10 anos de iPhone: o que a imprensa disse sobre o primeiro iPhone

Já lá vão dez anos e é bem perceptível que muita coisa mudou desde que o primeiro iPhone apareceu. Este acontecimento fez com que gigantes como a Nokia e a BlackBerry começassem a perder força, e tornou a Apple numa das empresas mais valiosas do mundo. O iPhone ultrapassou barreiras e alterou os hábitos das pessoas. A Apple apresentou-o como um aparelho super capaz, que dispensava o teclado físico, e as chatas stylus. Oferecia um ecrã grande, um ecrã especial multi-touch, que mostrava um UI super intuitivo, controlável por gestos dos nossos dedos no ecrã. Até aí, nunca tinha sido tão prazeroso usar um telefone, aceder ao e-mail, tirar fotografias, navegar na internet, na nossa biblioteca de músicas, ver um vídeo, ou um filme.

Mas aquilo que hoje olhamos como um sucesso tremendo, e algo que mudou o mundo tecnológico para todo o sempre, à partida as primeiras pessoas a testar este equipamento, que foi o primeiro smartphone (a sério) do mundo, foram capazes de perceber que se estava a fazer história?

Tive o cuidado de andar à procura de alguns artigos da época sobre o primeiro iPhone, e em baixo destaco alguns excertos. Se acompanha a evolução do iPhone desde o início, certamente tal como me aconteceu a mim, o sentimento de nostalgia vai acompanhá-lo nessa leitura.

Para qualquer recurso que requer introdução de texto, o iPhone exibe um teclado no ecrã que pode mudar entre as teclas de texto QWERTY e os números/símbolos. Ainda não é compatível com o teclado hardware que tem num BlackBerry ou Treo, mas certamente bate qualquer teclado padrão.

Então, deve comprar um iPhone? Claro, se quer ter um telefone/dispositivo de internet/reprodutor de música maravilhosamente projetado e está disposto a aguentar alguns problemas ocasionalmente exasperantes. Todos os outros, especialmente aqueles que já contam com um telefone PDA para mensagens, provavelmente devem esperar. – PC World

Finalmente, pode ampliar uma página da Web – ou uma mensagem de e-mail ou uma foto – espalhando o polegar e o indicador no vidro. A imagem cresce como se estivesse numa folha de látex. – David Pogue, The New York Times

A coisa mais notável sobre o iPhone é o que falta: um teclado de digitação física e/ou teclado completo, ou teclado tradicional. Em vez disso, um teclado ou teclado virtual aparece no ecrã do iPhone, dependendo do que está a fazer – inserir um endereço da Web, por exemplo, ou trocar mensagens de texto.
Não é fornecida nenhuma caneta. Os seus dedos controlam tudo; Dá um “tap”, faz “flick” e “pinch…” – Edward C. Braig, USA Today

As funções do iPod do iPhone não são como nenhum iPod que já vimos antes – mas eu gostaria de pensar que eles se parecem muito com o visual dos iPods que virão. Sem uma roda de rolagem para usar na navegação, os recursos do iPod do iPhone levam algum tempo a acostumar. Demorou bastante tempo para descobrir como alternar dentro e fora do modo Shuffle. (Os controlos aparecem quando faz um único toque na tela.) – Jason Snell, Macworld

Veja os iPods há cinco anos. Essa interface monocromática! Aquela movimentada movimentação em movimento! Eles parecem-se com algo que um homem das cavernas tirou de um pedaço de pederneira usando outro pedaço de pederneira. Agora imagine algo que fará com que o iPhone pareça ser assim. Terá em poucos anos, e também será mais barato. Se não está pronto para pensar diferente, então pense em frente. – Lev Grossman, TIME

0 comments