iPhone 5 revela o seu interior

Com o iPhone 5 a chegar às mãos dos primeiros clientes, era certo e sabido que imediatamente seria dissecado pelos nossos colegas do iFixIt, para assim revelar tudo aquilo que o faz “mexer”. 

O novo iPhone 5 é mais “reparável” que o anterior iPhone 4/4S, tendo obtido uma classificação de 7 (em 10), motivo que leva a que as lojas da Apple tenham instruções para subtituir os ecrãs partidos directamente na loja, em vez de substituirem os iPhones por modelos refurbished. Para referência, num iPhone 4/4S a troca de ecrã era operação que poderia demorar cerca de 45 minutos, e que no iPhone 5 pode ser feita em apenas 5 ou 10 minutos.

Os utilizadores que já sofreram com “home buttons” avariados irão também gostar de saber que no iPhone 5 a base passa a ser em metal, aumentando substancialmente a robustez do mesmo. Por outro lado, a Apple dá um passo para trás ao regressar aos motores rotativos para a vibração, mais ruidosos e “vibrantes” – os mesmos que eram usados nos primeiros modelos dos iPhones, mas que depois foram substituidos por motores lineares mais suaves no iPhone 4/4S.

Quanto à resistência a riscos, o novo chassis em metal é bastante resistente, mas obrigará a cuidades especiais nas arestas, que facilmente podem ser raspados contra objectos metálicos e “perder a cor”; mas pelo menos no vidro que cobre as lentes (supostamente vidro safira), parece que a resistência aos riscos está comprovada – a revelar-se invulnerável a tentativas de “ataque” mesmo com peças metálicas.

Outro pormenor curioso, neste iPhone 5 a RAM não era da Samsung mas sim da Elpida (empresa concorrente) – faltando determinar ainda qual será a proporção de iPhones com memórias de uma e outra empresa (mas não sendo segredo que a Apple tem diversificado os seus fornecedores para diminuir a dependência de qualquer um deles).

0 comentários