Apple perde exclusividade da marca iPhone na China

A Apple perdeu em tribunal a causa que lhe dava a exclusividade da marca “iPhone” na China. O Tribunal Municipal de Pequim decidiu que uma empresa local pode continuar a utilizar a marca “iPhone” nos produtos que comercializa. Nos produtos em questão podem-se encontrar umas bolsas em couro que (só por acaso) servem para o iPhone e no exterior possuem gravada a inscrição “iPhone”.

O tribunal decidiu que a Apple penas possui exclusividade no país para utilizar o seu nome em produtos electrónicos e em nada mais. A empresa agora gerida por Tim Cook, registou a marca “iPhone” em 2002, cinco anos antes do lançamento do próprio dispositivo. Só que nessa altura a marca não foi registada por algum motivo que nos é alheio.

Em 2007 a empresa chinesa Xintong Tiandi Technology (XTT), registou o mesmo nome mas para produtos de couro, a confirmação de que a marca tinha sido aceite chegou três anos depois, em 2010. Quando a primeira decisão foi tomada em relação a este caso a Apple naturalmente que recorreu a um tribunal superior. Nesse recurso, a reivindicação da Apple quanto à legitima proprietária da marca “iPhone”, caiu por terra. A magnitude deste processo foi tal que até 2009, a China não recebeu iPhones para comercializar, porque era expressamente proibido.

Em 2014 a Apple também perdeu o direito à exclusividade do no iPhone no México, pois uma empresa local tinha registado a marca iFone. Mas não nos ficamos por aqui, no mesmo ano, na Índia decorreu outro processo pois uma outra empresa registou a marca “iFon”

0 comentários