Apple vai contratar 1000 pessoas na Irlanda e empresa opõe-se a fim da privacidade no Reino Unido

A informação, reportada pela agência noticiosa Reuters, é do próprio governo da Irlanda e revela que a Apple pretende expandir a equipa, naquela que é uma das suas principais sedes mundiais. Isto representa um aumento de 20% considerando que a empresa emprega, actualmente, 5000 mil empregados tendo, no ano passado, também contratado cerca de 1000 pessoas.

A Irlanda é um “refúgio” para a Apple em termos fiscais, sendo nesta subsidiária que a maior parte do lucros ficam guardados graças aos baixos impostos que têm que ser pagos. Curiosamente, existe dúvidas sobre a legalidade destes impostos e os reguladores da União Europeia deverão dar a sua opinião sobre esta situação depois do Natal.

O CEO da Apple, que está de visita à Irlanda, aproveitou também para criticar a nova lei no Reino Unido que poderá acabar com a privacidade dos utilizadores. Cook afirmou, perante uma palestra de estudantes, que abrir uma porta traseira pode trazer problemas de segurança mais gerais, incluindo possíveis acesso por parte de hackers.

 

 

 

0 comentários