Tim Cook aborda a questão racial e os tiroteios dos EUA

“As mortes sem sentido desta semana fazem-nos lembrar que a justiça está fora do alcance de muitos. Podemos e devemos fazer melhor”. Foram estas as palavras que Tim Cook escreveu num tweet abordando os dois tiroteios policiais que aconteceram recentemente e provocaram a morte a dois homens de raça negra.

Alton Sterling, de 37 anos foi morto pela polícia quando a mesma supostamente estava a responder a um pedido de auxilio de uma chamada anónima.Toda a situação foi filmada por pessoas que se encontravam no local, e nas imagens vê-se uma morte desnecessária de uma homem que já se encontrava imobilizado no chão.

Quando um dos agentes grita “Gun! Gun!”, para alertar que existia a presença uma arma com o homem que estavam a deter. Uns segundos depois surge uma sequência de tiros que tiraram a vida ao homem de 37 anos, e que aparentemente não representava qualquer tipo de perigo para os agentes.

A mais recente aconteceu numa operação rotineira de fiscalização de uma viatura na via pública. Philando Castela, um homem de raça negra morreu durante uma operação Stop e foi morto sem qualquer motivo aparente.

Quando viajava no lugar do condutor e acompanhado por uma mulher, a sua namorada, a policia solicitou a documentação da viatura. Ao abrir o porta luvas para retirar a documentação que lhe estava a ser solicitada foi abatido dentro da viatura.

A polícia poderá ter visto uma arma no local, mas ao mesmo tempo não existia, aparentemente, qualquer tipo de perigo para abater o homem. Tal como a primeira situação, também esta foi filmada e emitida em directo pelo Facebook pois durante a operação Stop a acompanhante filmou toda a situação.

Ambos os vídeos dos tiroteios rapidamente se tornaram virais nas redes sociais, e mais uma vez lançaram a questão dos problemas raciais que se vivem nos Estado Unidos.

As palavras que o CEO da Apple utilizou no seu tweet são em parte uma resposta ao líder dos direitos civis e também congressista John Lewis. Lewis relembrou as pessoas que fez 50 anos da sua detenção por usar uma casa de banho em Mississipi destinada única e exclusivamente a homens “brancos”.

Lewis é um dos grandes defensores dos direitos civis, e a Apple é uma empresa que defende a igualdade entre todos. Basta isto para serem defensores das mesmas ideologias e para reunir Lewis e Tim Cook numa reunião à porta fechada em Cupertino.

0 comentários