Patente da Siri custa 29 milhões à Apple

Decorria o ano de 2011 quando a Apple deu-nos a conhecer, durante a WWDC, o iOS 5 e a sua inovadora assistente pessoal, Siri. Passados quase 5 anos de existência, quando tudo já deveria decorrer dentro da normalidade a assistente pessoal ainda é alvo de processos judicias devido à utilização indevida de patentes.

Esta batalha judicial já decorre à cerca de 3 anos e meio, tendo sido iniciada pela Dynamic Advances, que processou a Apple alegando uma violação numa das patentes da Siri. Mais concretamente a empresa alega que a Apple para colocar a Siri a funcionar está a violar uma patente desenvolvida pela Rensselaer Polytechnic Institute que patenteou a tecnologia em questão em 2007. Quatro anos depois surge a Siri pelas mãos da Apple e a mesma utiliza a tecnologia que tinha exclusividade da Dynamic Advances. Devido a esse facto o processo judicial iria a julgamento no próximo mês de Maio, mas por motivos desconhecidos, a Apple optou por “ceder” e chegou a um acordo com a Dynamic.

A empresa que controla a Dynamic Advances, a Marathon Patent Group através de um comunicado oficial revelou os valores oficiais que a Apple irá pagar como indemnização.

Para começar, a Apple irá desembolsar 5 milhões de dólares mal o processo seja encerrado no District Court for Northern District em Nova York. Adicionalmente a empresa de Tim Cook ainda irá pagar mais 19.9 milhões de dólares à Marathon Patent Group por outras condições que não foram reveladas.

Depois do pagamento, a Apple poderá utilizar livremente a Siri sem correr o risco de ser novamente processada pela empresa que detém a patente daquilo que foi designado por: “Natural language interface using constrained intermediate dictionary of results”.

Este é só mais um processo no meio de tantos em que a Apple está envolvida e, diga-se de passagem, a empresa é um nome com uma presença bastante assídua nos tribunais dos EUA.

 

0 comentários