A maçã da discórdia – Apple processada em França

Há cerca de duas semanas, um artigo do iClub divulgava “Cessou atividade a maior cadeia de revenda Apple em França”. Desta feita, chegou a vez dos ex-funcionários da eBizcuss processarem a empresa norte americana. No passado dia 19, deram entrada no tribunal de Prud’hommes, em Paris, 75 processos contra a Apple.

Como em França não é possível mover ações coletivas, a solução encontrada pelos ex-funcionários da revendedora francesa consistiu em cada um processar a companhia de Cupertino individualmente. Como fundamento da sua argumentação, afirmam que a Apple era também seu co-empregador devido ao elevado grau de controlo e à influência que tinha sobre a atividade da cadeia francesa. A este propósito Patricia Allouche, responsável pela “Maçã da Discórdia“, um movimento constituído por empregados de revendedores Apple, disse ao Le Figaro:

“Nós consideramos que [a Apple] é nosso empregador, à luz das especificações impostas sobre nós, porque eles definem o layout das lojas, treinam os vendedores e controlam o merchandising, etc. e 80% dos produtos que expomos são da marca Apple.”

O prazo para o recebimento de propostas que permitam viabilizar a continuação da atividade da cadeia francesa terminou na semana passada. Várias propostas foram recebidas, cabendo agora ao CEO do grupo eBizcuss, François Prudent, avaliá-las e tomar uma decisão no prazo de 15 dias.

Caso não seja encontrada solução que permita evitar o encerramento da eBizcuss, as exigências dos ex-funcionários passam por um novo emprego ou então pelo pagamento de uma indemnização extra.

0 comentários