Google lança tablet Nexus 7, Nexus Q, novo Android e óculos futuristas

Durante a conferência Google I/O, que se encontra a decorrer em São Francisco (Califórnia, EUA) a Google anunciou ontem o sistema operativo Android 4.1 Jelly Bean e o seu novo tablet Nexus 7, que irá concorrer com o iPad, com o Microsoft Surface e com o Kindle Fire. Outras novidades do evento foram a apresentação do centro de multimédia Nexus Q, possível concorrente da Apple TV, e um novo protótipo do Project Glass.

Android 4.1 Jelly Bean

Com o novo sistema operativo Android 4.1 Jelly Bean, a Google promete melhorar a experiência de interação, eliminando a falta de responsividade da interface que era notada por muitos utilizadores. Ao mesmo tempo, esta nova versão incluirá já um assistente parecido com o Siri, que permitirá aos utilizadores interagir com o sistema utilizando comandos de voz. A introdução de texto por voz poderá ser utilizada off-line, isto é, sem recurso a uma ligação de dados.

Outra novidade é o Google Now, um sistema de pesquisa que fornece resultados personalizados para cada utilizador e ajustados com base no tempo e na localização, com o objetivo de fornecer ao utilizador informação mais relevante. Por exemplo, se o utilizador estiver perto de uma paragem de autocarro, o sistema pode indicar o horário do próximo autocarro.

Google Nexus 7 – o novo tablet da Google

O tablet Google Nexus 7, que é produzido pela Asus, tem um ecrã de 7 polegadas com uma resolução de 1280×800 pixels, um processador Tegra quad-core, acesso a redes Wi-Fi, suporte para dispositivos Bluetooth e NFC. Para além dos jogos, a leitura de revistas interativas foi um dos cenários de uso destacados durante a apresentação deste dispositivo. Como seria de esperar, o Nexus 7 terá acesso aos conteúdos da loja Google Play. Com um peso de apenas 340 gramas e bateria com autonomia de até 9 horas em reprodução de vídeo, este pequeno tablet da Google promete concorrer mais fortemente com o Kindle Fire do que com o iPad.

Para já, será vendido a partir da loja on-line Google Play, sendo que nos EUA irá custar a partir de 199 dólares.

Google Nexus Q – um concorrente para a Apple TV, com Android

Como complemento ao Nexus 7 e a outros dispositivos com sistema operativo Android, a Google anunciou o Nexus Q, um pequeno media center baseado em Android, cujo conceito é bastante semelhante ao da Apple TV: uma pequena caixa (neste caso, uma esfera) que se liga a um aparelho de televisão e que recebe streaming de conteúdos multimédia (música, vídeos) através de uma ligação Wi-Fi. O dispositivo pode ser ligado a um televisor, a um sistema de som, ou a umas simples colunas.

O Nexus Q trabalha de forma integrada com o Youtube e com o serviço de cloud Google Play, sendo que as músicas do utilizador podem ser transferidas para para a “nuvem”, para facilitar o seu acesso posterior em qualquer lugar. A Google destaca a vertente social do Nexus Q, que permitirá a criação de listas de reprodução colaborativas, incorporando músicas de diferentes utilizadores.

Este dispositivo será vendido nos EUA, também a partir da loja on-line Google Play, pelo preço de 299 dólares.

Project Glass – óculos futuristas com câmara integrada

Durante o evento, a Google preparou uma apresentação impressionante para o Project Glass: um grupo de paraquedistas transmitiu vídeo em tempo real durante a sua viagem até ao Moscone Center, desde o salto do avião até ao percurso final em bicicleta. Tem sido muito falada a eventual integração de funcionalidades de realidade aumentada, mas o dispositivo apresentado parece estar ainda numa fase precoce do seu desenvolvimento. Segundo o próprio Sergrey Brin, este não pretende ser para já um produto destinado ao consumidor final.

Ainda assim, a Google já iniciou a pré-venda do Google Glass Explorer Edition, com um preço de 1500 dólares. Para já, somente os participantes na Google I/O deste ano é que terão acesso a este programa de pré-venda, sendo que a primeira entrega está prevista para o início do próximo ano.

O sucesso dos produtos agora apresentados irá depender de muitos outros fatores, como a experiência de utilização ou à disponibilidade de um ecossistema de produtos e serviços suficientemente apelativo para o grande público. Mas, para já, a impressão global que fica deste evento é que a Google fez um esforço notável no sentido de tornar as suas apresentações de produtos mais cativantes do que nunca, seguindo em alguns aspetos os passos da própria Apple.

0 comentários