Apple pronuncia-se após desbloqueio do iPhone de San Bernardino

Depois do Departamento de Justiça ter confirmado que conseguiu finalmente aceder ao conteúdo do iPhone de Farook, o principal suspeito do caso de San Bernardino, a Apple pronunciou-se sobre o caso que tanta polémica gerou, e acreditamos que mais ainda irá gerar. As declarações da Apple sobre o acesso do FBI ao tão mediático iPhone foram as seguintes:

Desde o início, que nós nos opusemos ao pedido do FBI que a Apple cria-se uma “backdoor” no iPhone, porque acreditávamos que era errado e iria abrir precedentes perigosos. Apesar de ter sido o Governo a solicitar tal acesso, nós nunca cedemos. E este caso nunca nos deveria ter sido proposto.

Iremos continuar a ajudar na aplicação da lei e nas suas investigações, como temos feito até ao momento, e vamos continuar a aumentar a segurança dos nossos produtos contra as ameaças e ataques que cada vez são mais frequentes e sofisticados. A Apple acredita profundamente que as pessoas nos Estados Unidos e no resto do mundo merecem a protecção dos seus dados, a sua segurança e principalmente a sua privacidade.

Este caso criou questões que merecem um debate nacional sobre a liberdade civil, a privacidade e a segurança colectiva. A Apple irá continuar empenhada em colaborar nesta decisão.

Resumidamente na declaração acima, a Apple diz que irá continuar a lutar pelo direito à segurança e privacidade dos seus consumidores. E que não descarta nenhuma hipótese de colaboração com as forças de autoridade, aliás como referiu sempre o fez, sempre ajudou quando o auxilio foi solicitado. E que estão de portas abertas para possíveis e futuros diálogos em situações situações semelhantes, mas que este assunto deve ser debatido publicamente para o bem dos cidadãos. As pessoas comuns, os políticos e as autoridades devem saber quais as implicações reais da divulgação de dados confidenciais de utilizadores, e quais as consequências de ceder ao ultimado imposto pelo DOJ.

0 comments