Nações Unidas e várias empresas de tecnologia apoiam a Apple contra o FBI

A batalha entre a Apple e o FBI ainda deverá ter muitos capítulos dentro e fora do tribunal mas a gigante tecnológica continua a somar apoios entre e fora do seu meio ambiente.

Esta semana a Apple apresentou em tribunal um documento onde fortalece a noção de que o pedido do FBI é inconstitucional (via Engadget). A novidade não é a afirmação em si, mas o facto da carta destacar o apoio de outras empresas que, em conjunto, são usadas por mais de mil milhões de pessoas em todo o mundo. São empresas como Airbnb, CloudFare, eBay, Github, LinkedIn, Reddit, Square, Twitter entre outras que estão contra o pedido do FBI em criar uma porta traseira para os dispositivos da Apple.

Na carta, as empresas dizem que “ajudam regularmente investigações governamentais” e tentam assegurar “que os pedidos governamentais relacionados com dados de utilizadores estão dentro dos limites aplicáveis pelas leis”. No entanto, todas elas acham que “o que o governo pede aqui está fora dentro de qualquer limite legal”.

Mas este não foi o único apoio da Apple que na sexta-feira viu a própria Nações Unidas (UN) dar uma ajuda à sua causa. O Alto Comissário da UN para os direitos humanos, Zeid Ra’ad Al Hussein, publicou uma carta no website da UN onde pede às autoridades dos Estados Unidos para procederem com precaução, neste pedido à Apple.

Hussein diz que se for dada razão ao FBI será aberto um precedente que impedirá a Apple e qualquer outra empresa do mundo de garantir a privacidade dos seus utilizadores. Na carta é mesmo dito que isto pode abrir “uma caixa de Pandora que poderá ter implicações extremamente graves para os direitos humanos de milhões de pessoas, incluindo a sua segurança físico e financeira.

Apesar de alguns dos familiares das vítimas terem expressado o seu apoio ao FBI, parece que a Apple continua a contar com a ajuda de importantes entidades norte-americanas e mundiais.

0 comments