo um texto no The Washington Post a condenar todas as leis que permitem que as empresas recusem serviços feitos por homossexuais ou qualquer outro grupo por motivo “religioso”. Tim Cook disse que esse tipo de legislação “é algo muito perigoso e está a acontecer em vários estados por todo o país”. O CEO da Apple disse ainda que as leis “racionalizam a injustiça fingindo que defendem algo que a muitos de nós é caro, vão contra todos os princípios da fundação da nossa nação e têm potencial para desfazer décadas de progresso em direção a uma maior igualdade.”

Tudo isto surge num momento em que o estado do Indiana, nos EUA tem estado em foco por o seu governador, Mike Pence ter assinado um projeto de lei na passada quinta-feira que legaliza a discriminação por motivos religiosos, juntando-se assim aos outros 19 estados por todos os Estados Unidos que já têm leis semelhantes aplicadas aos livros. O governador do Arizona, Jan Brewer vetou no ano passado o projeto de lei “liberdade religiosa” depois da forte oposição do público e das empresas, incluindo a Apple.

America’s business community recognized a long time ago that discrimination, in all its forms, is bad for business,” Cook writes. “At Apple, we are in business to empower and enrich our customers’ lives. We strive to do business in a way that is just and fair. That’s why, on behalf of Apple, I’m standing up to oppose this new wave of legislation — wherever it emerges. I’m writing in the hopes that many more will join this movement. From North Carolina to Nevada, these bills under consideration truly will hurt jobs, growth and the economic vibrancy of parts of the country where a 21st-century economy was once welcomed with open arms.

I remember what it was like to grow up in the South in the 1960s and 1970s,” writes Cook, who says that faith has “always been an important part” of his life. “Discrimination isn’t something that’s easy to oppose. It doesn’t always stare you in the face. It moves in the shadows. And sometimes it shrouds itself within the very laws meant to protect us.

 

 

 

0 comments