Apple Pay

Apesar do Apple Pay ter sido lançado em setembro de 2014, volvidos cerca de 2 anos a sua expansão ocorre ainda de forma (bastante) demorada. Só chegou ainda a apenas 12 países: Austrália, Canada, China, Estados Unidos, França, Hong Kong, Japão, Nova Zelândia, Reino Unido, Rússia, Singapura, e Suíça.

É a vez de mais um pais europeu ser adicionado a esta estrita lista e dar as boas vindas ao serviço, e coube a Espanha fazê-lo através do Banco Santander.

O Apple Pay mostra que estamos empenhados em colaborar e trazer inovação e novas tecnologias aos nossos clientes para tornar os seus pagamentos mais fáceis, rápidos e seguros “, – Rami Aboukhair, chefe do Santander Espanha.

O Apple Pay poderá ser utilizado pelos clientes deste banco com qualquer dispositivo Apple, iPhone e Apple Watch num terminal multibanco adaptado, em lojas como as da Apple, Media Markt, Springfield, Pull&Bear, Stradivarius, Zara, FNAC, Lidl, Cortefiel, C&A, Bershka e muitas outras. E online através do novo MacBook Pro e dos iPad com Touch ID, em apps e lojas online com suporte ao serviço.

Resta saber se com a chegada do serviço de pagamentos a tão pertinho de nós, exista a possibilidade de em breve chegar também a território nacional.

Numa forma de incentivo para a utilização do Apple Pay, a empresa disponibilizou uma nova promoção para quem utilizar este tipo de pagamento. O Apple Pay está a ganhar terreno aos poucos, ainda não se encontra disponível em todo o mundo, mas Tim Cook encontra-se a trabalhar para isso. O objectivo da Apple é que o seu pagamento virtual seja uma realidade em todo o mundo e para toda a gente, mas muitos ainda não confiam neste tipo de pagamentos.

Porquê? Por se tratar de dinheiro virtual? Por não verem o valor que realmente é debitado nas suas contas? Até ao momento não existe motivo para preocupações.

A Apple afirma que é a empresa mais segura do mundo, apesar de toda a controvérsia que tem existido para o FBI aceder aos seus dispositivos. Se pensarmos bem, é bem capaz de ser mesmo a empresa mais segura do mundo, porque nem o próprio FBI consegue aceder ao conteúdo dos dispositivos sozinho.

Para angariar mais clientes, ou talvez a confiança dos mesmos, a Apple está a a oferecer $5/£5 em cartões presente do iTunes, quando os pagamentos são efectuados com o Apple Watch ou com o iPhone.

Mas atenção, isto só está disponível nas lojas da própria Apple e não para todas as outras que aceitam esse tipo de pagamento. O valor que a Apple oferece pode parecer muito irrisório pois são apenas $5/£5, mas já dá para adquirir aquela app que tanto queriam, ou até mesmo comprar um álbum em promoção no iTunes.

A plataforma de pagamentos móveis da Apple chegou este mês a mais dois locais geográficos, França e Hong Kong, isto depois de também ter sido disponibilizado na Suíça. A entrada do Apple Pay nestes dois países e em Hong Kong não é propriamente novidade, considerando que a mesma foi confirmada pela própria Apple, durante a conferência anual para programadores, WWDC.

Na França, o Apple Pay está disponível para cartões Visa e MasterCard associados aos bancos Banque Populaire (BPCE), Orange Cash (brevemente, Boon (brevemente), Caisse d’Epargne, Ticket Restaurant e Carrefour Banque. Embora sejam cerca de 5 entidades bancárias, apenas a primeira é realmente popular, sendo o segundo maior banco daquele país.

Actualmente, Apple Pay poderá ser usado pelos franceses num número ainda reduzido de lojas (16) mas que já incluí algumas das marcas mais conhecidas como Carrefour, Fnac, Pret, Sephora e Orange.

Já na cidade de Hong Kong, os bancos que suportam o Apple Pay desde o seu lançamento são:

  • Hang Seng Bank
  • Bank of China
  • DBS Bank
  • HSBC
  • Standard Chartered
  • e todos os cartões directamente da American Express

Curiosamente, e talvez por também já estar disponível na China, o Apple Pay pode ser usado em muitas mais lojas naquela cidade. Entre as lojas, destacamos o KFC, McDonald’s, Pizza Hut e 7-Eleven.

O Apple Pay foi anunciado pela primeira em 2014, durante a habitual conferência de Setembro dedicada aos iPhones. Esta plataforma de pagamento móveis tem tido um crescimento internacional bastante lento estando, neste momento, disponível em apenas 9 países no mundo inteiro.

A chegada do Apple Pay à Suíça já tinha sido especulada e confirmada pela própria Apple durante o mês de Junho.

No início de Junho, o site suíço Finews anunciou que a Apple preparava-se para lançar o seu serviço de pagamentos móveis naquele país. Para evitar mais especulações, a gigante norte americana confirmou, durante a WWDC, que o Apple Pay iria chegar à Suíça e anunciou também França e Hong Kong como os próximos destinos.

O serviço está agora disponível na Suíça, tal como é possível confirmar no site da Apple naquele país. Esta expansão ocorre em parceira com as empresas de cartões de crédito Mastercard e Visa no entanto,  o número de estabelecimentos que aceita esta forma de pagamento ainda é bastante reduzido.

Actualmente apenas as empresas Aldi, Avec, C&A, k kiosk, Mobile Zone, P&B, Spar, e TopCC aceitam o Apple Pay como método de pagamento, mas é esperado que este valor aumente com a maior presença destes serviços no mercado europeu.

O Apple Pay foi lançado em 2014 nos Estados Unidos e chegou ao primeiro país europeu no verão de 2015, com a chegada do serviço ao Reino Unido. Desde então, o Apple Pay tem tido uma expansão internacional bastante lenta, o que dificulta uma medição exacta do sucesso da plataforma.

A expansão do Apple Pay começa a intensificar-se e, como já tinha sido especulado, o serviço de pagamentos móveis vai chegar brevemente a 3 países no continente europeu e asiático: Suíça, França e Hong Kong.

A chegada a França e Suíça já tinha sido especulada recentemente e a confirmação (a par de Hong Kong) veio agora pela própria Apple, durante a conferência anual para programadores, a WWDC. Isto significa que, na Europa, o Apple Pay vai triplicar o número de países em que está disponível depois de, em 2015, ter chegado ao Reino Unido.

Inicialmente (e como é habitual) o número de lojas físicas onde será possível usar o Apple Pay é bastante reduzido. Na França apenas 18 empresas adoptaram o Apple Pay, enquanto que esse valor diminui para 11 na Suíça mas aumenta para 23 em Hong Kong.

No que diz respeito ao Apple Pay, a principal novidade desta plataforma de pagamentos móveis, apresentada na WWDC, está relacionada com Macs. Com o futuro macOS Sierra e com o iOS 10, os utilizadores poderão fazer pagamentos na web (via Mac) tirando proveito da maior interacção entre os dois sistemas operativos. Em termos práticos, os utilizadores poderão usar o Touch ID do iPhone/iPad para confirmar os pagamentos online feitos através do Mac.

A Apple anunciou hoje a nova versão do OS X e a primeira coisa que precisa de saber é que o sistema operativo para computadores da gigante de Cupertino tem um novo nome, macOS. Depois de 15 anos como OS X, a Apple mudou para a uniformizar toda a linha. Os seus sistemas operativos são agora o iOS, o watchOS, o tvOS e o macOS. Esta nova versão chama-se macOS Sierra.

A maior novidade, como esperado, foi sem dúvida a Siri. Depois de 5 anos desde que foi lançada originalmente no iPhone a Apple finalmente traz a sua assistente pessoal para o Mac.

output_wk49gA

No macOS, a Siri funciona de maneira praticamente idêntica ao iOS. Clicando no ícone da Siri que fica ou na dock ou na barra de menu vai ser possível marcar eventos no calendário, enviar mensagens, abrir aplicações, ver trailers de filmes, ver estatísticas de algum desporto e muito mais. Para além disto, vai ser possível pesquisar em todos os ficheiros do computador e guardar as pesquisas diretamente no Notifications Center.

siri mac

Duas novas funcionalidades, parte do Continuity, são quando estamos a usar um Apple Watch vai ser possível a partir de agora iniciar sessão no Mac sem ser preciso qualquer tipo de password e o que a Apple apelidou de Universal Clipboard, basicamente é uma nova funcionalidade que torna possível copiar e colocar entre um dispositivo iOS e o Mac.

auto unlock

Além destas novidades, a Apple vai usar o iCloud para tornar a gestão dos ficheiros mais fácil. Em primeiro lugar, o novo macOS vai ter uma nova funcionalidade que permite sincronizar os ambientes de trabalho entre vários dispositivos, vai ser até possível ver os ficheiros que estão no ambiente do seu Mac diretamente no iPhone. Mas, a funcionalidade que mais chamou a atenção foi a de limpar espaço no computador. No novo macOS Sierra o iCloud vai automaticamente remover os ficheiros antigos e guardá-los na nuvem, deixando apenas os ficheiros com que estamos a trabalhar. Para além disto, foi ainda anunciada uma nova funcionalidade que elimina todos os ficheiros não usados e que pode devolver ao seu Mac vários gigabytes de espaço de armazenamento.

icloud macos

O Safari também recebeu uma atualização com a adição do Apple Pay web, com o qual vai ser possível fazer compras na web e pagar com o Apple Pay. Contudo, o ponto fraco é que vai ser ainda preciso um iPhone para fazer a autenticação da compra.

apple pay web

O novo macOS Sierra está disponível a partir de hoje para programadores, o seu beta público estará disponível em Julho e para os restantes utilizadores estará disponível, como não podia deixar de ser, no Outono.

Quando Tim Cook subiu ao palco anunciou que a Apple iria falar sobre os seus 4 sistemas operativos, começando pelo novo watchOS. As novidades esperadas para o sistema operativo não eram muitas, basicamente como toda a gente esperava a nova versão do watchOS é apenas uma limpeza geral no sistema operativo.

A primeira e talvez maior novidade são as aplicações instantâneas. Uma das maiores queixas dos utilizadores do Apple Watch era o tempo que as aplicações demoravam para iniciar. Como é que a Apple resolveu isto? Agora as aplicações estão sempre abertas e iniciam instantaneamente. Claro que isto seria impossível se não tivessemos um dock de aplicações onde podemos controlar as que estão abertas e as que pretendemos fechar.

A nova interface inclui ainda o Control Center, que está disponível com um simples swipe para cima no ecrã do Apple Watch. O botão lateral tem agora uma nova funcionalidade que é lançar as aplicações que estão a ser executadas em vez dos contactos favoritos, como acontecia até agora. O novo watchOS tem ainda novas watch faces, incluindo uma com a Minnie e uma outra que mostra com maior ênfase o progresso na aplicação Atividade. Para além disso, as watch faces podem agora ser mudadas com um simples swipe no ecrã. A aplicação Lembretes e a Encontrar Amigos foram ainda redesenhadas para o Apple Watch.

control center watchos

Outra das novidades foi o Scribble, uma nova forma de escrever no Apple Watch simplesmente desenhando as letras no ecrã. Esta funcionalidade está por enquanto apenas disponível em inglês e chinês, esperemos que o português seja para breve.

scribble

Outra das novidades foi as chamadas de emergência que agora podem ser feitas diretamente do Watch premindo o botão lateral. Esta chamada é feita através da rede do iPhone ou através de Wifi caso o Watch esteja ligado. Para além disso, alerta ainda os contactos de emergência via mensagem. Esta funcionalidade está disponível em todo o mundo, e corrige automaticamente o número consoante o país de onde seja feita a chamada.

sos novidade

Segundo a Apple, o uso mais comum do Apple Watch é o rastreamento de atividade física e por causa disto foi anunciado uma nova aplicação com este fim. A nova aplicação permite aos utilizadores ligarem-se aos seus amigos para verem o seu progresso, ver as suas atividades, enviar mensagens e até mesmo enviar as pulsações. O rastreamento de atividade física está também disponível agora para utilizadores de cadeira de rodas, com uma novidade a ser posta em foco. Em vez de apresentar que é hora de se levantar agora o aviso para  utilizadores de cadeiras de rodas será “Time to roll”. O Apple Watch faz agora também rastreamento da atividade na cadeira de rodas.

activity sharing

Foi apresentada mais uma nova aplicação para o Watch chamada Breathe e que vai permitir e encorajar os utilizadores a usar técnicas de respiração e relaxamento, fornecendo não só um guia para o relaxamento como a possibilidade de feedback tático.

breathe

Foram ainda apresentadas novidades especialmente para os programadores como a disponbiilização do Apple Pay para aplicações de terceiros, processamento em segundo plano de aplicações fitness, control nativo da coroa digital, APIs para o speaker control e para vídeo.

new faces

O watchOS está disponível a partir de hoje para programadores e no Outono para os restantes utilizadores gratuitamente.

 

 

A plataforma de pagamentos móveis da Apple poderá estar a chegar ao mundo Web e essa novidade poderá ser apresentada já amanhã, durante a conferência anual para programadores. O rumor é avançado pelo site Digital Trends, que revela os planos da gigante de Cupertino em se tornar uma competidora de serviços de pagamentos online, como o Paypal. No entanto, o mecanismo de funcionamento desta tecnologia da web ainda não se conhece.

Actualmente o Apple Pay funciona apenas em lojas físicas com os consumidores a conseguirem pagar as suas compras com os seus dispositivos móveis (iPhones, iPads e Apple Watch). Para o pagamento é necessária a impressão digital do utilizador (Touch ID) e um chip NFC instalado nos dispositivos.

A ser lançado para o mundo web, algumas questões colocam-se. Será possível comprar online apenas nos dispositivos móveis? Será esta possibilidade estendida aos Macs? Se sim, como será feita a validação do utilizador?

Quase 2 anos após o seu anúncio, o Apple Pay apenas se encontra disponível em 6 países no mundo inteiro, com o sétimo (Suíça) a poder ser anunciado também amanhã. Esta expansão internacional lenta poderá no entanto mudar, de acordo com declarações recentes de Jennifer Bailey, Vice-Presidente da Apple para o Apple Pay. Será que a versão online do Apple Pay também está disponível apenas naqueles países ou chegará também a Portugal?

A Apple está a trabalhar arduamente para conseguir implementar um sistema global de pagamento virtual, mas esse processo não ira acontecer da noite para o dia, mas gradualmente o mercado vai sendo expandido. O próximo passo da empresa sediada em Cupertino é a Suiça, espera-se que na WWDC 2016 sejam apresentadas algumas novidades referentes a este tipo de pagamento virtual, pois a concorrência (Samsung) está a ganhar terreno.

Esta noticia foi avançada por um dos jornais financeiros suíços o Finews o qual relata que alegadamente este tipo de pagamento ira estar disponível no país a 13 de Junho. Foi tudo muito silencioso até ao momento, mas pelo menos um dos maiores bancos Suíços, o Ticino Cornèr Bank parece estar preparado para avançar com o Apple Pay já na próxima segunda feira.

Na edição do Finews pode-se ler:

Financial partner of Apple Pay in Switzerland is apparently Ticino Cornèr Bank, which already cooperates well outside the industry with Swatch in Fintech sector.

O lançamento oficial do Apple Pay aconteceu a 20 de Outubro de 2014, portanto esta ano a Apple irá celebrar o segundo aniversário deste no mercado. Este ano podemos contar com a chegada do Apple Pay a diversos locais, Espanha, Hong Kong, China, Singapura, são alguns dos que vão receber esta novidade.

A plataforma de pagamentos móveis desenvolvida pela Apple chega assim a mais um país, naquela que é, provavelmente, uma das expansões internacionais mais lentas de produtos da empresas – apenas ultrapassado pelo Apple News. Este é o segundo país asiático a receber o Apple Pay, depois do lançamento oficial na China – o seu maior mercado na região. Excluindo os Estados Unidos da América, que foi o primeiro país a receber o Apple Pay logo em Outubro de 2014, apenas outros 5 países tiveram direito a este serviço: Reino Unido, Canadá, Austrália, China e agora Singapura.

Este ano e graças a uma parceria com a American Express, o Apple Pay também deverá chegar a alguns países Europeus como a França e Espanha. No entanto, é importante mencionar que a expansão da tecnologia de pagamentos móveis para Singapura é independente da American Express. O serviço chegou a acordo com os principais bancos daquela país e ainda com outros fornecedores de cartões de crédito como Mastercard e Visa.

Recentemente, a Vice-Presidente para o Apple Pay, Jennifer Bailey, afirmou ao TechCrunch que a empresa está a trabalhar rapidamente para conseguir levar a plataforma de pagamentos móveis a mais países na Ásia e Europa.

Infelizmente Bailey não revelou quais os países visados, ficando portanto a questão se Portugal será um deles?