O novo iPad mini: mais pequeno e mais acessível

Todos esperavam que a Apple apresentasse um iPad mais pequeno e a marca da maçã não desiludiu. O novo iPad mini é consideravelmente mais pequeno que o iPad tradicional, com menos 5cm de largura e 4cm de altura, tendo ainda menos 2mm de espessura.

O iPad mini foi desenhado de raíz, apresentando uma moldura mais larga no topo e base (onde se encontra a câmara e o botão ‘home’), sendo consideravelmente mais estreita nos lados. A ideia é permitir o uso com apenas uma mão, sobretudo quando o iPad mini é segurado na vertical. No exterior, esta é a maior diferença face ao iPad 2 e ao novo iPad (que também foi actualizado), pois até as cores disponíveis são as mesmas: branco e preto. Quanto ao interior, o iPad mini vai buscar características a ambos os modelos maiores.

Características técnicas

O processador é o chip A5 dual core, também utilizado no iPad 2, sendo espectável um desempenho semelhante, já que o ecrã, apesar de mais pequeno, tem a mesma resolução do utilizado no iPad 2: 1024×768 pixeis. As semelhanças com o modelo mais antigo da família iPad ficam-se por aqui. Ao nível das câmaras, o iPad mini equipara-se com o novo iPad. Uma câmara FaceTime HD na frente, capaz de fazer vídeo com resolução HD 720p, e uma câmara iSight na parte de trás, com vídeo HD 1080p, fotos de 5 megapixeis e todas as restantes características do iPad mais potente, nomeadamente a detecção de caras.

Qualidade de imagem

Não tendo um ecrã retina, o iPad mini tem um ecrã de maior qualidade que o iPad 2, já que a sua dimensão mais reduzida lhe dá um rácio de 163 pixeis por polegada (ppp), face aos 132 ppp do iPad 2. Para um dispositivo que deverá ser usado a uma distância semelhante da cara, isto significa que as imagens no iPad mini vão parecer ter mais qualidade que no iPad 2.

Compatibilidade de aplicações

O ecosistema de aplicações para iOS é uma das maiores armas da Apple. São mais de 700 mil aplicações na App Store, com mais de 275 mil aplicações desenhadas para o iPad. E todas elas são compatíveis com o novo iPad mini. Sendo um aliciante para quem pensa comprar um iPad pela primeira vez, é também uma vantagem para quem já tem um iPad ou mesmo um iPhone, já que poderá utilizar todas as suas apps no novo dispositivo.

E o preço?

Muito se especulou sobre o preço que teria o iPad mini e aqui a Apple não desiludiu, colocando o iPad mini apenas 10 euros mais caro que o novo iPod touch. Começando nos 339 Euros para o modelo de 16GB com WiFi, o iPad mini aumenta 100 Euros para o modelo de 32GB e outros 100 Euros para o modelo de 64GB. Os modelos com acesso de dados móvel custam mais 130 Euros que o modelo equivalente apenas com WiFi. Este esquema de preços tem sido utilizado pela Apple em vários dos seus produtos, sendo de fácil percepção para o utilizador (preço mais alto equivale a maior capacidade). Também não está ausente de criticas, pois um aumento de 16GB custa tanto como um de 32GB. Isto deve ser explicado por os modelos com maior capacidade utilizarem chips de memória também de maior capacidade – logo mais caros – e não uma maior quantidade de chips.

Um iPod maior ou um iPad mais pequeno?

O iPad mini vem aumentar a oferta dos dispositivos iOS. Se o iPhone e o iPod touch são a versão mais portátil, e o iPad é a versão com mais capacidades, o iPad mini vem colocar-se claramente entre os dois.

É muito leve e extremamente portátil, mas mantém grande parte das capacidades do seu irmão maior, sobretudo quanto à forma de utilização. Navegar na web ou utilizar o teclado touch é bem melhor no iPad mini que num iPhone, por exemplo. Já o processador de menor capacidade, face ao iPad mais potente, poderá fazer-se sentir em algumas aplicações e jogos, sobretudo à medida que estes forem puxando o processador até ao seu limite.

O iPad mini é uma excelente compra para quem quer um dispositivo mais leve e portátil onde possa navegar e manter-se actualizado, ver emails, aceder a redes sociais ou jogar, sabendo que terá sempre acesso a tudo o que o iPad maior faz, como escrever textos ou fazer edição de fotografias ou vídeos. Não tem a mesma capacidade do iPad maior, mas sendo mais pequeno e leve será mais confortável de utilizar.

Certamente que o iPad mini vai canibalizar as vendas dos modelos maiores. Mas enquanto forem produtos Apple a roubar vendas a outros produtos Apple, a marca não deve mostrar sinais de preocupação.

0 comentários