Apple fecha segundo trimestre fiscal do ano com mais ganhos mas menos iPhone vendidos

Como previsto a Apple divulgou nesta terça-feira os resultados do segundo trimestre fiscal de 2017 fechado a 1 de Abril. A gigante de Cupertino reportou uma receita de 52,9 mil milhões de dólares e lucros líquidos de 11 mil milhões. Isto comparado com a receita de 50,6 mil milhões de dólares e lucros líquidos de 10 mil milhões de dólares do Q2 2016. As vendas internacionais representaram 65% da receita do trimestre.

Foram vendidos 50,7 milhões de iPhone, 8,92 milhões de iPad e 4,19 milhões de Mac. Este trimestre inclui já as vendas dos novos iPhone 7 e 7 Plus (PRODUCT) RED e do iPad 9,7″.

De notar que face ao trimestre anterior nota-se mais uma vez o declínio do número de unidades vendidas de iPad, e novamente, de iPhone, apesar de no período fiscal anterior ter sido registado um recorde de vendas de 78,3 milhões de iPhone vendidos. Recorde-se que no período homologo de 2016, a Apple havia registado vendas de 51,2 milhões de iPhone.

Crescimento das receitas da Apple. Fonte: The Verge

Nos serviços a Apple apresenta-se melhor do que nunca. Com o iTunes, Apple Pay, iCloud, Apple Music e App Store, a registarem num todo um crescimento de receita de 18% para os 7 mil milhões de dólares.

Estamos orgulhosos de anunciar um forte trimestre de março, com o crescimento da receita acelerando a partir do trimestre de dezembro e continuando a forte demanda do iPhone 7 Plus “, disse Tim Cook, CEO da Apple. “Vimos grande resposta dos clientes para ambos os modelos do novo iPhone 7 (PRODUCT) RED Edição especial e estamos entusiasmados com o forte impulso do nosso negócio de serviços, com a nossa maior receita de sempre para um trimestre de 13 semanas. Olhando para o futuro, estamos entusiasmados em dar as boas-vindas aos participantes de todo o mundo para nossa Conferência Anual dos Desenvolvedores no próximo mês em San Jose. “

Após o fecho dos mercados as acções da Apple caíam 2,1% para cerca de 132 euros. Para o período fiscal em curso a tecnológica  prevê receitas de 43,5, a 45,5 mil milhões de dólares.

0 comentários