O novo iPod nano: cópia ou evolução?

Durante a apresentação do novo iPhone 5 a Apple também revelou a nova linha iPod. Se o iPod shuffle se manteve inalterado, os restantes membros da família sofreram actualizações de peso. O iPod touch mantém um desenho próximo do iPhone, embora tenha ganho novas cores, o que o aproxima mais do espirito iPod. Deixa de ser um iPhone que não faz chamadas e passa a ser, claramente, um iPod com capacidades acrescidas. A traseira deste iPod parece até ser mais ergonómica que a do iPhone, com as arestas ligeiramente arredondadas. Já o iPod nano marca a maior revolução. Ao contrário do anterior desenho que, basicamente, era um iPod shuffle com ecrã touch, o novo nano ganhou altura, perdeu o clip e passa a ser mais um modelo a usar o botão ‘home’.

As reacções de quem acompanhava a apresentação das novidades Apple não foram famosas. Horrível e falhanço foram alguns dos termos utilizados para descrever o novo nano. Pois eu gosto. Gosto desde que vi as primeiras imagens e gosto ainda mais depois de olhar para o novo nano com mais atenção.

Comparações com o Lumia

Imediatamente houve quem comparasse o novo iPod nano aos Nokia Lumia, dizendo que a Apple estava a copiar a Nokia. Ora, o contrário foi dito aquando do lançamento dos primeiros Lumia, que foram comparados aos iPod mini. O desenho rectangular de laterais arredondadas é típico do iPod mini, tendo desaparecido aquando do lançamento do iPod nano, para reaparecer com o segundo modelo deste último. E desde aí a tendência para o iPod nano foi de modelos em alumínio, ecrãs maiores (com um modelo realmente falhado na 3ª geração), até ao modelo de 2011 que transforma o nano num shuffle com ecrã.

Regresso às origens

E se o modelo de 2011 era bonito, na verdade a solução para o ecrã não era a melhor e a Apple percebeu isso. Sem forma de regressar ao menu inicial, os utilizadores eram forçados a fazer ‘swipe’ várias vezes para sair dos menus interiores. E, sejamos sinceros. Nos modelos anteriores nem o tamanho, nem o peso, eram realmente um problema.

Na versão de 2012 a Apple regressa às origens do nano. Coloca-lhe um ecrã maior – que permite aceder a mais informação e torna-o mais fácil de utilizar -, adiciona um botão ‘home’, algo que os utilizadores sabem perfeitamente como usar e tem uma usabilidade comprovada, torna-o mais alto, com a mesma largura e mais fino. A sua dimensão e o facto de ter uma moldura maior na base, facilita o uso com uma mão. Continua claramente a ser um nano que se coloca em qualquer bolso e nem notamos que o temos lá. O novo modelo pesa 31 gramas!

Voltando às comparações com os Lumia, trata-se claramente de duas empresas a optarem por um caminho semelhante, onde as decisões ao nível do desenho dos aparelhos se acabam por sobrepor. A Nokia terá-se inspirado na Apple e a Apple terá-se inspirado em evoluções pensadas pela Nokia. Sim, o iPod nano agora tem uma moldura claramente identificada, como os Lumia. Sim utiliza cores vivas (como o nano utiliza há vários anos). E sim tem um formato rectangular com laterais arredondadas (que era o desenho original do iPod mini). É por isto que é uma cópia? Não me parece.

O que me parece é que a Apple tem nas mãos mais um modelo de sucesso, como têm sido praticamente todos os iPod nano lançados até aqui. Apesar das críticas apontadas a quase todos os modelos.

0 comments