O fim da era do iPod?

51 milhões de iPhones, 26 milhões de iPads, 6 milhões de iPods e 4,8 milhões de Macs. Estes são os números da Apple relativos ao período Outubro/Dezembro do ano passado, que indicam uma coisa: o iPod já conheceu melhores dias. Comparativamente a 2012, as vendas do MP3 da Apple baixaram em 52%, de 12,7 milhões.

O fim da era do iPod? Talvez. No último trimestre de 2014 (o tal período Outubro/Dezembro), a Apple teve receitas de 57,6 mil milhões de dólares, para as quais o iPod contribuiu apenas com 973 milhões de dólares. Sim, é um negócio de 1 mil milhões, mas está a ficar cada vez mais pequeno dentro da empresa.

O iPod existe dentro do iPhone e dentro do iPad. Foi canibalizado. Em cada um dos 51 milhões de iPhones vendidos no final de 2013 existe um iPod. Aliás, Steve Jobs até apelidou uma vez o iPhone de “o melhor iPod que alguma vez fizemos”. Apesar de menos portátil, também o iPad permite guardar uma biblioteca imensa de música.

Por outro lado, o iPod foi sempre muito limitado. Só funciona com wi-fi, o que limita o acesso a serviços de streaming de música como o Spotify, o Rdio ou até o iTunes Radio. De facto, uma ligação à internet constante é algo que com um iPod, mesmo sendo o iPod Touch, não conseguimos obter – a não ser que estejamos permanentemente numa rede wi-fi.

As vendas do iPod há anos que estão em queda. Em 2009, a Apple reconheceu que os iPods tradicionais – o Shuffle, o Nano e o Classic – estavam em declínio, algo que a empresa já internamente havia previsto, tendo começado a apostar no iPhone e também no iPod Touch. “Prevemos que os nossos tradicionais leitores MP3 continuem em queda, à medida que os canibalizamos com o iPod Touch e com o iPhone”, referiu na altura o CFO Peter Oppenheimer.

Ainda assim, a Apple recorda que o iPod ainda tem uma quota de mercado elevada (70%, aproximadamente) no mercado norte-americano de leitores MP3, e que é o produto da sua categoria mais vendido em todo o Mundo.

Em 2013, a Apple não introduziu nenhum iPod novo. Nem mesmo um iPod Touch novo. A a empresa renovava anualmente o portefólio por meados de Setembro/Outubro. Mas no último ano ficou-se pelo lançamento do iPhone 5C, do iPhone 5S, do iPad Air e do iPad Mini Retina Display. A introdução de novos iPods tem elevado sempre as vendas, disfarçando a queda real do produto ano após ano.

grafico declinio ipod

Não é o primeiro ano em que não temos novos iPods. O que pode indicar que a Apple não abandonou o produto, tendo feito unicamente uma pausa. Todavia, a verdade é que o iPod já teve o seu auge, assim como todos os leitores MP3 no geral.

Texto de Mário Rui André. Para o iClub / Shifter

0 comments