Já se sabe a quantia que o FBI pagou pelo desbloqueio do iPhone de San Bernardino

Ainda se recordam do tiroteio de San Bernardino? Ainda se recordam de toda a controvérsia que existiu em relação ao iPhone do atirador? Vamos recapitular um pouco a história para reavivar a memória.

No dia e de Dezembro de 2015 um casal foi considerado culpado por um tiroteio no Inland Reginal Center em San Bernardino. O resultado desse tiroteio foram 21 feridos e 14 mortos. Este tiroteio foi considerado pelo FBI como um ataque terrorista, e os indivíduos que foram identificados como autores acabaram por ser abatidos na fuga durante uma troca de tiros.

Os autores do ataque foram Tashfeen Malik e o seu marido Syed Farook, este último ficou bastante conhecido mesmo após a sua morte porque o seu iPhone 5C era bastante cobiçado pelo FBI. Graças a este iPhone, as agências governamentais entraram numa guerra com a Apple devido à privacidade dos utilizadores.

O FBI precisava de aceder ao conteúdo do iPhone de Farook mas a Apple não vacilou. Apesar das circunstâncias nunca cedeu para dar acesso a conteúdo encriptado mesmo com algumas pressões judiciais. Desta forma o FBI não conseguiu nada com a aprovação de Tim Cook portanto a agência governamental teve de se mexer por outros meios.

Mais tarde foi tornado público que o FBI tinha conseguido aceder ao iPhone do suspeito, mas para que esse processo teve de ser pago. E agora surgem mais dados em relação a esse acesso ao conteúdo encriptado do dispositivo. Especulava-se que o desbloqueio do iPhone 5C de Farrok tivesse custado ao estado mais do que um milhão de dólares. Mas agora chegam valores concretos que foram revelados pela senadora Dianne Feinstein.

Segundo ela o valor oficial para o desbloqueio do iPhone 5C do atirador de San Bernardino foi de 900.000 dólares. Um valor não muito distante daquele que se especulou inicialmente.

0 comentários