Q1 2016: Apple volta a bater recordes mas vendas de iPhones estagnaram

Hoje a Apple apresentou os primeiros resultados fiscais do ano de 2016 (primeiro trimestre – Q1), com a gigante de Cupertino a bater as suas próprias previsões para este período e a bater também os seus próprios recordes.

A empresa anunciou 75.9 mil milhões de dólares em receitas e 18.4 mil milhões de dólares em lucros, sendo que estes dois valores representam um recorde absoluto. Em período homólogo de 2015 a Apple registou 74.6 mil milhões de dólares em receitas e 18 mil milhões em lucros.

Em termos de dispositivos a Apple vendeu 74.8 milhões de iPhones, o que representa um aumento reduzido quando comparado com os 74.5 milhões comercializados em período idêntico do ano passado. Apesar o crescimento modesto, a verdade é que foi o único segmento em que a Apple cresceu, com os Macs a descerem de 5.5 milhões de unidades o ano passado para 5.3 milhões este ano. As vendas iPads continuam a decrescer (mais uma vez) com a empresa a comercializar menos 5.3 milhões de dispositivos quando comparado com o Q1 de 2015 (21.4 milhões para 16.1 milhões), situação que coloca em dúvida o sucesso do iPad Pro que foi apresentado em Setembro.

No entanto é de acreditar que ou o Apple Watch ou a Apple TV (ou as duas) tiveram um crescimento importante. A categoria “Outras” onde os dois dispositivos se inserem tive um crescimento anual de 62% e um crescimento trimestral de 43%. Na conversa com os investidores, o CEO da Apple mencionou que a Apple TV teve o melhor trimestre desde a sua existência.

Outra informação, que se tem vindo a registar mais recentemente, é que a China continua a ser um mercado em crescimento para a Apple. Quando comparado com o período homólogo do ano passado, a Apple registou um aumento de 14% neste país enquanto que na Europa o valor foi de 4%. Na América e Japão as receitas da Apple diminuíram sendo que, no último caso, o decréscimo chegou aos 12%.

Q1_2016

As previsões da Apple para o Q2 2016 são:

  • Receitas entre os 50 e os 53 mil milhões de dólares
  • Margem bruta entre os 39 e os 39.5%
  • Despesas de operação entre os 6 mil milhões e 6.1 mil milhões de dólares
  • outras entradas/despesas of 325 milhões de dólares
  • Taxas de 25.5%

 

0 comentários