Executivos da Apple abordam exigências do FBI

O mediatismo em torno da guerra entre a Apple e o FBI está a obrigar alguns dos principais executivos da empresa norte-americana a aparecerem em público.

Craig Federighi, Vice-Presidente da Apple para Engenharia de Software, publicou um artigo de opinião no The Washington Post.Nele, Federighi diz ser inaceitável que o FBI e o departamento de justiça dos Estados Unidos queiram, por exemplo, que a Apple volte a disponibilizar versões mais antigas do seu sistema operativo para dispositivos móveis (o iOS 7 mais especificamente).

Federighi relembra que voltar a disponibilizar uma versão mais antiga do iOS representa um perigo para todos as pessoas que tenham um iPhone. Numa altura em que várias entidades têm visto a sua segurança ameaçada, a Apple tem feito todos os esforços para manter a segurança dos seus clientes à frente de qualquer possível ameaça.

O departamento de justiça está particularmente interessado no iOS 7 porque, com esta versão do sistema operativo, era possível aceder ao conteúdo presente no dispositivo móvel.

Por sua vez também Eddy Cue fez questão de abordar este assunto. Numa entrevista a uma estação televisiva espanhola (via Business Insider), o vice-presidente da Apple disse que, se este pedido do FBI for abordado, a agência poderá alargar ainda mais as suas pretensões.

A título de exemplo, Cue diz que o FBI poderá obrigar a Apple a espiar todos os seus utilizadores tirando proveito das câmaras e microfones dos seus dispositivos. Para além disso, Cue relembra que o FBI quer que a Apple mude a “fechadura” do seu sistema operativo porque a empresa não tem a “chave” para a fechadura actual.

Na batalha judicial contra o FBI a Apple tem ganho apoio de várias entidades, incluindo várias outras empresas e tecnologia e até das Nações Unidas. Recentemente, o CEO da Apple referiu-se a este pedido do FBI como o equivalente a “um cancro”.

 

0 comentários