Rússia retira monumento à Apple depois de o presidente se assumir como gay

“Tenho orgulho em ser gay”, disse o presidente da Apple, Tim Cook, na quinta-feira passada. Na Rússia, a primeira reação à notícia foi a retirada de um monumento dedicado ao fundador da empresa norte-americana, Steve Jobs. Alega-se o cumprimento das leis aprovadas em 2013 pelo Parlamento russo, que punem qualquer ato de “propaganda” da homossexualidade.

O monumento – um iPhone de dois metros – estava na Universidade de São Petersburgo e, de acordo com a imprensa internacional, foi retirado esta segunda-feira, em retaliação à decisão de Tim Cook de se assumir publicamente como homossexual.

0 comentários