Música em alta qualidade, será que vale a pena?

Nos últimos tempos a qualidade da música que ouvimos tem sido cada vez mais um tema em discussão por todos os entusiastas de tecnologia e de música. Algures no passado quando ainda se usavam suportes físicos para a música, como é o caso do vinil ou dos CDs a qualidade da música estava limitada ao que o suporte físico suportava. Contudo, nos últimos tempos, com a chegada da chamada música digital com serviços como numa primeira fase a iTunes Store e mais recentemente os serviços de streaming esta realidade tem vindo a mudar e têm sido colocadas questões sobre a qualidade da música que ouvimos.

A iTunes Store, por exemplo, começou por ser de 256kbps AAC o que ainda ficava atrás da música que vinha em suportes físicos, contudo isto já se reverteu entretanto. O Apple Music tem uma qualidade de áudio de 256kbps (a menor entre os principais concorrentes), o Spotify uma qualidade de 320kbps e o TIDAL promete no seu plano mais caro uma qualidade de áudio de até 1.44MBps ou 1044kbps, o chamado áudio de alta resolução. Quisemos pôr os serviços à prova e saber se a música em alta qualidade (a proposta de valor do TIDAL) vale mesmo a pena.

Após alguns testes com músicas de estilos diferentes os resultados foram interessantes.

Neste caso, para mim, que não tenho os ouvidos treinados para diferenciar entre as várias qualidades as diferenças foram praticamente impercetíveis. Contudo, em música que contém voz uma pequena diferença quando se muda do TIDAL para outros serviços, mas a experiência não muda. No final de contas, o dinheiro a mais pela conta HIFI do TINDAL acaba por não valer a pena.

No entanto fica uma questão no ar, que equipamento usamos para poder comprovar se existiriam ou não diferenças entre os serviços.

Auscultadores Sony h.ear on MDR-100AAP

Usamos para tentar descobrir as diferenças entre os diversos serviços de streaming os Sony h.ear, que cumpriram o prometido. Os auscultadores têm um design compacto, que se ajusta perfeitamente à cabeça do utilizador. Sendo que, a banda é extensível para abranger o maior número de utilizadores. As almofadas da orelha com isolamento não só oferecem um excelente conforto (e aquecimento) à volta da orelha, como também impedem a fuga de som e a entrada de ruído indesejado. O isolamento dos ruídos exteriores é sem dúvida um dos pontos fortes deste equipamento. A banda é feita em plástico e a parte exterior das almofadas é feita em metal.

Outro dos seus pontos fortes é o facto de permitir a reprodução de áudio em alta resolução. Estes novos auscultadores da Sony são compatíveis com todos os smartphones (têm incluído os comandos e microfone no cabo), com tablets e claro com computadores. O cabo de 1,2m é removível dos auscultadores.

Os Sony h.ear on MDR-100AAP custam 199€ em Portugal e estão disponíveis em várias cores: vermelho, rosa, amarelo, azul e preto.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

O produto desta review foi fotografado com uma Sony a5000.

0 comments