Tim Cook manda mail todos os empregados a criticar racismo em loja da Apple na Austrália

Na semana passada a Apple apareceu nas notícias pelos piores motivos. Numa das suas lojas na Austrália, Melbourne, um dos responsáveis pediu alguns estudantes negros para saírem da sua loja porque o segurança tinha medo que “eles podiam roubar alguma coisa”.

Este caso de racismo foi documentado e publicado nas redes sociais situação que prejudicou bastante a imagem que a Apple tem desenvolvido nos últimos anos, que se baseia na igualdade entre todas as pessoas. Os estudantes foram, no dia seguinte, recebidos por outra responsável da Apple que pediu desculpas pelo sucedido mas, isso não impediu o CEO da Apple de mandar uma carta aos seus trabalhadores a comentar a situação.

Tim Cook afirmou que o incidente foi “inaceitável” e que a razão dada pelo empregado da Apple “chocou” muitas pessoas. O CEO continuou dizendo que o que “as pessoas viram e ouviram no vídeo não representa os valores” da empresa e que “acredita que este foi um caso isolado e não um sintoma generalizado nas suas lojas”.

Para concluir, Cook mencionou que a Apple iria apostar mais na formação dos seus empregados, que a Apple é uma empresa “aberta” e que está acessível a todas as pessoas independentemente de raça, religião, género, orientação sexual, idade, deficiência, ordenado, língua ou pontos de vista.

0 comentários