Acabou de comprar o novo iPad Pro de 10.5″? Comprou uma capa para ele espero! Proteger os nossos gadgets é essencial, porque a qualquer momento arranja-se um trinta e um daqueles… Se ainda não o fez, veja aqui algumas das melhores capas para o iPad Pro de 10.5″:

iPad Leather Smart Cover

Gosto muito desta capa, é a que utilizo no meu Pro de 10.5″. Não acrescenta muito peso nem espessura ao iPad. Protege o essencial. O seu preço é um bocado puxado, tanto a versão em silicone, como esta, mas quando se fala nas Smart Cover em pele o seu preço faz-se valer pela inquestionável qualidade, e o feel premium, proporcionado pela pele genuína, e a sua resistência.

76€ – iStore

Apple Smart Keyboard

Considero um acessório essencial para o iPad Pro. No entanto o seu preço… é puxado. Se o dinheiro não fôr problema esta é a opção a ter em conta.

161,10€ – iStore

Capa ESR para o iPad Pro 10.5″

Também se arranjam capas de qualidade a um preço mais em conta! Esta foi a primeira capa que comprei para o meu iPad Pro de 10.5″. Confesso que para desenrascar até chegar a minha Smart Cover em pele… Mas um desenrasco que me surpreendeu, apesar do seu preço e materiais à base de plástico, tem qualidade, peca apenas é pelo peso e espessura que adiciona ao iPad…

Amazon – 10,99€

A app desta semana é para aquelas pessoas que adoooooram a internet. Adoram passar horas a ver todo o tipo de coisas na web, entre elas, claro, os memes. Quem não aprecia um bom e divertido meme?

Memeois é uma aplicação criada por um miúdo de 17 anos, que lhe dá acesso a um infindável número de memes. E se esses não forem suficientes, pode sempre criar um a seu gosto, aqui na Memeois.

O acesso é feito através do Facebook, ou seja, precisa sempre de se ligar com a sua conta, caso contrário não poderá utilizar a aplicação. Aparentemente a app utiliza uma tecnologia que analisa o seu perfil de Facebook de forma a sugerir-lhe memes do seu interesse.

A partir daqui é super fácil partilhar os memes. É só abrir e escolher como quer partilhar! Mais simples não podia ser. Além disso, pode também guardar na app os seus preferidos.

Memeois
Price: Free

 

O IKEA adicionou o suporte HomeKit à sua linha de sistema de iluminação inteligente Trådfri. O suporte ao HomeKit foi anunciado em maio, assim como ao Google Home e à Alexa.

 

A empresa refere que vê um “enorme potencial” nos produtos domésticos inteligentes, uma categoria onde entrou pela primeira vez em 2015 com uma série de móveis e acessórios com carregamento sem fios para smartphones.

O aviso seguinte foi publicado na página do produto:

“Certifique-se que tem a  última atualização do gateway TRÅDFRI  para emparelhar com a Amazon Alexa, o Apple HomeKit ou o Google Home. Atualizamos continuamente a app TRÅDFRI com mais recursos.”

Esta semana trago-vos uma app leve e divertida, como a época exige. Em dias de férias a malta quer é deitar-se na areia e cansar pouco o cérebro. É ou não é? E como eu sou amiga sugiro-vos um joguinho para ajudar passar o tempo da digestão.

Splashy Dots parece uma tela de pintura. Um fundo branco com bolas às cores onde o objetivo passa por ligar todos os pontos. Parece simples mas há alguns puzzles bastante desafiantes.

O jogo é viciante e acima de tudo desafiante. Se ficar parado nalgum nível pode utilizar uma pista para o ajudar. Além disso não existe a pressão do tempo, pode pensar com calma e paciência.

Splashy Dots está disponível para iPhone, iPad e iPod Touch, sendo também compatível com Apple TV!

Splashy Dots
Price: Free+

Será que este gadget da Apple compara bem com as ofertas das operadoras (NOS, NOWO, Vodafone e MEO) no que toca a Apps de TV? O comparador online ComparaJá.pt analisou todas as vertentes destes produtos e aconselha, com base nas suas potencialidades, qual é que se deve adquirir. Vejamos.

Aplicação NOS TV

A grande funcionalidade da App NOS TV centra-se no facto de permitir levar a TV para todo o lado. Ou seja, permite ver no smartphone/tablet/PC canais de TV (100 fora de casa e 120 dentro de casa) sem consumir internet.

Outra característica desta aplicação é o seu acesso ao Videoclube (que, na verdade, já tem acesso simplesmente ao ser cliente NOS) e a possibilidade de alugar ou comprar filmes através daqui. Também permite o acesso ao NPlay que funciona como uma espécie de Netflix da NOS (e que, como ponto negativo, tem o facto de ter séries que – por vezes – não são novidade).

Pode aceder a este serviço quem for cliente UMA, Iris, NOS Indie e Satélite com internet. Para isso é preciso, claro, de adquirir um pacote NOS. E mais, é possível ter-se, em simultâneo, até 4 sessões ativas (se for dentro de casa) ou 2 sessões (se for no exterior).

Aplicação NOWO TV

As características desta App da NOWO são, de certa forma, bastante semelhantes às da sua “homóloga” da NOS. A grande vantagem também passa por poder levar, para todo o lado, os canais que adquire com o pacote desta operadora. Também permite, através de várias plataformas (smartphone, tablet ou computador) aceder ao videoclube da operadora.

Além disso, a aplicação cria um perfil com base nas preferências do utilizador e faz sugestões de novos conteúdos com base nas mesmas.

Aplicação MEO Go

Esta aplicação de acesso à TV da MEO também permite, à semelhança daquelas que têm vindo a ser apresentadas, ver TV em várias plataformas. É possível, segundo informação apresentada pela própria operadora aceder a “mais de 120 canais, incluindo canais em alta definição e canais/serviços premium como Disney on Demand, Machinima, Karaoke e Campo Pequeno”. Em suma: é possível ver TV em direto, em qualquer momento e em qualquer lugar.

Existe, também, a possibilidade de ter acesso ao videoclube da MEO através da aplicação o que permitirá alugar filmes e séries para os ver no tablet, smartphone ou computador. Também permite, como alternativa, fazer download dos mesmos e vê-los no PC sem precisar de aceder à internet para o efeito. A gravação de programas permite guardar programas, séries ou filmes para ver mais tarde numa outra plataforma, se assim o preferir.

Aplicação Vodafone TV

As funcionalidades desta aplicação da Vodafone (que pode ser contratada por quem se torne cliente desta operadora) são várias. Entre elas estão a possibilidade de ver mais de 80 canais em direto (ainda assim menos do que as Apps de TV das operadoras concorrentes). Além disto, é possível subscrever pacotes de filmes e séries exclusivos da operadora, assim como aceder ao catálogo de filmes do Videoclube para poder ver os filmes quando e onde quiser.

Importa referir que, para além do mais, esta operadora oferece mais três serviços: Netflix, Studo (app gratuita, exclusiva na Tv da Vodafone, que desafia as suas crianças a resolver exercícios de matemática, para desbloquear o acesso aos seus canais favoritos) e Live on TV (permite filmar em direto pelo smartphone e ver na TV da Vodafone). A utilização da App TV Vodafone é gratuita.

Uma nota geral: para os utilizadores de produtos da Apple é importante referir algo relativamente a estes produtos. Todos estão disponíveis através da App Store.

E, finalmente, a Apple TV

Como se sairá, então, em comparação a Apple TV com as restantes ofertas da operadora?

O argumento principal da mesma está, para além dos filmes, na integração de aplicações e jogos. Serão estes melhores do que aqueles oferecidos pelas operadoras de telecomunicações? A Apple TV é, de facto, um “must-have” para os aficionados da Apple, uma vez que permite aceder aos “sucessos de bilheteira” disponíveis no iTunes, assim como novos canais disponibilizados.
Em termos de aplicações, imagine que pode – por exemplo – instalar a app do Youtube e ver, na sua TV; os vídeos deste canal. O mesmo vale, por exemplo, para o Netflix. E mais, através do AirPlay, poderá “passar” os conteúdos dos outros dispositivos Apple para a TV. O sistema operativo é também próprio da Apple TV: o tvOS.

O preço é que pode variar. Se optar pela versão de 32GB paga 179€, mas se for para a de 64GB terá que desembolsar 229€. Para aprofundar, pode sempre ler este artigo que o iClub preparou.

Conclusões Finais

Para os aficionados da Apple (principalmente se já tem outros produtos da marca), a opção – de caras – é a Apple TV. Por duas grandes razões: pelo acesso que permite às opções que o iTunes apresenta e por permitir ligar vários dispositivos da marca à TV.

No entanto, se já for cliente de uma das operadoras acima referidas pode sempre experimentar o serviço (que normalmente não acarreta custos) e ver se – para as suas necessidades – o serviço se coaduna. Aliás, uma vez que às vezes os serviços oferecidos (por exemplo, em termos de filmes e séries) são diferentes, pode mesmo ter os dois serviços.

Neste episódio André Fonseca e Rogério Moreira conversaram sobre a morte dos iPod Shuffle e do Nano, os resultados financeiros Q3 2017, o Apple Watch Series 3, e o iPhone 8.

O Podcast do iClub está ligado à comunidade Apple. Mais do que as notícias e as visões pessoais sobre os assuntos mais recentes temos ainda dicas exclusivas e muitas surpresas. O Podcast do iClub chegou para o ajudar a tirar o máximo proveito do seu iPhone, iPad, Mac, Apple Watch e Apple TV e divulgar projetos nacionais interessantes, que envolvam tecnologias igualmente interessantes e pioneiras. O podcast está disponível para download via iTunes, SoundCloud ou no Youtube.

Participantes:

André Fonseca[@afbf1195]
Rogério Moreira[@rgllm]

A semana passada a Apple disponibilizou, acidentalmente, o firmware do HomePod. Com esta disponibilização foi possível a alguns programadores procurarem vestígios de próximos lançamentos da gigante de Cupertino. Um deles, foi um esquema do que parece vir a ser o próximo iPhone.

Como podemos ver, os rumores vão mesmo confirmar-se e o próximo iPhone não terá bordas. Para além disso, a barra de navegação sofrerá obviamente modificações e vai-se tornar, segundo o próprio programador que fez a descoberta, muito mais poderosa.

Ora, juntando isto aos restantes rumores o programador Max Rudberg decidiu fazer um esquema de como provavelmente ficará a UI do iOS neste próximo iPhone.

Como esperado, a gigante de Cupertino apresentou esta terça-feira os resultados financeiros referentes ao período Q3 2017, fechado a 1 de julho. Com uma receita de 45,5 mil milhões de dólares e lucros de 8,72 mil milhões de dólares.

Neste trimestre destacam-se a ligeira subida nas vendas de iPad, com 11,4 milhões de unidades vendidas. E a continuidade no crescimento dos serviços, com vendas de 7,26 mil milhões de dólares.

A procura por iPhone subiu face ao trimestre hómologo, com 41 milhões de unidades vendidas.

Tim Cook elogiou o aumento da receita e ainda o recorde trimestral na receita dos Serviços:

Com uma receita de 7% em relação ao ano anterior, estamos felizes em reportar o nosso terceiro trimestre consecutivo de crescimento acelerado e um recorde trimestral trimestral na receita dos serviços”, disse Tim Cook, CEO da Apple. “Nós organizámos uma  Worldwide Developers conference, altamente bem sucedida em junho, e estamos muito entusiasmados com os avanços no iOS, macOS, watchOS e tvOS que chegarão no outono.

E o CFO da Apple, Luca Maestri, destacou o crescimento de 17% no lucro por ação:

Nós divulgámos crescimentos em unidades e receita em todas as nossas categorias de produtos no trimestre de junho, gerando um crescimento de 17% em ganhos por ação. Também devolvemos 11,7  mil milhões a investidores durante o trimestre, levando os retornos de capital cumulativos dentro do nosso programa para quase 223 mil milhões.

Para o quatro trimestre fiscal a Apple prevê os seguintes resultados:

  • Receita entre 49 mil milhões de dólares e 52 mil milhões de dólares
  • Margem bruta entre 37,5% e 38%.
  • Despesas operacionais entre 6,7 mil milhões e 6,8  mil milhões de dólares.
  • Outras receitas / (despesa) de 500 milhões de dólares.
  • Taxa de imposto de 25,5%.

A grande “doença” que afeta a generalidade da população é a falta de tempo. Entre o trabalho, o ginásio, os miúdos, ou os animais de estimação, o dia passa a correr e sobram pouco mais do que cinco minutos para respirar fundo. A boa notícia é que muita coisa se pode fazer em cinco minutos, até mesmo aprender uma nova língua. Não acredita? Então dê uma olhadela na aplicação desta semana.

Drops propõe-lhe usar apenas 5 minutos do seu dia para aprender uma língua – um tipo de aprendizagem gota a gota. Entre os idiomas disponíveis pode encontrar Espanhol, Françês, Inglês, Italiano, Alemão, Rússo, Chinês, Japonês, etc.

O método de ensino é muito simples também, 100% visual e funciona em forma de jogo. Cada palavra é muito bem ilustrada facilitando a memorização. Além disso, Drops utiliza o deslizar em vez da digitação, tornando tudo ainda mais divertido.

Drops está disponível para iPhone e iPad.

A Apple anunciou esta quinta-feira a descontinuação dos iPod Shuffle e do Nano. O catálogo de produtos iPod passa a ter só disponível o iPod Touch, com as seguintes capacidades de armazenamento, 32, e 128GB, em vez dos 16, 32, 64, e 128GB.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

“Hoje vamos simplificar a nossa linha de iPod com dois modelos do iPod Touch agora com o dobro da capacidade começando em apenas 199$ e estamos a descontinuar o iPod Shuffle e iPod Nano” – disse um porta-voz da Apple ao Business Insider.

Era esperado já há bastante tempo este desfecho, ambos os modelos estavam super desatualizados e já não faziam qualquer sentido na gama de produtos da Apple. Esperamos agora para ver qual será o destino do Touch, será que o seu fim está próximo, ou esta mexida nas opções de armazenamento significa que mais tarde ou mais cedo ele será alvo de atualização?