Gestão de finanças pessoais no Mac OS e iOS

Em tempos de crise, necessitamos de manter debaixo de olho todo e qualquer movimento que o nosso curto dinheiro possa ter. Para isso, nada melhor que usar um gestor de finanças pessoais não só para registar todos os movimentos das suas contas bancárias, mas também para fazer a sua melhor gestão. Ao longo de mais de um ano, usei o Quicken Essentials para Mac, sempre acreditando que a empresa rapidamente iria passar para o iOS, mas isso não se verificou nem há previsões que aconteça. Assim sendo, tive que saltar para outro programa. A escolha não foi fácil pois, embora a oferta não seja muita, não há muito que diferencie este tipo de programas. A escolha recaiu sobre o Money, da Jumsoft.

O primeiro motivo da escolha prende-se com o facto de o programa estar presente não só no Mac, como também no iPhone e iPad. Embora apenas vá usar a versão para Mac e iPhone, é sempre bom saber que existe a versão para iPad, caso seja necessário. O programa, em todas as plataformas, é sóbrio, permitindo a concentração nos elementos fundamentais da gestão das finanças pessoais. Permite a criação de vários tipos de conta, que vão desde as bancárias, passando pelos cartões, empréstimos e investimentos bolsistas (com gráficos de atualização automática). Permite a criação de movimentos agendados, relatórios pormenorizados e orçamentos variados. É nos orçamentos que a aplicação pode, em tempos de crise, revelar-se um auxiliar importante, não só para a poupança como para a sobrevivência. Nesta secção, permite a criação de vários orçamentos, sendo possível a definição de plafonds, tanto para categorias gerais, como para subcategorias. É assim possível, se usar o iPhone, saber a qualquer momento e em qualquer lugar se a despesa que está a fazer irá ou não rebentar com o orçamento definido para o mês.

Ainda de referir que a aplicação permite a gestão de contas bancárias em várias divisas, sendo que as transferências entre contas de moedas diferentes são feitas com base na cotação que o próprio programa obtém online.

Infelizmente, em Portugal não existe nenhuma instituição bancária que permita o download das transações para programas deste tipo, o que implica a sua introdução manual. Mas se definir um esquema de atuação e colocar no iPhone as despesas logo que elas aconteçam, a sua gestão das finanças pessoais pode passar a ser tratada como uma verdadeira brincadeira de crianças.

Para finalizar, mais importante que tudo isto, o programa suporta a exportação dos dados no formato universal deste tipo de aplicações (QIF ou CSV). Assim, caso amanhã surja uma opção melhor, poderá facilmente fazer a transição. A versão para Mac do Money não é propriamente barata, mas se abdicar dela, poderá achar um pouco difícil gerir toda a informação, sobretudo se a gestão que irá fazer envolva mais do que uma conta bancária, cartões e contas de investimento.

[col_1_2]
Portugal

[/col_1_2]
[col_1_2]
Brasil

[/col_1_2]
[divider]

[divider]Pub.
[divider]

0 comments