Tirar qualquer novo gadget da Apple pela primeira vez da caixa é uma experiência única, envolta num misto de sentimentos. É por isso que partilhamos convosco o unboxing ao novo iPad Pro de 10.5″.

Muito provavelmente já lhe aconteceu ter que regressar para casa sozinho durante a noite. Se calhar já era bastante tarde e, apesar de se meter ao caminho, sentia-se um pouco amedrontado. Possivelmente telefonou a alguém para o ajudar a passar o caminho, para o ajudar a sentir-se mais seguro. Identifica-se com esta situação?

A mim já me aconteceu várias vezes, quer a pé quer de carro, ou de transportes públicos. E é por isso que achei esta app tão extraordinária. Companion é uma solução de segurança pessoal que utiliza a sua rede de amigos e família para lhe transmitir alguma paz de espírito.

Tudo o que tem a fazer é selecionar qual o seu destino e quem serão os seus companheiros, neste caso virtuais, da viagem. As pessoas que escolher nem precisam de ter a app instalada. Assim que os seleccionar (dentre os seus contactos) estes vão receber um convite por mensagem, para o acompanhar no caminho. Após aceitarem têm acesso a um mapa em direto do seu progresso ao mesmo tempo que vão sendo atualizados quando passa do ponto A para o ponto B.

O melhor: se começar a correr, se não chegar no tempo previsto ou se o smartphone cair ao chão, Companion irá perguntar-lhe se está tudo bem. Se não responder em 15 segundos, os seus companheiros serão automaticamente alertados.

Pode ainda reportar as áreas onde não se sente tão seguro, carregando em “I Feel Nervous”. Se houver uma emergência basta clicar em “Call Police”.

O Podcast do iClub está de volta! A WWDC 2017 foi o tema central da conversa, com especial destaque para os novos softwares, iOS 11, macOS High Sierra, watchOS 4 e tvOS 11.

O Podcast do iClub está ligado à comunidade Apple. Mais do que as notícias e as visões pessoais sobre os assuntos mais recentes temos ainda dicas exclusivas e muitas surpresas. O Podcast do iClub chegou para o ajudar a tirar o máximo proveito do seu iPhone, iPad, Mac, Apple Watch e Apple TV e divulgar projetos nacionais interessantes, que envolvam tecnologias igualmente interessantes e pioneiras. O podcast está disponível para download via iTunesSoundCloud ou no Youtube.

Participantes:

A pensar nas suas férias, esta semana, trago-lhe uma aplicação que o irá ajudar a encontrar o melhor hostel para si. Sim, hostel, não hotel. E porquê? Porque os hostels estão cada vez mais na moda, porque existem diferentes modalidades (camaratas, quarto duplo, individual, etc), porque o ambiente é mais propício ao convívio e a conhecer pessoas novas e, porque, são mais baratos.

Hostelworld permite reservar uma cama ou quarto privado, em qualquer um dos mais de 33.000 hostels em todo o mundo. O seu orçamento ditará o destino, desde um albergue chique em Paris a um hostel animado em Budapeste ou uma pousada ecológica em Amsterdão.

A aplicação é gratuita e já conta com mais de 3,5 milhões de clientes. É super confiável e não são cobradas taxas de serviço.

Se for do tipo mochileiro, então esta app é mesmo adequada a si. Enquanto viaja consegue facilmente encontrar um hostel para dormir na noite seguinte, sem preocupações.

Finalmente a Apple deu ouvidos aos utilizadores do iPad Pro. Eram precisas mais funcionalidades que fizessem valer o nome Pro nos iPad. E a Apple cumpriu bem, muito bem aliás, com a tarefa de engrandecer o sistema operativo de forma a deixar de lado a recordação de uma versão ampliada do iPhone. E atenção que não está aí exposto nem metade do potencial do software. Pode ver a nova App Store, o Control Center e App Switcher num incrível dois em um, a nova Dock, o também novo gestor de ficheiros do iOS  Files e um exemplo do uso da função Drag and Drop, no refinado modo multitarefa.

A autenticação de dois fatores chegou finalmente a Portugal. Os utilizadores portugueses têm agora à disposição um novo método de autenticação. A autenticação de dois fatores é uma camada adicional de segurança para o seu Apple ID, concebida para garantir que o utilizador é a única pessoa que pode aceder à conta, mesmo que alguém conheça a palavra-passe.

Com a autenticação de dois fatores, pode aceder à conta apenas em dispositivos nos quais confia, como o seu iPhone, iPad ou Mac. Quando pretende iniciar sessão num dispositivo novo pela primeira vez, terá de indicar duas informações: a palavra-passe e o código de confirmação de seis dígitos que é automaticamente apresentado nos seus dispositivos fidedignos. Ao introduzir este código, está a confirmar que confia no dispositivo novo. Por exemplo, se tiver um iPhone e estiver a iniciar sessão na sua conta pela primeira vez num Mac novo, ser-lhe-á solicitado que introduza a sua palavra-passe e o código de confirmação que é automaticamente apresentado no iPhone.

Quando tiver sessão iniciada, não lhe será novamente solicitado um código de confirmação nesse dispositivo, a menos que termine sessão por completo, apague o dispositivo ou precise de alterar a palavra-passe por motivos de segurança. Quando iniciar sessão na web, poderá optar por confiar no navegador, para que não lhe seja solicitado um código de confirmação da próxima vez que iniciar sessão nesse computador.

Até agora esta funcionalidade não estava disponível em Portugal, o que estava disponível era a autenticação em dois passos, que já foi provado que não é 100% seguro. Na autenticação em dois passos é enviado uma mensagem de texto com um código de confirmação, em vez de uma push-notification como acontece no novo método. Ao que parece, a autenticação em dois passos já não está disponível e foi totalmente substituída. A Apple já atualizou também a sua página dedicada a este recurso que está agora disponível em português de Portugal.

 

Phill Schiller, VP de Marketing da Apple, e Craig Federighi VP de Engenharia de Software da Apple foram os convidados desta semana do podcast “The Talk show” de John Gruber. O foco principal desta entrevista foi a WWDC, mais especificamente, alguns dos aspectos mais importantes anunciados durante a conferência.

Como anda a saúde dos seus olhos? Hoje em dia esforçamos muito os desgraçados dos olhos com horas e horas seguidas no computador, smartphones, tablets, televisão, etc. Se não tem por hábito visitar o oftalmologista com alguma regularidade, pode sempre fazer pequenos testes na sua própria casa. Existem aplicações próprias para o efeito, é só pesquisar na Store. Esta semana trago-lhe a Test your eyes que na versão portuguesa é traduzida como Oftalmo Centro.

 

São testes simples que pode fazer, por exemplo para saber se sofre de algum tipo de daltonismo, ou seja, se você está com deficiência de cores, sobretudo nos tons vermelho e verde. Além disso, pode descobrir se sofre de astigmatismo, miopia ou hipermetropia.

A app é gratuita mas vem com uma série de publicidade daquela bem chatinha. Para os menos tolerantes a publicidade há sempre uma opção paga onde se livra rapidamente dela.

A Apple costuma ser um relógio suíço no que toca ao início da keynote, mas hoje não foi o caso. Quando Tim Cook subiu ao palco já passava das 18:00. Depois do discurso inicial, onde o CEO da Apple realçou o quão inclusiva a WWDC é. Tim Cook dispensou depois as, já não tão habituais, novidades e mencionou que haveriam seis tópicos principais na keynote e hoje.

A primeira novidade foi o facto de a Amazon estar a chegar à Apple TV com o lançamento do Amazon Prime Video. Uma grande novidade e que pode ser um ponto positivo para a gigante de Cupertino, que afirmou que haverá mais novidades no final do ano.

A segunda foram as novidades do watchOS que chega à versão 4.0. A nova versão tem novas Watch Faces, uma delas relacionada com a Siri que mostra as informações mais relevantes em determinado momento usando machine learning, para além desta o Toy Story está também a chegar ao Apple Watch. A aplicação Atividade também foi atualizada e para além da motivação personalizada, dá agora desafios mensais a cada utilizador. A aplicação Workout tem uma nova interface, permite definir as bordas da piscina no modo de natação, tem um modo com múltiplos exercícios numa só sessão e vai ser possível sincronizar os dados com as máquinas do ginásio.

Depois foi a vez de Craig Federighi subir ao palco para relatar as novidades no novo macOS. Em primeiro lugar, o nome. Esta versão macOS será chamada de High Sierra, já que não há grandes novidades mas apenas aprimoramentos e afincamentos ao seu antecessor. No Safari temos agora bloqueio da reprodução automática de som quando visitamos um website e, usando machine learning, prevenção de tracking pela web. No Mail temos agora uma melhor integração com o Spotlight, o Split View na janela de escrita e uma redução de 35% no espaço ocupado pelos seus emails. No Photos temos agora, finalmente, a sincronização das caras identificadas por todos os dispositivos, a edição aprimorada de fotos e a sincronização automática com outras aplicações de edição. Para além disto, o APPFS, sistema de ficheiros proprietário da Apple, já presente no iOS chega a partir desta versão também ao macOS. Para além disto, foram anunciadas mais novidades relacionadas com performance e VR mas específicas para programadores. O beta público desta versão estará disponível no fim de junho para Macs posteriores a 2010.

A quarta novidade foi apresenta pelo Vice-Presidente sénior de Hardware da Apple. A Apple atualizou a sua linha de iMac com um melhor ecrã, os novos processadores da linha Kaby Lake de sétima geração da Intel e até 64gb de RAM para o modelo de 27 polegadas. Os novos modelos contam ainda com entradas USB-C. Os MacBook Pro e MacBook também foram atualizados com os novos processadores Kaby Lake e o preço do modelo de 13 polegadas foi reduzido em cerca de 200$, passando agora a custa 1299$ nos EUA. A Apple apresentou ainda um sneak-peak do que vai ser o iMac Pro, uma nova linha de iMac focada no mercado profissional. No modelo mais caro terá um processador Xeon de 18 cores, uma Radeon Vega Graphics com 64GB e custará a partir de 4999$ quando chegar ao mercado em dezembro. O novo computador será em Space Gray, com um rato e teclado também nessa cor a acompanhar.

Depois foi a vez do iOS 11, uma versão cheia de novidades. Na aplicação Messages teremos agora as aplicações no fundo e as mensagens sincronizadas automaticamente entre todos os dispositivos. O Apple Pay permite agora pagamentos de pessoa para pessoa, ficando o dinheiro no cartão Apple Pay Cash que depois poderá ser usado para compras ou levantado. O Control Center foi totalmente redesenhado e tem agora mais informação e ocupada a totalidade do ecrã. Mas as maiores novidades foram na App Store, Phil Schiller subiu ao palco para nos mostrar a nova versão. A aplicação foi totalmente redesenhada (parecida com a interface do Apple Music) e agora temos uma nova aba Today que apresenta novidades e artigos sobre aplicações, uma aba só para jogos e uma aba só para aplicações. As In-App-Purchases podem ser diretamente compradas dentro da loja. Para além disto, foi ainda apresentado uma API de Machine Learning para programadores e o ARKit, uma plataforma para programadores usarem AR no iPhone sem grande esforço.

Tivemos também direito a novos produtos no que toca ao iPad. A gigante de Cupertino lançou um novo iPad Pro de 10.5″ com o mesmo tamanho do de 9.7″ (bordas mais finas), ecrã True Tone, um processador A10X Fusion, 10 horas de bateria, uma câmara traseira de 12MP  com estabilização ótica e uma câmara frontal de 7MP. Os modelos de entrada terão 64GB e custarão 649$ para o de 10.5″ e 799$ para o modelo de 12.9″. As vendas começam hoje.

Craig Federighi voltou a subir ao palco para apresentar as novidades do iOS 11 mas, desta vez focadas no iPad. O novo iOS é um conceito totalmente novo no que toca ao iPad. Há agora uma Dock, semelhante à que encontramos no Mac e onde para além das nossas aplicações favoritas estão também presente sugestões das aplicações que mais usamos. Temos também um novo App Switcher com o Control Center integrado. O Drag and Drop chegou, finalmente ao iOS e já é possível fazer uso do recurso em todas as aplicações. Para além disso, há agora uma nova aplicação chamada Files que permite visualizar os ficheiros, semelhante ao Finder dos Mac, e pode ser integrada com serviços como iCloud, o Dropbox, o Box ou o Google Drive.

Por fim, mas não menos importante a grande novidade da keynote. Um produto totalmente novo apresentado pela Apple mas do qual já havia bastantes rumores. O HomePod é a aposta da Apple para concorrer com o Google Home e do Amazon Echo. O novo produto, que para além de reproduzir música está também integrado com a Siri. O processamento está acabo de um processador A8, igual ao do iPhone. O HomePod possui ainda integração com o Apple Music e permite reproduzir qualquer música do catálogo se tiver conta no serviço de streaming da Apple. Para além disso, a comunicação com a Siri é feita por voz (não possui nenhum ecrã) e podem ser feita perguntas como: “Quem está a cantar?” ou “Quero as músicas top desta semana”. Possui ainda funcionalidades de notícias, conversão de unidades, leitura de mensagens, reprodução de podcasts, lembretes, temporizadores, tradução e integração com o Apple HomeKit. O preço será de 349$ e estará disponível em dezembro nos EUA, no Reino Unido e na Austrália nas cores Space Gray e Branco.

A keynote de hoje foi muito densa, cheia de novidades importantes e interessantes que vão certamente causar impacto.

Na próxima segunda-feira, dia 5 de junho, arranca a WWDC, um dos maiores eventos tecnológicos do ano, voltado para a comunidade de programadores, as fantásticas aplicações que criam e as grandes plataformas de software da Apple.

Desta conferência saem habitualmente as novas versões dos seus sistemas operacionais, atualmente 4: macOS, iOS, watchOS, e tvOS. Se não fugir à regra, Craig Federighi deve fazer as honras da casa para apresentar o novo iOS 11 e o novo macOS 10.13. Assim como Kevin Lynch deverá subir ao palco e apresentar o watchOS 4. O tvOS deverá ficar, como habitualmente, para Eddie Cue.

iOS 11

Se em outros tempos o Mac assumia o lugar de destaque no software da Apple, hoje a realidade não é bem essa. O iOS ocupa esse lugar e por isso deve trazer mais uma leva de grandes novidades ao iPhone, iPad e iPod Touch. Entre as quais mudanças na interface, suporte a chamadas de grupo no FaceTime, um modo escuro, uma ampla gama de novas funções para iPad, como um modo multi-utilizador, e uma revisão no recurso multi-tarefa, e talvez até (pelo menos assim o espero) algo relacionado a realidade aumentada.

macOS 10.13

O sistema operativo para Mac deverá chegar à versão 10.13 e pouco (ou nada) se sabe relativamente a possíveis novas funções deste. A minha expectativa é que talvez exista uma expansão de mais serviços iCloud para o Mac e alterações ao software que trará mais paridade entre o iOS e macOS.

watchOS 4

O watchOS tem evoluído bastante e prova disso é a versão 3 que resolveu um dos problemas principais do relógio, a performance. É esperado que o sistema continue a evoluir e a ser corrigido, este update deve ser rico em correções, principalmente no outro calcanhar de aquiles do Apple Watch, o consumo da bateria. Para além disso o novo watchOS deve trazer ainda mais recursos ligados à Saúde.

tvOS

Quanto ao tvOS 11, é preciso que se diga que a Apple pouco fez nele desde que o apresentou em 2015 com a nova Apple TV. Este ano espera-se uma mudança mais a fundo no software, com novos recursos como suporte ao picture-in-picture, e ainda um modo multi-utilizador. E ainda talvez a acompanhar este anúncio a Apple anuncie mais conteúdo exclusivo, novas séries televisivas, e coisas do género, para a Apple TV. Quem sabe é desta que confirmam o serviço de streaming de filmes e séries…

Novos MacBook, o iPad Pro e uma coluna inteligente?

Quem sabe, para além de novos softwares, este ano a Apple não surpreenda com mais qualquer coisinha?

Segundo os rumores a Apple pode estar a planear lançar novas versões dos seus portáteis, MacBook 12″, MacBook Pro, é até MacBook Air. Atualizações que visam melhorias em componentes internos como processadores Intel de sétima geração Kaby Lake, e no MacBook Pro, estarão disponíveis modelos configurados com até 32GB de memória RAM.

Novos iPad Pro 10,5″, e 12,9″. Será que a Apple vai estragar o clima de suspense que envolve o próximo iPhone ao apresentar novos iPad Pro, com um design idêntico a este com um ecrã de ponta a ponta? Assim os rumores o têm indicado, mas também existem rumores de que o novo iPad 10,5″ pode ser bastante idêntico ao Pro de 9,7″, um pouco maior em altura e com bezels ligeiramente reduzidas, o que faz com o que o ecrã cresça possa crescer.

Que a Siri tem de ser melhorada, isso já todos sabem. E essa é também uma das expectativas para esta WWDC, mas e se ao fazê-lo a Apple também pretender dar mais um passo e fazer dela independente? Não é uma má ideia, até porque é uma estratégia já adoptada por várias tecnológicas como Google e Amazon, por exemplo. E os rumores apontam esse caminho para a Siri. Veremos é se será na WWDC que esse anúncio vai ocorrer.

Confesso, as horas, minutos, e segundos estão a passar e eu não podia estar mais ansioso! Tenho  a estranha sensação que apesar de achar que podemos saber quase tudo do que lá vai ser falado, ainda pouco ou nada se sabe sobre esta apresentação… Pois lá teremos de continuar a roermo-nos de curiosidade até segunda-feira, onde ficarão a descoberto todos os detalhes desta 28ª edição da WWDC!

Fiquem atentos, até porque o iClub garantidamente estará na linha da frente da divulgação, e acompanhamento de tudo o que for apresentado em San José na grande WWDC 2017.